Osmar de Oliveira: 61 anos de história por trás dos balcões das farmácias

http://www.minhasaojose.com.br

Aos 9 anos, ele começou aprender a aliviar inúmeros desconfortos, principalmente a dor de muita gente

Reportagem e Texto: Natália Tiezzi Manetta

Simples, carismático, generoso e ‘de confiança’. Quem nunca escutou ou mencionou uma dessas qualidades ao falar do querido Osmar Baptista de Oliveira ou simplesmente o ‘Osmar da Farmácia’, como muita gente o chama até hoje. Aos 70 anos de idade, ele está completando 61 deles dedicados ao comércio de medicamentos.

E quantas histórias Osmar coleciona nestas mais de seis décadas por trás dos balcões… Natural de Divinolândia, ele começou a trabalhar muito cedo, aos 9 anos, e, curiosamente, em uma farmácia. “Éramos de família muito humilde e não tive muita escolha senão trabalhar, mas, confesso que foi a melhor coisa que poderia fazer: o trabalho desde criança me ajudou muito a valorizar a vida”, destacou.

A vinda para São José do Rio Pardo aconteceu em 1963, aos 13 anos, quando surgiu uma oportunidade de trabalho na farmácia dos saudosos Hermenegildo Landini e Galileu Rondinelli que, à época, funcionava à rua Treze de Maio, onde atualmente é uma casa lotérica.

“Meu pai era funcionário público e surgiu um trabalho para ele aqui na cidade. Ele também ficou sabendo por um amigo que estavam precisando de alguém para trabalhar nesta farmácia. Acabei vindo para cá 6 meses antes dele e consegui o trabalho. No início morava em um quartinho nos fundos da farmácia”, contou Osmar.

O trabalho sempre em horários diferenciados na farmácia fez com que Osmar não se dedicasse aos estudos, embora isso não tenha comprometido seu desempenho. “Meus antigos patrões me ensinaram muito. Aprendi tudo com eles, observando-os no dia-a-dia e, claro, me dedicando, pois ser dono de farmácia é um sacerdócio. Você precisa gostar, pois são mais de doze horas de trabalho diárias”.

Após 12 anos como balconista, Osmar, juntamente com o saudoso amigo, João Batista Tinti, tiveram a oportunidade de adquirir a farmácia onde trabalhavam após a morte dos proprietários. “Foram 27 anos trabalhando juntos na então ‘Drogaria Popular’, que passou a funcionar à rua Francisquinho Dias.

E, em 2001, ambos separaram a sociedade e Osmar inaugurou a Drogaria D’Osmar também à rua Franciscinho Dias, no prédio onde atualmente funciona as Casas Bahia. Hoje, a tradicional farmácia fica à rua Dr. João Gabriel Ribeiro.

O CARISMA QUE CONQUISTA ADULTOS E, PRINCIPALMENTE, CRIANÇAS

É difícil encontrar um rio-pardense que não tenha sido atendido por Osmar. Gerações passaram pela farmácia e apesar de atencioso com todos, seu carinho com as crianças sempre chamou a atenção. “Antigamente, quando os medicamentos eram poucos, eu dormi em muitas casas para administrar principalmente antibióticos às crianças, que os tomavam de 4 em 4 horas. Acredito que tenha começado daí essa aproximação, carinho. Além disso, aprendi muito a lidar com elas por meio do saudoso Francisco Cônsolo Filho, o Quito da Farmácia Dias, que tinha um traquejo especial com os pequenos. Presenciei alguns destes atendimentos e passei a usar as técnicas com meus clientes mirins. Alguns destes clientes, hoje adultos, lembram do ‘tio Osmar’ dando bala, chocolate para depois dar a injeção”.

O carisma, o atendimento e atenção dispensada ao cliente fazem com que a Drogaria D’Osmar se sobressaia mesmo diante de fortes concorrentes, como as grandes redes de drogaria. “Tenho muito orgulho em dizer que nestas mais de seis décadas consegui conquistar a confiança de meus clientes. E acredito que ela, aliada a um bom atendimento, atenção e respeito à clientela ainda façam a diferença aqui na farmácia”.

Mas, não apenas isso. A experiência que adquiriu faz com que Osmar seja procurado até mesmo fora do horário de atendimento. “Até hoje ainda abro a farmácia para atender clientes fora do expediente. Não me importo. É muito bom saber que alguém me procura para aliviar um desconforto, não importa a hora. Essas pessoas confiam em minha experiência e sempre tento resolver o problema delas da melhor forma possível”.

E Osmar atendeu até alguns casos ‘pitorescos’, como ele mesmo relembrou. “Em 1967, quando fazia o Tiro de Guerra, os atiradores tiveram como examinador o Capitão Lamarca, que teve uma cólica renal terrível. Fui chamado às pressas para administrar medicamentos que aliviassem a dor. Mal sabia que estava atendendo um futuro militar desertor e guerrilheiro, que se tornaria um dos líderes da luta armada contra a ditadura militar instaurada no país em 1964”.

O comerciante também coleciona amigos, muitos deles desde a época que veio para São José. “A Drogaria D´Osmar se tornou um ponto de encontro da ‘velha guarda’, aos domingos de manhã principalmente. Eu gosto desta movimentação, de uma conversa aqui, outra acolá. Foi assim que fiz e ainda faço muitos amigos”.

UMA FAMÍLIA DEDICADA À FARMÁCIA

Além de Osmar, sua esposa, Rosa Helena e os filhos, Patrícia e Fábio Henrique também assumiram a empresa, cada qual à sua área. “Minha esposa e companheira de trabalho cuida da parte burocrática da farmácia, o administrativo. Já a Patrícia graduou-se em Direito e Farmácia e é a farmacêutica, juntamente com outra profissional. E o Fabinho também já tem sua própria farmácia que, orgulhosamente, também carrega o meu nome e funciona no bairro Vila Verde. Apesar de não ter influenciado para que ambos fizessem o curso de Farmácia, os dois cresceram dentro dela e eu me sinto o pai mais orgulhoso do mundo ao ver meus filhos darem continuidade neste negócio”.

A SEGUIR, OS DEPOIMENTOS DA ESPOSA E FILHOS SOBRE OSMAR

“ELE É MUITO MAIS DO QUE UM MARIDO, UM COMPANHEIRO. APRENDO E ME SURPREENDO COM ELE TODOS OS DIAS, PRINCIPALMENTE PELA SUA GENEROSIDADE. CERTA VEZ, NOTANDO QUE UM CIDADÃO ESTAVA COM DIFICULDADE EM TOMAR UMA MEDICAÇÃO, ELE PEGOU O COMPRIMIDO, COLOCOU NA BOCA DO MESMO E LHE DEU ÁGUA. TEMOS 43 ANOS DE CASADOS E APRENDI COM ELE PRINCIPALMENTE A SER MAIS HUMANA!” ROSA HELENA ALVES DE OLIVEIRA

“MEU PAI É ESSA PAIXÃO. UM SER HUMANO EVOLUIDÍSSIMO PELA SUA GENEROSIDADE. PERDI A CONTA DE QUANTAS PESSOAS CARENTES ELE JÁ AJUDOU COM MEDICAMENTOS SEM COBRAR NADA. ESSA É A SUA MISSÃO: AJUDAR AO PRÓXIMO, ALIVIAR SUAS DORES. ELE É MINHA MAIOR INSPIRAÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL DE SER HUMANO CORRETO, HONESTO, DIGNO E VERDADEIRO”. PATRÍCIA ALVES DE OLIVEIRA PINEZI.
“É DIFÍCIL FALAR DO MEU PAI… ELE É MEU HERÓI. OSMAR: SINÔNIMO DE HUMILDADE, GENEROSIDADE, FORTALEZA, AMOR AO PRÓXIMO. MEU ORGULHO. EU O AMO MUITO. MEU ÍDOLO, SEMPRE” – FÁBIO HENRIQUE ALVES DE OLIVEIRA.
 
http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br