CIDADEDESTAQUEEDUCAÇÃO

A importância do Movimento Euclidiano foi abordado por professores na ‘Escola do Legislativo’

http://www.minhasaojose.com.br
Marcos De Martini, a maratonista Ana Luísa, Cidinha Granado, Cármen Maschietto, Maria Olívia Arruda, Ana Paula Lacerda e Rafael Kocian durante palestra na Câmara

Texto: Natália Tiezzi – Assessoria Parlamentar da Câmara Municipal

Na noite de segunda-feira, dia 27, o “Movimento Euclidiano: Identidade Cultural de São José do Rio Pardo”, foi tema de abordagens no Programa Escola do Legislativo “Cidade Livre do Rio Pardo”.

Os trabalhos, que tiveram lugar no Plenário da Câmara Municipal, foram conduzidos pelo diretor geral e pelo diretor executivo do Programa, vereador professor Rafael Kocian e Matheus Schiavon, respectivamente. Alunos da FEUC, além de professores, estudiosos e apreciadores da cultura euclidiana prestigiaram a palestra, que foi promovida em parceria com a Casa de Cultura Euclides da Cunha e Conselho Euclidiano.  

As abordagens foram realizadas pelos professores Carmen Cecília Trovatto Maschietto, Maria Aparecida Granado Rodrigues, Marcos De Martini e pela estudante Ana Luísa Dias de Abreu.

Antes, porém, dos professores se manifestarem acerca do tema, a curadora da Casa de Cultura Euclides da Cunha, Ana Paula Lacerda, observou a importância do Movimento Euclidiano para os rio-pardenses e para o mundo. “Muito mais do que contemplar a obra euclidiana, o Movimento tem cunho intelectual, educacional e social, já que traz sempre reflexão entre o legado de Euclides da Cunha, sendo que seus apontamentos, pensamentos e críticas ainda são muito presentes em nossa sociedade, o que o torna atemporal”, observou.

Já a professora Cármen relatou o esforço de muitas pessoas, de ontem e de hoje, para manter viva a chama euclidiana por meio do Movimento. “Fatos históricos como a construção da Ponte Metálica, o próprio livro “Os Sertões” são marcos na história rio-pardense, mas não é só isso. Estes contribuíram para que Rio Pardo fosse conhecida nacionalmente e mundialmente, e isso também foi feito por pessoas que vivenciaram o Movimento Euclidiano, assim como hoje nós o fazemos, preservando a história, a memória e a obra de Euclides da Cunha”.

O professor Marcos De Martini lembrou a contribuição informativa e reflexiva que Euclides da Cunha deixou ao Brasil, especialmente quando reportou a guerra de Canudos, e afirmou que se não tivesse partido tão precocemente poderia ter contribuído ainda mais à literatura, inclusive com publicações sobre a Amazônia, entre outras partes do Brasil, sempre retratadas de forma peculiar, assim como fez em Os Sertões.

Evento contou com a participação de alunos da FEUC e estudiosos da obra euclidiana

“Somos privilegiados em viver, reviver e ter a oportunidade de manter o Movimento Euclidiano, essencial às novas gerações para que possam aprender, entender e refletir sobre inúmeras questões a partir de Euclides da Cunha. Que consigamos mantê-lo e preserva-lo para todas as idades”.

A professora Maria Aparecida Granado Rodrigues afirmou que a identidade de São José do Rio Pardo é e sempre será Euclides da Cunha. “Euclides revelou um outro Brasil em ‘Os Sertões’, inclusive mostrando o sofrimento de um povo, a sua indignação. E toda vez que abordamos a obra euclidiana também estamos abominando, assim como ele, tudo que ocorreu e infelizmente ainda ocorre na sociedade, principalmente nas periferias – as desigualdades, as diferenças. O Movimento Euclidiano também traz à tona essas reflexões, sendo importante a sua manutenção às futuras gerações”.

Por fim, a maratonista e estudiosa da obra euclidiana, Ana Luísa, que participa da Maratona Intelectual da Semana Euclidiana desde 2018 ressaltou que a participação ativa no Movimento Euclidiano, as vivências das Semanas contribuem e sempre contribuirão à sua formação educacional e pessoal. Ana Luísa já recebeu Menção Honrosa pela participação na Maratona durante três anos e foi contemplada com uma bolsa de estudos no Colégio De Grau em Grau/COC para cursar o Ensino Médio por meio do Projeto Rhoda, sendo que anteriormente estudava na E.E. “Dr. João Gabriel Ribeiro”, representando a escola estadual nas maratonas.

Ao final das explanações, a palavra foi aberta ao público presente, que também participou de forma virtual, já que a palestra foi transmitida ao vivo pelos canais oficiais da Câmara na Internet.

O vereador Kocian parabenizou a todos pelas abordagens, em especial Ana Paula Lacerda pela escolha dos palestrantes, mesclando a experiência de consagrados professores euclidianistas como dona Cármen Maschietto com as novas gerações e estudiosos, como a maratonista e estudante Ana Luísa, mostrando que o Movimento Euclidiano se faz presente em todas as idades, assim como deve e permanecer.

http://www.minhasaojose.com.br