Casa Bom Pastor: Um ano de desafios e bons resultados 

http://www.minhasaojose.com.br

Local acolhe crianças e adolescentes que em algum momento sofreram violação de seus direitos 

Reportagem e Texto: Natália Tiezzi Manetta

Os últimos 12 meses na Casa Bom Pastor, cuja mantenedora é a Obra Deus Proverá, foram de muitos desafios, aprendizados e resultados positivos. Em entrevista ao site, o coordenador Ivan Brandão Barbosa e a Assistente Social Rosângela Tinti Lopes, contaram um pouco do dia-a-dia do espaço, que atualmente abriga 8 crianças entre zero e dezoito anos. 

“Quando a Casa foi inaugurada, em 6 de outubro de 2018, tivemos, antes disso, cerca de 15 dias para montá-la e equipá-la conforme todas as normas  legais, Vigilância Sanitária, Orientações Técnicas do Ministério do Desenvolvimento e Conselho Nacional da Criança e Adolescente – CONANDA entre  outros órgãos. Pudemos sentir a solidariedade dos rio-pardenses que nos doaram praticamente tudo que temos aqui hoje, desde a máquina de lavar , geladeira até um balde. Desde o início, a população acreditou em nosso trabalho e nos auxiliou para que a Bom Pastor realmente fosse referência o mais próximo de uma Casa como exatamente se transformou para essas crianças”, destacou a Assistente Social. 

O local é destinado ao acolhimento de crianças e adolescentes que, em algum momento, tiveram seus direitos violados no âmbito familiar, sendo que o abandono e a negligência ainda são as maiores causas que motivam a Justiça a  aplicar a medida de proteção  encaminhando à Bom Pastor. “No início das atividades acolhemos 11 crianças, mas, no decorrer do ano, passaram pela casa 19 crianças/adolescentes. Hoje estamos com 8 crianças/adolescentes e essa redução é excelente, pois mostra que nossos objetivos estão sendo alcançados que são, na verdade, garantir o retorno ao convívio familiar, seja para os pais ( família de origem), para familiares, amigos, padrinhos (família extensa) ou para família substituta com possibilidade de adoção”, explicou Ivan. 

DESAFIOS: APRENDENDO MUITO MAIS QUE ENSINANDO 

Ivan e Rosângela afirmaram que neste último ano aprenderam muito mais do que ensinaram na Casa. “Nosso primeiro desafio foi construir com as crianças e cuidadores as  regras  e funcionamento da Casa, restaurando  a integridade e  a autonomia   de cada criança/adolescente, tudo feito com muito carinho e participação de todos.  Ivan confessou que o trabalho no local é desafiador. “A palavra chave aqui é amor, pois sem ele não há como trabalhar aqui. São vivências que se tornaram grandes aprendizados na minha vida. Hoje, mais do que nunca, sei que o mais importante em nossas vidas é a família”, relatou. 

Para ajudar no dia-a-dia com as crianças, a Casa Bom Pastor conta com uma equipe formada por 17 colaboradores, entre cuidadores/educadores, assistente social, psicólogo, auxiliar de limpeza, cozinheira e dois auxiliares administrativos. “Além dessa equipe, a Casa Bom Pastor trabalha em parceria com rede  pública dos serviços da assistência, da saúde, da educação, como o CRAS, CREAS, Centro de Referência da Saúde Mental, Pediatria, entre outros e com o sistema de Garantia de Direito como Conselho Tutelar, Judiciário e Ministério  Público, além das parcerias da rede privada como escola de futebol, serviços de convivência, escola de artes da comunidade Deus Proverá, dentistas, psicólogos entre outros, garantindo o desenvolvimento integral à criança e adolescentes no período em que estão acolhidos, lembrando que o acolhimento é provisório e excepcional, enquanto a família é trabalhada  pela rede de serviços para receber o filho de volta”, destacou Rosângela.

As crianças que já estão em idade escolar são encaminhadas à escola e recebem reforço na Casa, que também oferece demais atividades. “Todos que aqui são acolhidos têm seu poder de decisão nas atividades. São eles que nos norteiam para que possamos oferecer o que desejam com relação a elas. Muitos fazem futebol, balé, danças, etc. E aqui temos o espaço composto por jogos, livros, e, claro, brinquedos, quadra e piscina”, disse o coordenador. 

Além do encaminhamento de volta às famílias de origem, também conforme análise e decisão judicial, o que mais deixa a equipe feliz e satisfeita é quando as crianças se referem à Casa Bom Pastor como  sua casa. “É muito bom ouvir que aqui é a casa delas, que têm uma casa, principalmente aos amiguinhos da escola, como já aconteceu inúmeras vezes. Acredito que neste 1º ano estamos, aos poucos, alcançando nosso principal objetivo, que é acolher essas crianças da melhor forma possível e fazer com que elas realmente se sintam cuidadas e amadas”, concluiu Ivan. 

VOCÊ TAMBÉM PODE AJUDAR A CASA BOM PASTOR 

Para ajudar na manutenção do espaço, a Casa Bom Pastor promove bazares, mas também recebe auxílio de benfeitores. “Seria impossível manter a Casa sem a ajuda dessas pessoas e quem quiser colaborar, toda a ajuda é bem vinda, inclusive gostaríamos de agradecer a todos que colaboram conosco nesta grande missão, que é a de mantermos esta Casa funcionando 24 horas ininterruptas”, agradeceu Ivan por este primeiro ano vencido. 

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores minhasaojose@uol.com.br