Pichações e vandalismo: DEC acionará o Ministério Público na próxima semana

http://www.minhasaojose.com.br

Iury Abrão desabafou e disse que o Departamento não aguenta mais dispor de mão de obra e recursos para manutenções em espaços públicos

Reportagem e texto: Natália Tiezzi. Fotos: Assessoria de Imprensa da Prefeitura

As pichações ocorridas nesta semana nas paredes externas do Museu Rio-Pardense “Arsênio Frigo” e na Biblioteca Municipal “Monteiro Lobato” deixaram a população perplexa. Muitos munícipes questionaram a falta de Guarda Civis Municipais em defesa do patrimônio público, entretanto, o problema, segundo o presidente do DEC – Departamento de Esportes e Cultura, Iury Abrão, vai muito além das pichações.

“Infelizmente esses atos de vandalismo estão acontecendo nos patrimônios públicos por toda a cidade e com frequência. Eles vão desde pichações, o que também ocorreu no prédio do Mercado Cultural, até furtos de cadeados do Coreto Municipal, arrombamento de portas no Estádio Palmyro Petrocelli, câmeras danificadas no clube do Vale Redentor, entre tantos outros”, informou Iury em entrevista ao site.

Ele afirmou que o DEC acionará o Ministério Público na próxima semana para auxílio e orientação sobre o que poderá ser feito com relação a esses atos. “Inclusive, no ano passado, dois indivíduos foram flagrados pichando o mesmo espaço do Museu. O que queremos é identificar esses grupos, pois ao que tudo indica eles agem dessa forma, e fazer com que esses indivíduos sejam enquadrados dentro da Lei”.

O presidente do DEC disse ainda que apresentou pedido ao Executivo para que haja monitoramento por parte da Guarda Municipal naquela área central. “Coreto, Museu, Mercado Cultural são espaços que haviam recebido manutenção a pouco tempo e esses atos de vandalismo não podem continuar. Além de acabarem com o patrimônio público, comprometem o orçamento, já que mais recursos acabam sendo disponibilizados para novos consertos, pinturas, etc”, ressaltou.

Iury também agradeceu o empenho e auxílio do Ministério Público em outras ocorrências de vandalismo ocorridas no ano passado e que foram solucionadas, sendo uma delas o furto de enfeites de Natal.

“Talvez o que as pessoas que praticam esse atos ainda não entenderam é que estão destruindo um patrimônio delas próprias. Por isso, peço aqui o auxílio da população em denunciar esses meliantes, bem como a conscientização de todos em defesa desses espaços públicos. Não aguentamos mais arrumar e dias depois ou às vezes no mesmo dia esses vândalos praticarem esses atos. Vandalismo custa nosso tempo, custa nosso dinheiro”, concluiu.

Pichações entre outros atos de vandalismo e até furtos estão acontecendo também em outros espaços públicos, conforme explicou o presidente do DEC

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br