Sistema de Etiquetagem na Farmácia da Santa Casa garante mais segurança na dispensa e administração de medicamentos

http://www.minhasaojose.com.br
A farmacêutica-bioquímica Maria de Jesus Remédio: 28 anos de dedicação à Farmácia Privativa da Santa Casa

Medicamentos – Uma das bases mais importantes para a boa recuperação de pacientes nos hospitais. Entretanto, a forma de dispensa e administração dos mesmos pode levar da cura à morte. Você sabia que há anos a Farmácia Privativa da Santa Casa adotou um protocolo para aumentar a segurança ao paciente, diminuindo possíveis erros na dispensão e administração dos medicamentos?

Para contar um pouco sobre esse protocolo, bem como sobre o funcionamento deste setor de suma importância do hospital, a reportagem entrevistou a farmacêutica-bioquímica Maria de Jesus Remédio, que é especialista em Farmacologia, Farmácia Hospitalar e Farmácia Clínica e coordena a Farmácia Privativa da Santa Casa há 28 anos.

Ela explicou que a Santa Casa adotou alguns protocolos como a reetiquetagem. “Em 2011, a farmácia adotou este sistema para garantir a rastreabilidade dos medicamentos, que trata da identificação da origem do produto desde as matérias primas utilizadas, processo de produção, distribuição no mercado, até o consumo. Isto permite ao hospital o controle sobre o lote e validade nos processos de recebimento, dispensação e administração dos medicamentos, uma vez que o código de barras fornecidos pelos fabricantes não possuíam os requisitos mínimos para este controle, a alternativa era a re-etiquetagem dos medicamentos”, disse Maria.

Ela informou que após um período e por exigência da Anvisa, os fabricantes adotaram um novo código de barras bidimensional – DataMatrix, que trouxe informações mais completas dos medicamentos não havendo necessidade de reetiquetagem. “A Santa Casa fez uma adequação dos softwares para utilização deste novo código. Com a implantação do código de barras “DataMatrix” houve uma redução de cerca de 20% de re-etiquetagem dos comprimidos e 60% de reetiquetagem de ampolas e frascos ampolas”, destacou.

Outro protocolo seguido pela Farmácia é a etiquetagem de medicamentos potencialmente perigosos. “Diferenciamos esses medicamentos dos demais por meio de etiquetas vermelhas para maior atenção à dispensação e administração. Além disso, medicamentos cujos nomes são reconhecidamente semelhantes a outros de uso corrente na Instituição passaram a ter destaque da parte do nome que os diferencia com a utilização de letra maiúscula”, informou Maria.

Além destes protocolos, a Farmácia Privativa da Santa Casa também adotou o sistema de Dose Unitária, o qual a farmácia dispensa os medicamentos na forma pronta para uso, de acordo com a dose prescrita pelo médico (com exceção de soluções estéreis), em embalagens identificadas para cada paciente, para um período de 24 horas.

Além de aumentar a segurança na dispensão e administração ao paciente, a farmacêutica destacou que as vantagens da prática desses protocolos são disponibilizar maior tempo da enfermagem no cuidado ao paciente; racionalizar o uso dos medicamentos e materiais, minimizando custos, além de manter um controle de estoque mais eficaz.

Equipe da Farmácia da Santa Casa: trabalho é realizado 24 horas diárias

FARMÁCIA DO HOSPITAL FUNCIONA 24 HORAS TODOS OS DIAS

“Promover o uso seguro e racional de medicamentos, integrando-se a equipe multiprofissional de modo a contribuir para a Instituição e para a qualidade na assistência ao paciente”. Estes sempre serão os principais objetivos da Farmácia Privativa da Santa Casa, que funciona 24 horas todos os dias.

Para manter seu funcionamento adequado, a Santa Casa dispõe de 5 farmacêuticos e 16 auxiliares e técnicos, garantindo assistência farmacêutica em 100% do seu horário de funcionamento. Estes profissionais prestam suporte técnico às equipes de enfermagem, médica e outros profissionais, através da dispensação de medicamentos, informações sobre medicamentos, ajustes de doses e aderência aos protocolos de antimicrobianos de uso restrito.

Também são atividades da farmácia a padronização de medicamentos, planejamento de estoques, aquisição, armazenamento, dispensação e controle de estoque.

Além das atividades no setor, a farmácia participa e contribui em algumas comissões, como por exemplo, Comissão de Farmácia e Terapêutica e Comissão de Controle de Infecção Hospitalar da Santa Casa.

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br