Empresários do setor da Indústria levantam demandas para qualificação da mão de obra

http://www.minhasaojose.com.br
Durante o encontro, proposto pelo Projeto Rio Pardo 2050, eles abordaram o tema junto ao gerente geral do Senai e a representantes do SESI

Reportagem e texto: Natália Tiezzi Manetta

Em apoio ao fomento da atividade industrial em São José, o Projeto Rio Pardo 2050 promoveu um encontro entre os empresários do setor da Indústria e o gerente geral do SENAI, Adriano César Cardoso, bem como representantes do SESI/SP. A abordagem aconteceu na manhã de sexta-feira, 6, no auditório da Associação Comercial e Industrial, e tratou das demandas de cursos de formação de mão de obra para as empresas rio-pardenses.

Antes, porém, da explanação de Cardoso os empresários presentes puderam conhecer um pouco mais sobre como está ocorrendo o Rio Pardo 2050, inclusive com relação ao desenvolvimento de ações que visam o crescimento do setor industrial em São José como, por exemplo, a construção de um novo Distrito Industrial, já que boa parte dos empresários clamam por mais e novos espaços para poderem aumentar o espaço físico de suas empresas.

Em entrevista à assessoria do Projeto, Cardoso destacou que uma das maiores dificuldades dos empresários é encontrar colaboradores que possuam formação escolar básica. “Acredito que a falta de escolaridade básica é um grande desafio para os empregadores. Grande parte dos colaboradores de grandes empresas não possuem nem mesmo o Ensino Fundamental”, afirmou.

Além de Cardoso, representando o SENAI, representantes do SESI também estiveram presentes ao Encontro

O apontamento do gerente geral do SENAI foi de encontro a algumas dificuldades que os empresários rio-pardenses que estiveram na reunião presenciam no dia-a-dia com relação à qualificação da mão de obra. Muitos disseram que, além da falta de escolaridade, essas pessoas não tem a noção mínima de comportamentos e ações básicas relativas ao processo industrial. “Investimos de 3 a 4 meses para ensinar regras até mesmo comportamentais para um colaborador que, às vezes, não se estabelece no trabalho. Isso é uma grande dificuldade que temos com relação à qualificação profissional”, destacou um dos empresários.

O grupo também questionou Cardoso quanto à instalação de uma Escola do Senai em Rio Pardo visando à qualificação. “Muitas vezes a escola não é o caminho para atender as demandas do município. O que o SENAI está propondo em diversas cidades é a criação de Postos Avançados de Treinamento para suprir as necessidades, que muitas vezes são pontuais, das indústrias com relação à mão de obra. Por isso é tão importante que vocês, empresários, levantem essas demandas e nos informem quanto às necessidades das indústrias rio-pardenses. Só assim poderemos traçar estratégias para auxilia-los nesta questão da qualificação”, destacou Cardoso.

Neste íterim, o projeto Rio Pardo 2050, por meio da Agência de Desenvolvimento, se comprometeu a auxiliar os empresários, sendo uma ponte entre eles e o SENAI. “Agora é o momento de nos unirmos e essa união também precisa ser feita com o Projeto Rio Pardo 2050. Um auxiliará o outro não apenas nesta questão da mão de obra, mas em inúmeras outras que envolvem um objetivo comum: o fortalecimento do setor industrial rio-pardense e, obviamente, a geração de empregos na cidade”, ressaltou o empresário Marco Guardabaxo.

Ao final do encontro, os empresários se comprometeram a fazer um levantamento sobre as demandas de qualificação de mão de obra dos colaboradores ativos e nas áreas em que ainda vão contratar para encaminhamento ao SENAI.

Durante o Encontro, os empresários locais tiveram a oportunidade de conhecer o Projeto Rio Pardo 2050 e as ações promovidas para valorizar e fomentar o setor industrial rio-pardense
http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br