Turismo e Polos Econômicos: Temas foram apresentados e discutidos pelo RP 2050

http://www.minhasaojose.com.br

Texto: Natália Tiezzi

Desde o início do mês o Projeto Rio Pardo 2050 está promovendo encontros virtuais para abordar as principais áreas destacadas a partir dos dados obtidos por meio do Diagnóstico Socioeconômico de São José do Rio Pardo.

O Diagnóstico Socioeconômico do município, que foi realizado pela Agência de Desenvolvimento Regional Leste Paulista e Sul de Minas, integra uma das etapas do plano de trabalho do Rio Pardo 2050 e se constitui no levantamento de dados e informações que permite a leitura da situação atual do município. Estes dados são objeto de estudos que, aliados aos dados dos inventários efetuados com a população, juventude, consumidores e setores econômicos darão condições ao Grupo Focal de propor o plano estratégico de desenvolvimento e geração de emprego e renda para a população de São José do Rio Pardo.

As lives contaram com a participação de membros do Grupo Focal, Agência de Desenvolvimento Regional, Poder Público (Prefeitura), além de representantes de instituições e convidados ligados às áreas abordadas.

Essas reuniões on line não servem apenas para apresentar os dados com riqueza de detalhes aos participantes, mas também para ouvir de cada grupo e instituição presente quais as adaptações, correções e sugestões para que as ações que farão parte do Diagnóstico Socioeconômico obtenham êxito a médio e longo prazo.

A partir da troca de ideias e informações, todas estas propostas são incorporadas ao projeto, para que possam ser apresentadas à população, que também pode e deve participar com apontamentos e sugestões.

Nesta semana foram apresentados e discutidos mais dois temas, a começar pelo Turismo. Em São José, esse setor é focado principalmente na obra do escritor Euclides da Cunha, com realização de eventos como a Semana Euclidiana, entre outros eventos que movimentam a atividade turística. Entretanto, a cidade também possui muitos atrativos como o Rio Pardo e toda sua orla que corta a cidade, cachoeiras, propriedades rurais históricas, trilhas em estradas rurais, além da produção de artesanato e de diversas atividades culturais, todas com grande potencial para exploração de novas atividades turísticas ampliadas, proporcionando maior desenvolvimento do setor no município, com geração de novos empregos e renda aos rio-pardenses.

A segunda abordagem foi em torno dos Polos Econômicos de São José. Esses Polos contemplam ações de desenvolvimento baseadas em seis eixos, que são a simplificação tributária, financiamento competitivo, qualificação de mão de obra, infraestrutura básica para o desenvolvimento de negócios, criação de um ambiente otimizador de negócios e a desburocratização. Entre os Polos definidos para a cidade estão o Metal-metalúrgico, Máquinas e Equipamentos; Alimentos e Bebidas; pela região administrativa do Estado de São Paulo – Papel, Celulose e Reflorestamento, além do Químico, Borracha e Plástico.

Para todos os rio-pardenses que desejam conhecer e contribuir com sugestões ao projeto que norteia o Rio Pardo 2050, ou ainda com a consulta aos diagnósticos Urbano e Socioeconômico, basta acessar as páginas oficiais:

Facebook: https://www.facebook.com/ADRP2050

Instagram: https://instagram.com/projetoriopardo2050

Linkedin: https://www.linkedin.com/company/projeto-rio-pardo-2050/

Website: www.riopardo2050.com.br

A comunidade também pode contribuir com sugestões pelo e-mail: adrp@riopardo2050.com.br

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br