Novembro Azul: Dr. Ewerson Kemel explica o câncer de próstata, tratamentos e prevenção

http://www.minhasaojose.com.br

O www.minhasaojose.com.br está engajado na Campanha Novembro Azul, cujo mês é dedicado à conscientização e prevenção ao câncer de próstata. E para explicar mais sobre a doença, que é o segundo tipo de câncer que mais acomete os homens, o urologista Dr. Ewerson Kemel de Oliveira, médico credenciado ao SAVISA, respondeu a algumas dúvidas durante entrevista.

Entre outras explicações, ele destacou a função da próstata, quando os homens devem iniciar os exames para detecção da doença e as principais formas de tratamento.
O urologista abordou, ainda, os principais questionamentos de pacientes que chegam ao seu consultório como, por exemplo, se o exame de PSA substitui o exame de toque da próstata, se no caso de retirada da próstata o homem pode ficar impotente, entre outros.
Ele também deixou uma mensagem a todos os homens para este Novembro Azul. “O ‘’TOQUE’’ QUE DOU PARA OS HOMENS NESTE MÊS, SERIA QUE O DIAGNÓSTICO PRECOCE É A ÚNICA FORMA DE GARANTIR A CURA DO CÂNCER DE PRÓSTATA. PORTANTO , CUIDEM-SE!!! AFINAL DE CONTAS A PREVENÇÃO É ESCOLHA SUA, O CÂNCER NÃO!!!”.

Confiram, abaixo, a entrevista na íntegra.

Dr. Ewerson, o que é a próstata e qual a sua função?
Dr. Ewerson Kelmer de Oliveira: A próstata é uma glândula com um formato semelhante a uma noz, que se localizada na região pélvica do homem. Situa-se logo abaixo da bexiga , sendo atravessada pela uretra, canal que se estende desde a bexiga até a extremidade do pênis, por onde a urina é eliminada. Sua principal função é produzir uma secreção fluida para nutrição, proteção e transporte dos espermatozoides, que são originados nos testículos.

O câncer de próstata acomete muito os homens e em que faixa etária ele é mais comum?
O câncer de próstata é muito comum e esta relacionado sobretudo ao envelhecimento masculino. Depois do câncer de pele NÃO MELANOMA, ele é o tumor maligno mais comum nos homens, representando cerca de 10% de todos os cânceres diagnosticados. É a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas.No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), estima-se o surgimento de 65 850 novos casos em 2021. Felizmente, apesar da incidência crescente, observa-se um declínio das taxas de mortalidade, que caíram cerca de 40% nos últimos 15 anos nos países mais desenvolvidos. Essa redução se deve principalmente ao diagnóstico precoce (através do toque retal e do exame de sangue Antígeno Prostático Específico ou PSA) e ao aperfeiçoamento das formas de tratamento. Apesar de poder ser diagnosticado em jovens, inclusive abaixo dos 40 anos, o risco aumenta significativamente após os 50 anos, correspondendo a 40% dos tumores nessa faixa etária.

Quando se deve começar a avaliação para detecção do câncer de próstata? Como diagnosticar a doença?
É aconselhado que todos os homens sem histórico familiar da doença inicie a avaliação a partir dos 50 anos ou aqueles com história de câncer de próstata na família (pai, irmãos, tios) e/ou da raça negra devem iniciar essa avaliação aos 45 anos, devido ao maior risco associado. A avaliação deve ser feita através do toque retal e de dosagens sanguíneas de PSA.Uma vez suspeitado, o diagnóstico de certeza do câncer é feito pelo estudo histopatológico do tecido obtido através da biópsia da próstata. O relatório anatomopatológico deve fornecer a graduação histológica, cujo objetivo é informar sobre a provável taxa de crescimento do tumor e sua tendência à disseminação, além de ajudar no direcionamento do melhor tratamento para o paciente. É importante lembrar que a Ressonância Magnética multiparamétrica (RMmp) tem assumido papel de destaque como estratégia complementar de rastreamento de tumores prostáticos suspeitos, sendo capaz de direcionar com precisão as biópsias  e contribuindo no estadiamento local da doença.

Quais são os sintomas do câncer de próstata?
O câncer de próstata apresenta crescimento muito lento, podendo levar anos para causar algum problema mais sério. Por isso a necessidade do rastreamento. Geralmente em sua fase inicial, o câncer da próstata tem evolução silenciosa podendo muitos pacientes não apresentar nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata (dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou a noite). Já em fase avançada, pode provocar dor óssea, sangramento na urina, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Os homens ainda têm medo, receio ou preconceito do exame prostático? Por quê?
Sim. Acredito que o toque ainda esbarre no fator desinformação e preconceito. Geralmente os homens procuram um médico apenas quando a doença já está em estágio avançado. Pessoalmente, acredito que isso seja um dos fatores que justifique o porquê da expectativa de vida dos homens ser menor que o das mulheres. De fato as mulheres são mais preocupadas e conscientes da necessidade da prevenção. Prova disso é o acompanhamento que fazem com o seu ginecologista desde a adolescência. Procuro sempre mostrar aos meus pacientes que o exame preventivo deve ser encarado da mesma forma que um exame clínico de rotina e que o toque não interfere na masculinidade de ninguém, pelo contrário, é sinal de que o homem está preocupado consigo e com seus familiares.

O exame do PSA substitui o toque de próstata?
É uma das perguntas mais comuns no consultório. A resposta é “Não”. O PSA (Antígeno Prostático Específico) não é um marcador câncer específico ou seja , o seu aumento não necessariamente estará dietamente relacionado ao câncer prostático, podendo estar aumentado em casos de hiperplasia prostática benigna e prostatite por exemplo. Por outro lado, pequenos tumores podem ser percebidos pelo toque e ainda sim não apresentar alterações significativas dos níveis do PSA. Com isso, é importante frisar que tanto o toque retal, quanto a dosagem do psa, se complementam.

Como prevenir o câncer de próstata ? 
Já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar. A idade é um fator de risco importante para o câncer de próstata, uma vez que tanto a incidência como a mortalidade aumenta significativamente após os 50 anos. Pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos pode aumentar o risco de se ter a doença em 8 vezes comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários), quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias. 


Quais os tratamentos para a doença?
Os meios de tratamento são amplos, porém a escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após discutir os riscos e benefícios com o seu médico. Para doença localizada, a cirurgia, radioterapia e até mesmo observação vigilante (em algumas situações especiais) podem ser oferecidos. Para doença localmente avançada, a radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamento hormonal têm sido utilizados. Para doença metastática (quando o tumor original já se espalhou para outras partes do corpo), o tratamento inicial é a terapia hormonal. Abro um parêntese para enfatizar a importância e o impacto da cirurgia Robótica no tratamento dessa patologia. Além de oferecer maior precisão e refino nos movimentos através dos braços robóticos, o cirurgião apresenta uma visão tridimensional, dando uma maior amplitude do campo cirúrgico. Isso impacta positivamente na melhor delimitação da anatomia cirúrgica, minimizando assim suas complicações (sangramentos, incontinência, impotência e tempo de internação). Infelizmente essa é uma tecnologia que ainda apresenta um alto custo, não sendo contemplada no SUS e convênios.

No caso de retirada da próstata, o homem pode ficar impotente?
É importante informar aos pacientes que como qualquer cirurgia há as complicações inerentes ao procedimento, porém o objetivo maior é, de fato, o tratamento do câncer. A lesão da inervação responsável pela ereção e a musculatura responsável pela continência, muitas vezes ocorrem pelo comprometimento tumoral dessas estruturas, o que de fato prova que quanto mais precoce é feito o diagnóstico, melhor poderá ser os resultados pós operatórios, tanto na margem oncológica quanto na parte funcional. Um outro ponto a ser lembrado é que a disfunção erétil pode estar relacionada a problemas anteriores ao tratamento cirúrgico (como diabetes, dislipidemia, fumo, sedentarismo…), o que poderá agravar ainda mais a sua vida sexual. Trabalhar a parte psicológica e olhar o paciente como um todo é fundamental, afinal de contas, todo o contexto envolvido é impactante .

Para finalizar, que mensagem o Dr. deixaria aos homens neste Novembro Azul?
O ‘’ TOQUE’’ QUE DOU PARA OS HOMENS NESTE MÊS SERIA QUE O DIAGNÓSTICO PRECOCE É A ÚNICA FORMA DE GARANTIR A CURA DO CÂNCER DE PRÓSTATA. PORTANTO , CUIDEM-SE!! AFINAL DE CONTAS A PREVENÇÃO É ESCOLHA SUA, O CÂNCER NÃO !!!

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br
%d blogueiros gostam disto: