Doenças oculares na infância: Dra. Denise Ferreira alerta aos pais a ficarem atentos com as crianças

http://www.minhasaojose.com.br
A oftalmologista também falou sobre o uso de telas, que podem comprometer a saúde ocular infantil

Entrevista e texto: Natália Tiezzi

As doenças oculares também acontecem na infância e o advento da tecnologia tem aumentado o percentual de crianças e jovens com comprometimento da saúde ocular, principalmente pelo uso cada vez mais constante e precoce das telas (computadores, celulares, tablets, etc).

Para falar um pouco sobre as principais doenças, tratamentos e a importância dos pais e responsáveis ficarem atentos com relação à visão dos filhos, o www.minhasaojose.com.br entrevistou a oftalmologista Denise Frozaglia Ferreira. Ela destacou também os tratamentos mais comuns, além de recomendar que as crianças frequentem o oftalmologista desde pequenas para orientações e prevenção a algumas doenças oculares.

Denise reforçou a ideia de que as crianças precisam se expor mais ao ar livre, o que pode ocorrer com a realização de atividade física, por exemplo, do que utilizando apenas as telas para diversão e entretenimento, uma vez que doenças como a miopia, por exemplo, está acometendo crianças que realizam uso excessivo de telas e têm pouca exposição ao ar livre.

Denise recomendou que a crianças frequentem o oftalmologista desde pequenas para orientações e prevenções

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra.

Dra. Denise, quais são as doenças oculares mais comuns na infância?

As mais comuns são: ametropia (presença de grau), estrabismo e conjuntivites (alérgicas ou infecciosas).

Quais fatores podem desencadea-las?

Ametropias: genética , uso excessivo de telas, pouca atividade ao ar livre.

Estrabismo: genética, grau alto e defeitos congênitos da visão.

Conjuntivite: alergias ou infecções.

Como os pais podem detecta-las nas crianças?

O ideal é consultar regularmente um oftalmologista desde os primeiros anos de vida.

Os pais devem observar o comportamento visual da criança: se aperta os olhos, chega muito perto dos objetos para enxergar, apresenta desvio do olhar nas fotos, coça muito os olhos ou apresenta secreção ocular.

Quais são os sintomas mais comuns dessas doenças oculares?

Os sinais descritos acima são os mais comuns de serem percebidos. Além disso, também a participação na sala de aula pode estar comprometida se a criança não enxerga bem.

E os tratamentos mais indicados para essas doenças?

Cada caso tem sua particularidade, mas a maioria é resolvida com óculos, tampão ou uso de colírios.

É importante não esperar a criança se queixar, pois elas têm pouca percepção de alterações que possam existir. Sempre faça visitas regulares ao oftalmologista.

Já foi detectado um aumento da incidência de miopia em crianças que realizam uso excessivo de telas e têm pouca exposição ao ar livre

Vamos falar sobre as telas. Quanto tempo, em média, uma criança pode permanecer por dia à frente de computadores, tablets e celulares?

A recomendação varia de acordo com a idade da criança: até dois anos não é recomendado contato com telas. Entre 2 e 5 anos, pode-se utilizar tela por até 1 hora ao dia e, acima dessa idade, 2 horas ao dia. Sempre é importante estimular atividades ao ar livre de moderada intensidade por em média 1 hora ao dia.

E quais os malefícios que a exposição por muito tempo às telas pode causar aos olhos?

Quanto à visão, já foi detectado um aumento da incidência de miopia em crianças que realizam uso excessivo de telas e têm pouca exposição ao ar livre. Além desses malefícios, é pertinente comentar que o uso de telas está associado também à mudança de constituição cerebral nas crianças e a um aumento de incidência de distúrbios de humor, insônia, obesidade e doenças na vida adulta, como hipertensão, diabetes, depressão.

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br