O poder da mente: Você é uma pessoa positiva ou negativa?

http://www.minhasaojose.com.br

O teólogo e comunicador Edu Cunha afirmou que ver, ouvir e vivenciar muitas coisas ruins podem interferir no comportamento das pessoas

Reportagem e Texto: Natália Tiezzi Manetta

Quando nossas avós diziam que coisa ruim atrai coisa ruim elas não estavam tão erradas. Ver, ouvir, presenciar coisas e fatos negativos mexem com a mente do ser humano e isso já é comprovado pela ciência. E, infelizmente, essa negatividade está cada vez mais presente em nosso cotidiano: seja no jornal, na Internet, na televisão. Já perceberam que as notícias ruins muitas vezes se sobrepõem às boas? Para muitos pode passar despercebido, mas, sim, o que é ruim influencia a nossa mente.

Para falar um pouco sobre o poder mental e como podemos utiliza-lo de forma positiva para melhorar nossa qualidade de vida, convidamos o teólogo e comunicador Edu Cunha, que há anos lida com todos os tipos de público, desde os adolescentes até pessoas com mais idade e vivências.

“Essa massificação ao negativo pode trazer muitas consequências ruins e até desencadear algumas doenças como a depressão, a ansiedade. E isso devido à atenção que dispensamos à negatividade diariamente”, destacou.

Em suas palestras, que ministra em escolas, universidades e empresas, Edu Cunha disse que vem percebendo duas características marcantes na platéia, independente da idade: a intolerância e a tristeza. “Somando-se a essa onda de negatividade nos meios de comunicação, o ser humano está mais intolerante com o próximo. Geralmente quer tudo do seu jeito, não tolera os erros do outro. Age como se fosse perfeito e espera sempre a perfeição e quando isso não acontece se frustra. O mesmo acontece com relação à tristeza. Muitas vezes as pessoas ja começam o dia ligando a televisão, vendo e ouvindo notícia ruim. Vai para a Internet e é a mesma coisa, sendo que muitas vezes compartilham o que é ruim. Agora lhe pergunto: como ter um dia bom se você já começa assim, com toda essa carga negativa?”, questionou.

Além disso, as redes sociais também contribuem para essa negatividade no ser humano. “Geralmente, nas redes sociais os perfis destacam a felicidade, estampada em rostos sorridentes, pessoas bem resolvidas, enfim, um mundo perfeito. Porém, sabemos que não é bem por aí. E muitas pessoas se frustram com a ‘felicidade’ alheia. É aquele velho ditado: “a grama do vizinho é sempre mais bonita que a minha”. Isso tem levado muitas pessoas a comportamentos depressivos e até suicidas. A ‘tal felicidade’ estampada nas redes sociais também pode ter um efeito negativo na vida de muita gente que não sabe lidar com suas próprias emoções.

Mas, como lidar com essa enxurrada de coisas ruins às quais estamos rodeados, inclusive retratadas e compartilhadas exaustivamente na Internet? “Óbvio que não dá para fechar os olhos e imaginar ou viver num mundo colorido, onde tudo dá certo o tempo todo, mas é preciso equilibrarmos e filtrarmos o que é bom e ruim, dando preferência, se possível, ao que é bom, ao que é positivo. Confesso que há anos não acompanho telejornais sensacionalistas e prefiro sempre buscar conteúdos que me agreguem, tanto como ser humano, quanto profissional. Acredito que temos que ver, ouvir e buscar ao máximo aquilo que nos remeta à paz, à superação e ao bem, seja ele ao próximo ou a nós mesmos. Nossa mente influencia nosso corpo e nossa alma, portanto, quanto mais positiva ela seja ‘alimentada’, mais conseguiremos o equilíbrio para nossas emoções”, finalizou Edu Cunha.

DE LOCUTOR A TREINADOR DE MENTES

Edu Cunha iniciou sua vida profissional como locutor em diversas rádios, além de também apresentar programas de televisão na região, bem como cerimoniais para inúmeras empresas e instituições. Entretanto, em 2016, deu mais ênfase às locuções e videos comerciais e atualmente possui seu estúdio para gravações.

A oratória, bem como a busca pela formação em coach holístico se deu após notar a demanda do mercado para este fim. “As primeiras palestras que ministrei foram sobre oratória, mas sempre quis agregar valor ao meu trabalho e por isso busquei a Certificação Professional em Mentoring e Coaching Humanizado pelo Instituto Holos, em Santa Catarina. Graduei em Teologia com extensão em Comunicação e Oratória e agora estou complementando meus estudos em Filosofia para poder oferecer sempre algo a mais ao público, bem como às pessoas que me procuram para atendimentos individuais”, destacou.

Entre os principais assuntos abordados em suas palestras e atendimentos estão a motivação, a positividade e a busca pelo desenvolvimento pessoal por meio do conhecimento e da superação. “Acredito que a Inteligência Emocional, um termo que está muito em evidência ultimamente, seja a chave para o equilíbrio que tanto buscamos, seja na vida pessoal ou profissional. E isso nada mais é que usar de nossas habilidades e aprender a desenvolve-las para não ferir nossas emoções, já tão feridas em um mundo tão negativo. Portanto, como disse e repito: busque algo que lhe dê prazer. Troque a leitura da notícia ruim por um poema, um livro, vá a uma palestra, uma apresentação com boas músicas, assista a um filme que te faça refletir, que lhe traga algo que te acrescente positivamente. Treine sua Inteligência Emocional com as coisas mais simples da vida, uma refeição ou um papo com quem admira e ama, um passeio, contemplar a natureza, são situações que estão ao seu alcance”, concluiu.

Para quem quiser acompanhar um pouco do trabalho desenvolvido por Edu Cunha, o Instagram é @educunha_oficial

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores minhasaojose@uol.com.br