Atleta rio-pardense conta como o Esporte transformou sua vida

http://www.minhasaojose.com.br
Cassiano Alfredo iniciou na Canoagem há 10 anos por meio do extinto Projeto Shalom

Reportagem e Texto: Natália Tiezzi Manetta

O esporte muda os caminhos, muda o ser humano e o transforma, verdadeiramente, em cidadão. Parece clichê, mas foi exatamente assim que aconteceu na vida de Cassiano Alfredo, um jovem que, segundo ele próprio “se não fosse o esporte provavelmente teria se perdido em caminhos que não levam a lugar algum…”.

E quantos foram os caminhos, por meio de muitas e muitas corredeiras, que Cassiano passou nos últimos 10 anos. Ele é o único atleta rio-pardense de Canoagem, estilo Slalom, em competição.

Esse esporte não tão comum quanto o futsal e a capoeira, os quais Cassiano já havia praticado, entrou na vida do jovem de 25 anos pela insistência dos primos. “Eles frequentavam o Projeto Shalom e sempre me chamavam para fazer Canoagem. Nessa época eu tinha uns 13 anos e minha mãe morria de medo por conta do rio, etc, mas um dia decidi ir com eles e me apaixonei pelo esporte. Aprendi a nadar, fiz novos amigos e tive a oportunidade de competir em muitos lugares que, sem o esporte, acredito que jamais conheceria”, afirmou Cassiano.

Já em 2009, Cassiano formou dupla com o primo, Wellington, para participar dos campeonatos paulista e brasileiro. “O Projeto Shalom era o patrocinador, juntamente com o DEC, que sedia o treinador, no caso o José Ricardo Lopes, uma pessoa muito especial, que me ensinou os primeiros passos, ou melhor, as primeiras remadas, na Canoagem. Foi através desses campeonatos, ocorridos em 2009, que conhecemos Hilário Neves, um treinador de Piracicaba que ficou impressionado com o nosso desempenho e potencial. Ele nos convidou para treinar no Rio Grande do Sul e lá participamos de alguns campeonatos, inclusive conquistamos vaga para o Sul Americano na Colômbia onde sagramos campeões”, contou Cassiano.

A partir daí o mundo passou a conhece-los. Uma das competições marcantes para Cassiano foi a seletiva para as Olimpíadas Rio 2016. “Uma das etapas foi no Brasil, onde conseguimos a classificação numa disputa muito acirrada. A segunda foi na Europa, porém não obtivemos êxito, entretanto conhecemos locais incríveis para a prática da Canoagem na Itália, Espanha e França, inclusive canais artificiais. Esses países valorizam e investem muito na modalidade”.

Cassiano e o primo, Wellington, durante a seletiva para as Olimpíadas Rio 2016

A IMPORTÂNCIA DOS PROJETOS SOCIAIS AOS JOVENS

Muito mais do que persistência, disciplina, empenho e dedicação, o esporte contribuiu para o futuro de Cassiano. “E foi por meio do saudoso Projeto Shalom, que frequentei por 13 anos, que tudo isso aconteceu. Lá, além da Canoagem, aprendi Inglês com o professor Davi, a conviver e a lidar com todo tipo de gente, o que me fez crescer muito, tanto pessoal, quanto profissionalmente falando, além de ter sido um incentivo para que eu continuasse os estudos. Acho que se o Shalom não tivesse existido na minha vida provavelmente eu teria me perdido, pois o caminho ruim, principalmente para as drogas, é muito fácil entrar e difícil sair”, observou.

Atualmente Cassiano está concluindo o curso de Fisioterapia pela UNIP Rio Pardo e é estagiário da Clínica Siqueiramed. “Me divido entre os treinamentos da Canoagem e os estudos. Confesso que estou com o coração também dividido entre qual caminho seguir após concluir a faculdade”, disse.

Atualmente, o incentivo que Cassiano tem para continuar a prática da Canoagem é por meio do Instituto Prefeito Lupercio Torres, porém o atleta está em busca de novos parceiros, pois quer realizar um sonho: participar das Olimpíadas de 2024. “A próxima competição que almejo participar será a Copa Brasil de Canoagem Slalom, em novembro, na cidade de Tomazina, no Paraná. Infelizmente não conseguirei participar do Campeonato Brasileiro que será em outubro em Foz do Iguaçu. A logística é difícil, além dos valores da viagem, mas ainda tenho o sonho de participar de uma Olimpíada. Estou treinando intensamente para 2024. Sei que vou conseguir”, afirmou.

Cassiano, ocupando o 1º lugar no pódio, categoria c2 senior, no Campeonato Brasileiro de 2016

Para finalizar, Cassiano disse que São José precisa de mais projetos sociais voltados aos adolescentes, principalmente que incentivem à prática esportiva. “Os valores que o esporte passa são únicos, para toda a vida e ela cobra muito… Acho que os projetos sociais e os esportes precisam estar sempre juntos e aqui na cidade, como em qualquer outro lugar do mundo, são essenciais para passar esses valores aos jovens. O que aprendi no Shalom e com a Canoagem aplico no meu dia-a-dia , pois são lições de cidadania e respeito que jamais esquecerei”, concluiu.

Cassiano junto à equipe brasileira no mundial de Canoagem Slalom em 2014, disputado em Maryland – EUA

Quem quiser e puder ser um parceiro do jovem atleta, o contato de Cassiano é (19) 9-9432-1620, ou pelo Facebook: Cassiano Vieira Alfredo.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br
%d blogueiros gostam disto:
Secured By miniOrange