CIDADECULTURADESTAQUE

Semana Euclidiana pode se tornar Patrimônio Imaterial de Rio Pardo

http://www.minhasaojose.com.br

Na tarde de quinta-feira, dia 26, foi promovido um Encontro na Câmara Municipal que abordou a possibilidade de tornar a Semana Euclidiana em Patrimônio Imaterial. Além da presidente da Casa de Leis, do vice-presidente, vereadores Lúcia Libânio e vereador Gabriel Navega, respectivamente, e do procurador jurídico Dr. Jader Speranza, também participaram da reunião a Curadora da Casa Euclidiana, Ana Paula Lacerda, o Secretário Municipal de Cultura e Turismo, Mauro Buzzato Amaral, a Gestora de Cultura, Yura Apoli e membros do Conselho Euclidiano.

O Patrimônio Imaterial é uma distinção criada em 1997 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura para a proteção e o reconhecimento do patrimônio cultural imaterial, abrangendo as expressões culturais e as tradições que um grupo de indivíduos preserva em respeito da sua ancestralidade, para as gerações futuras. São exemplos de patrimônio imaterial: os saberes, os modos de fazer, as formas de expressão, celebrações, as festas e danças populares, lendas, músicas, costumes e outras tradições.

E, sendo assim, a Casa Euclidiana manifestou interesse em tornar a Semana Euclidiana um Patrimônio Imaterial devido sua relevância cultural e educacional no Brasil, sendo a comemoração promovida anualmente no mês de agosto em São José do Rio Pardo.

“Aqui em Rio Pardo há uma peculiaridade com relação à preservação cultural que é algo enraizado na população, O Movimento Euclidiano rio-pardense que existe há 111 anos no município e a Semana Euclidiana, que ocorre desde 1938, fazendo parte da identidade cultural do rio-pardense – um legado que atravessa gerações e uma responsabilidade da cidade resguardar o euclidianismo para a cultura do país. E, sabendo que a Câmara Municipal trabalha também para a preservação e valorização de nossos bens culturais, promovemos este Encontro para pedir o apoio da Casa em mais esse sonho que gostaríamos de realizar”, disse Ana Paula.

Ela observou que a reunião foi muito proveitosa, pois o grupo também pode explanar aos vereadores alguns conceitos e objetivos da Semana Euclidiana, que vão muito além de apenas sete dias de evento cultural, mas que abrange o Movimento Euclidiano, que atravessa as fronteiras rio-pardenses. “Temos certeza que a Câmara apoiará essa ideia de tornar a SE um Patrimônio Imaterial, o que contribuirá para manter viva a chama do euclidianismo às futuras gerações, solidificando São José do Rio Pardo como uma referência para o Brasil e o mundo do que é a Semana Euclidiana e sua importância à Educação e Cultura”, concluiu a Curadora da Casa Euclidiana.

Cultura e Euclidianistas pediram o apoio da Câmara Municipal para tornar possível que a S.E. torne-se Patrimônio Imaterial

Texto: Natália Tiezzi – Assessoria Parlamentar da Câmara Municipal

http://www.minhasaojose.com.br