COAC: Mais de 500 pessoas prestigiaram a palestra de Eduardo Shinyashiki

http://www.minhasaojose.com.br

Cursos também abordaram temas polêmicos como a Multiparentalidade, tema atual e pouco conhecido pela sociedade

Reportagem e texto: Natália Tiezzi Manetta

A segunda noite do COAC – Congresso Acadêmico do Conhecimento, promovido pela UNIP Rio Pardo contou com grandes nomes, que palestraram entre os 15 cursos presentes no evento. Um dos destaques da quarta-feira foi o renomado Eduardo Shinyashiki. O consultor, especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança Organizacional, Educacional e Pessoal discorreu sobre o tema “Abrace sua missão, vença desafios e construa o futuro”.

Mais de 500 pessoas, entre alunos e convidados, assistiram a palestra, que durou duas horas, onde Shinyashiki destacou a importância do profissional definir o caminho a ser seguido diante de mudanças tão rápidas que envolvem seu dia-a-dia. E complementou dizendo que, independente do avanço tecnológico, nada substituirá a experiência humana.

“Entretanto, o que estamos nos acostumando a ver, independente da área profissional, são profissionais que buscam resultados positivos quase que instantâneos, porém com comprometimento medíocre para tal objetivo. Êxito é visão, percepção e, acima de tudo, comprometimento humano”, observou.

Durante a abordagem, Shinyashiki destacou também sobre as quatro principais competências que o bom profissional deve ter e, acima de tudo, saber expressa-las. “A 1ª é a competência pessoal, sendo o domínio de pensamentos, autoconfiança; a 2ª é a competência social, relativa a como esse profissional se comportará diante de seus valores e dos próprios relacionamentos interpessoais; a 3ª competência é a cognitiva: como esse profissional buscará novas estratégias para abrir novos horizontes e a 4ª é a produtiva. O profissional do século XXI precisa entender que seu compromisso não é apenas com a ação que vai promover, mas com as consequências dessa ação”.

O palestrante enfatizou também o poder da comunicação, seja em qualquer instituição, desde o casamento até o trabalho em uma grande empresa ou atrás de um simples balcão. “Tudo de bom é relativo à comunicação e tudo de ruim também é relativo à falta ou falha dela, seja profissional ou pessoalmente falando. Estejamos atentos à ela e, no mais, esteja sempre presente ao presente”, concluiu.

A MULTIPARENTALIDADE E A DECISÃO DO STF

O convidado da noite pelo curso de Direito foi o dr. José Fernando Simão, que é mestre, doutor e livre docente da Faculdade de Direito da USP. Ele discorreu sobre o tema “Multiparentalidade e a Decisão do STF”.

“A partir de decisões do Supremo Tribunal de Justiça, atualmente é possível que uma pessoa tenha dupla paternidade, ou seja, dois pais, sendo o biológico (ascendente genético) e o de criação, aquele que não possui vínculo de sangue. E também é possível que um cidadão que tem em seu registro de nascimento somente o nome do pai de criação inclua o nome do pai biológico. Tudo isso é uma realidade, entretanto é preciso cautela sobre os problemas que a multiparentalidade pode gerar”, observou Simão.

Ele foi enfático ao afirmar que um dos problemas “é o Direito criar vínculo onde não existe de fato”. “Quando o Direito diz assim: você já tem um pai que te criou e você pode arumar outro porque é biológico, na minha opinião, há um equívoco entre ser pai e ser doador de material genético. Acredito que teria sido melhor ter mantido essa distinção entre ascendente genético e pai para não misturar as coisas. Pai não é quem doa material genético é quem cria. O DNA nunca foi relevante. Ele só é relevante em uma única hipótese: quando não há um pai e é preciso investigar a paternidade. Mas, já tendo um, trazer o outro porque ele tem o DNA é um erro entre o que é realmente pai e ascendente genético”.

Ele observou, ainda, que a multiparentalidade pode ser usada apenas para fins patrimonais, sendo um pai biológico que só busca pelo filho em sua velhice por saber que ele tem condições financeiras de lhe garantir uma pensão, por exemplo, ou a situação contrária, onde o filho vai atrás do pai biológico porque sabe que ele tem uma boa situação financeira. “Neste ínterim, o Direito está indo em uma contramão: buscando no material genético uma nova paternidade que no meu entendimento é inútil e pode ser perigosa”, afirmou.

SEGURANÇA DO PACIENTE: DA TEORIA À PRÁTICA

Já o curso de Enfermagem, um dos mais procurados pelos alunos no campus rio-pardense, trouxe três profissionais para explanarem sobre a “Segurança do Paciente: da Teoria à Prática”, entre eles Marina Prado Ramos, Ana Cláudia Martins e Tiago Lazinho Santos.

“Os três abordaram aspectos de como podemos prevenir e reduzir a incidência de erros com relação aos pacientes. Eles abordaram um pouco sobre a legislação que normatiza os processos de trabalho, bem como enfatizaram a importância da capacitação profissional, além de não ter medo, preguiça ou vergonha de olhar para as falhas, reconhece-las ou aborda-las de forma a também reduzi-las”, explicou a coordenadora do curso, Denise Rondineli Cossi Salvador.

Em síntese, ela disse que o enfermeiro precisa olhar para o paciente sempre como sendo “o amor da vida de alguém”.

FISIOTERAPIA: TÉCNICA PARA DOR LOMBAR CRÔNICA

Pelo curso de Fisioterapia, a noite foi uma verdadeira aula teórica e prática de “Técnica Manipulativa Lombar Roll no Alívio de Dor Lombar Crônica”, ministrada e demonstrada pelo professor e fisioterapeuta Veraldo José Varsone.

“Acredito que, além da teoria, a palestra levou à prática entre os próprios alunos, que puderam analisar cada situação apresentada e tirar dúvidas diante de um assunto tão evidente na Fisioterapia e que foi explanado com maestria por Varsone”, afirmou o coordenador do curso Bruno Rossi.

PEDAGOGIA: EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NOS ESPAÇOS ESCOLARES

Três grandes profissionais, sendo a psicóloga Marina Ceres Cardoso, a fonoaudióloga Rosana Siqueira Dias e a pediatra Rebeca Viana de Oliveira participaram de uma Mesa Redonda proposta pelo curso de Pedagogia para discorrerem sobre a “Importância e Atuação da Equipe Multidisciplinar nos Espaços Escolares”.

Cada qual destacando sua atividade profissional dentro do âmbito escolar e que também envolve as famílias, as palestrantes observaram que o maior problema enfrentado pelas escolas atualmente é o fracasso escolar que, segundo elas, é decorrente de vários fatores, que vão desde à questão social, que começa no ambiente familiar, passando por questões culturais, e cognitivas, bem como a própria formação dos professores.

Antes, porém, um teatro foi apresentado aos alunos e convidados na sala correspondente ao curso, uma das mais visitadas e que chamam a atenção no COAC.

NUTRIÇÃO E OS PADRÕES DE BELEZA

“Os Padrões de Beleza na Gênese dos Transtornos Dismórfico Corporal e Alimentares” foi o tema da palestra proferida pela enfermeira Érica de Mattos Sereno durante a segunda noite do curso de Nutrição no COAC.

A coordenadora do curso, Rosina Gabriela Agliussi, fez uma avaliação muito positiva do Congresso. “As palestras do Curso de Nutrição estão colaborando grandemente para a formação dos alunos e para a atualização de ex- alunos. A palestra da enfermeira Érica, por exemplo, nos mostrou como esses padrões de beleza podem interferir negativamente na saúde física e mental das pessoas, nos levando à reflexão de como nós, nutricionistas, podemos contribuir para a reabilitação desses pacientes, de forma gentil e amorosa, devolvendo a eles o prazer em se alimentar através de uma relação saudável entre o corpo e o comer”, finalizou.

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores minhasaojose@uol.com.br