Vacinação descentralizada quer atingir metas ?

http://www.minhasaojose.com.br


A Secretaria Municipal de Saúde, através do Departamento de Vigilância Epidemiológica, tem ampliado a oferta de serviços para que o município alcance as metas de vacinação estipuladas pelo Ministério da Saúde.

Desde o ano passado, a vacinação foi descentralizada. Além do atendimento no Centro de Saúde da rua Adolpho Bacci, o serviço passou a ocorrer também nas unidades que atendem aos bairros Domingos de Sylos, Carlos Cassucci, Vale do Redentor, Buenos Aires e Jardim São José.

“A ideia é facilitar. Fazer com que as pessoas que têm dificuldades com horários, transporte, mobilidade não precisem se deslocar dos bairros até o centro para receber a vacinação. Com a descentralização elas podem ser atendidas na unidade de saúde mais próxima”, comenta a enfermeira responsável pela Vigilância Epidemiológica, Gisele Cristina Santos Flausino.

Outra iniciativa para reforçar a vacinação começou a ser colocada em prática junto às escolas e creches, onde os profissionais tentam identificar crianças com o calendário de vacina desatualizado. Havendo constatação os pais são notificados a providenciar a atualização e devem informar a escola posteriormente.

Embora com números ainda crescentes, os resultados das ações até o momento são positivos e, no ano passado, São José do Rio Pardo ampliou as metas de vacinação em comparação aos anos anteriores. “Mas é preciso manter o alerta para que as pessoas continuem buscando a vacinação e, principalmente, levando as crianças para serem vacinadas”, reforça Gisele.

Conforme destaca a enfermeira, o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA – Lei Federal nº 8.069 de 13 de Julho de 1990) estabelece a obrigatoriedade de pais e responsáveis quanto a vacinação das crianças.

Ela destaca que por todo o país os números da vacinação têm caído, prejudicando o controle de doenças consideradas extintas, como o sarampo, que voltou a ocorrer no ano passado. “Os pais ou responsáveis deixaram de levar as crianças para vacinar e elas voltaram a ficar desprotegidas. Existe o calendário de rotina. As vacinas ficam disponíveis para a população todos os dias, as pessoas não devem procurar a vacinação apenas durante as campanhas regulares ou apenas quando há surto ou morte de alguém”, conclui.

Abaixo a lista das salas de vacina com respectivos horários de funcionamento:

Sala de Vacina Centro de Saúde

De segunda a sexta-feira – 7h00 às 16h00

ESF Vale do Redentor

De segunda a sexta-feira – 8h00 às 14h00

ESF Carlos Cassucci

De segunda a sexta-feira – 10h00 às 15h00

ESF Domingos de Syllos

Terça e Quinta-feira – 7h30 às 12h00

ESF Jardim São José

Segunda e Quarta-feira – 7h30 às 12h00

ESF Buenos Aires

Sexta-feira – 7h30 às 12h00

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br