Arte que imita a vida: Jade Silvério encanta ao som do violino

http://www.minhasaojose.com.br
A rio-pardense destacou que além da participação em orquestras, também se descobriu como professora

Entrevista e texto: Natália Tiezzi

Jade Antonia de Oliveira Silvério. A doce menina negra que faz a arte imitar a vida por meio da música, ou melhor, do violino, que encanta plateias e também desperta o sonho artístico em seus alunos é a entrevistada do www.minhasaojose.com.br no “Cadê Você” desta semana.

A jovem se mudou há dois anos para Campinas para estudar música em uma das universidades mais conceituadas do Brasil, a UNICAMP.

Enquanto residiu em São José, Jade, como grande parte dos rio-pardenses, estudou em escolas públicas como a E.E. “Tarquinio Cobra Olintho, E.E. “Profª Stella Couvert Ribeiro”, além da ETEC “Prof. Rodolpho José Del Guerra”.

A vontade de estudar música começou cedo. Jade iniciou os estudos em violino no Conservatório de Tatuí (Polo Rio Pardo), onde permaneceu de 2006 a 2017, sempre incentivada pela família, principalmente pelo pai, além de muitos amigos e professores.

Ao longo da entrevista, a jovem contou sobre os estudos, que deve concluir no 1º semeestre de 2022, a volta para São José devido à pandemia e, claro, os planos para o futuro, que incluem, além do sonho de participar de uma orquestra profissional, ensinar a arte da música para muitas pessoas.

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra.

Jade, por que optou por estudar fora de São José e em quem cidade residiu antes da pandemia?

Jade Silvério: A opção de morar fora aconteceu em 2018, quando passei no vestibular para o curso de bacharelado em violino na UNICAMP, em Campinas. Desde então passei a morar lá e permaneci por dois anos. Por conta da pandemia, as aulas presenciais foram suspensas e voltei a São José.

Jade durante curso de musicalização na Escola Doremização

Qual foi seu primeiro emprego com a música?

Meu primeiro emprego na minha área de formação foi como violinista no grupo Entrelace, que trabalha com casamentos e cerimônias em geral. Trabalho com esse grupo desde 2013! Atualmente, além da Entrelace, também ministro aulas particulares de violino.️

Você teve algum momento especial na música que pode compartilhar conosco?

Acho que o momento mais importante da minha carreira foi quando me mudei pra Campinas. Lá eu pude explorar novos horizontes, sabe… Inclusive foi na Unicamp que descobri que adoro ensinar! Antes eu apenas pensava na área da performance… Acho que essa foi uma grande evolução!

O que é o melhor e o que é o pior em ser musicista?

O melhor na minha profissão é trabalhar fazendo o que mais amo: levando música para as pessoas! Acho que o pior aspecto é o preconceito que muitas pessoas têm para com a nossa profissão. Muita gente não leva o nosso trabalho a sério, sendo que muitas vezes, muitos de nós dependem exclusivamente da música para sobreviver!

Qual foi a principal lição que aprendeu em morar em uma ‘cidade grande’?

A principal lição, de um modo positivo, é que na cidade grande tem muitas diferenças! Culturais, religiosas… A gente já aprende, em uma cidade pequena, sobre essas diferenças. Mas, morando em uma cidade grande, a gente vê todas essas pessoas, várias dessas culturas bem de perto!! E isso é muito legal, porque a gente aprende a expandir nossos horizontes e aprende mais do que apenas o senso comum.

Jade junto a outros músicos em apresentação da Orquestra Comunitária da UNICAMP no Sesc São Paulo

Qual era a sua maior saudade de São José do Rio Pardo quando residia em Campinas?

Aaah, minha maior saudade, com certeza, era a minha família, minha casa, meus bichinhos de estimação! Mas, com certeza, família vem em primeiro lugar!

Essa é uma pergunta difícil: qual é a música que mais gosta de tocar no violino?

Pergunta dificílima! São tantas! Mas a minha favorita para tocar é Perfect, de Ed Sheeran!

Quais são seu planos para o futuro? Voltar a São José faz parte deles?

Bom, num futuro não muito distante pretendo fazer uma pós graduação em Música, lá na Unicamp. E também, se Deus quiser, conseguir uma vaga em uma Orquestra profissional! Sim, pretendo voltar a São José regularmente para visitas os meus familiares, mas que construir uma vida por Campinas ou por São Paulo! Acho que as oportunidades para músicos são maiores nessas regiões. Também pretendo chegar ao exterior, principalmente na Europa, para estudar a música erudita de forma mais aprofundada!

Apesar de tocar milhares de canções, uma delas é sua preferida: “Perfect”, de Ed Sheran
De volta à família em São José: Jade com o irmão e os pais

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br
%d blogueiros gostam disto:
Secured By miniOrange