Hotel Paulista completa 50 anos com a família Germek

http://www.minhasaojose.com.br

Compra foi efetivada dia 19 de setembro de 1969, pelo saudoso Orlando Germek

O centenário Hotel Paulista, um dos mais tradicionais da cidade, completa 50 anos de propriedade da família Germek. A compra do mesmo, que incluiu o imponente prédio, foi efetivada dia 19 de setembro de 1969 pelo saudoso senhor Orlando Germek.

Desde então, o hotel pertence à família e são muitas histórias para contar neste meio século. Em entrevista ao site, a querida dona Naziha Germek, viúva do senhor Orlando, que sempre esteve à frente da administração do Paulista, contou algumas dessas passagens e se emocionou relembrando memórias do passado, que se misturam ao presente e, agora, ao futuro do hotel, já que desde 2012 ele está sendo administrado pela filha, Luciana Germek, que também participou do bate papo no aconchegante espaço, localizado à rua Dr. João Gabriel Ribeiro, 413. Confiram e se emocionem!

DE HÓSPEDE A PROPRIETÁRIO

“No início da década de 60 morávamos em São Paulo, Orlando era engenheiro de irrigação e vinha para esta região desenvolver projetos para grandes propriedades rurais. Ele passava a semana toda aqui em São José e se hospedava justamente no Hotel Paulista”, contou dona Naziha.

A vida de idas e vindas para São Paulo, já que naquela época o casal tinha seus filhos ainda pequenos, começou a preocupar Orlando, que queria estar mais presente na vida de todos. “A oportunidade surgiu no final dos anos 60, quando Orlando ficou sabendo por um funcionário que o Hotel Paulista estava à venda. Naquela época a família Agliussi era proprietária. Fizemos algumas contas, vendemos alguns bens, e Orlando procurou o senhor Francisco Antônio para tentar fechar o negócio, já que estávamos decididos a viver com nossa família em São José. E, graças a Deus, deu tudo certo. Assumimos o Paulista no final de 1969 e cá estamos até hoje”, disse dona Naziha.

Curiosidade: essa foto, datada de 1904, mostra o troley, que pertencia ao Paulista, que buscava e levava os hóspedes à Estação Rodoviária (Foto cedida por Nelson Simplício)

Aos 85 anos, ela, que é formada em Educação Sanitária pela USP de São Paulo, destacou que não foi fácil o início em São José. “Acho que todo começo é difícil. Ainda mais em uma cidade bem menor que São Paulo, onde estava acostumada a trabalhar em um ramo diferente. Lá trabalhei em dois empregos distintos, porém, com o nascimento dos meus filhos tive que parar de trabalhar por alguns anos. Aqui enxerguei uma oportunidade de voltar à ativa, profissionalmente falando, e ainda ficar perto das crianças, acompanhar o crescimento delas”.

E a família viveu durante 13 anos no prédio do hotel, que na década de 70 era um pouco diferente do que é hoje. “Existia uma parede onde é o atual refeitório que separava os cômodos onde vivíamos do restante do hotel. Foi uma época muito boa, com excelentes recordações”, lembrou, emocionada, dona Naziha.

LIA: 39 ANOS DE DEDICAÇÃO (E BOAS HISTÓRIAS) NO PAULISTA

Atualmente, o hotel conta com uma equipe de 7 funcionários, mas uma delas, Lia, chama atenção pelo tempo de trabalho no local: são 39 anos de amor, dedicação e muitas histórias que ela vivenciou no Paulista.

“Sou auxiliar geral. Aprendi, nestas quase 4 décadas de trabalho, a fazer um pouco de tudo aqui. O Hotel Paulista é minha vida e cuido dele como se estivesse cuidando da minha própria casa, da minha família, pois considero a Germek como sendo parte dela. Tenho muito carinho e respeito por todos”, disse.

Lia no refeitório do Paulista: 39 anos de dedicação, amor e carinho pelo hotel

Ao longo da conversa, Lia se divertiu relembrando algumas histórias. Uma delas aconteceu com um hóspede. “O homem ligou a televisão e colocou num volume tão alto que me incomodou muito. E eu, pensando que ele era surdo/mudo, xinguei, esbravejei… Mas, o hóspede veio e me entregou um bilhete que dizia que ele era apenas mudo… Minha cara caiu de vergonha por te-lo xingado tanto (risos)”.

Lia já até flagrou um grupo de ciganos tentando ‘fugir’ do hotel sem pagar a conta. “Me disseram que um ciganinho estava jogando as roupas da família pela janela, mas neste caso conseguimos flagrar e impedir o calote. Em outra ocasião, também envolvendo os ciganos, apareci na frente de uma delas empunhando uma faca, pois estava na cozinha usando o utensílio, mas a cigana entendeu errado: saiu correndo pelos corredores do hotel, talvez pensando que eu ia mata-la”, recordou, às gargalhadas.

DE VIAJANTES A ARTISTAS FAMOSOS

Muita gente já passou pelos amplos corredores do prédio do Paulista. “Antigamente eram mais famílias ou viajantes que trabalhavam aqui na cidade durante alguns dias. Aqui nunca teve rotina: cada dia era um hóspede diferente, uma nova conversa, uma nova amizade que fazíamos”, destacou dona Naziha.

E muitos famosos também escolheram o hotel para seus dias de descanso. “Temos até um caderno de autógrafos de artistas que já se hospedaram aqui como, por exemplo, o saudoso Chacrinha com suas chacretes, Elis Regina, Titãs, Sérgio Reis, Ritchie, Perla, Munhoz & Mariano. A lista é bem grande”, contou Luciana.

Atualmente, além de famílias que costumam se hospedar durante feriados prolongados, o hotel recebe hóspedes como representantes comerciais, colaboradores de empresas regionais e da capital, além de públicos específicos de eventos sazonais na cidade, como é o caso do Encontro de Antigomobilismo, Motofest, shows covers, etc. “O Paulista fez algumas parcerias com os organizadores destes eventos para atrair os hóspedes”, comentou Luciana.

Além do atendimento e preço, o café da manhã é outra atração à parte do Paulista. “Servimos um café da manhã muito reforçado, que conta com 25 itens e que também já se tornou uma característica e uma tradição do hotel”, destacou dona Naziha.

Dona Naziha e Luciana Germek: Mãe e filha sempre unidas em manter a tradição e implementar a modernidade no Hotel Paulista

TRADIÇÃO E MODERNIDADE: UM NOVO HOTEL PAULISTA

Se o atendimento e a alimentação são referências do Paulista, a estrutura também está conquistando cada vez mais hóspedes. Luciana informou que nos últimos 7 anos o hotel vem passando gradativamente por reformas e adequações, tornando-o mais atrativo para que possa atender todos os públicos.

Atualmente, o Paulista possui 23 quartos em funcionamento e muitos já passaram por essas reformas, entre elas nos pisos, instalação de TV 32 polegadas, duchas e novas pias e louças nos banheiros, etc. “Estamos melhorando a estrutura do hotel aos poucos, mas constantemente. Isso vem acontecendo desde 2012, quando promovemos uma grande reforma, com lajes, etc”.

Ainda, segundo Luciana, mais dois quartos passarão por reformas no próximo mês de maio e, futuramente, as escadarias. “O Hotel Paulista faz parte da vida e história de São José e da nossa família. Temos um amor e carinho muito grandes por ele e, na medida do possível, sempre procuraremos melhorar a qualidade no atendimento aos hóspedes, desde a cozinha até as acomodações, sem deixar de lado suas características peculiares, porém modernizando em alguns aspectos, pois, como já dizia Euclides da Cunha, ‘ou progredimos ou desaparecemos’”, finalizou a administradora do hotel.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br