Maternidade real: As dificuldades em emagrecer após a gestação

http://www.minhasaojose.com.br
A Nutricionista Marina Fechio explica que a melhor maneira de evitar o sobrepeso na gravidez e pós parto é por meio do acompanhamento nutricional

Reportagem e texto: Natália Tiezzi Manetta

A maternidade é o sonho de muitas mulheres, isso é fato. Entretanto, boa parte delas sofre antes, durante e, principalmente, após o parto com o peso, inclusive a dificuldade em voltar ao peso ideal após a gravidez.

Para esclarecer algumas dúvidas acerca do tema, a reportagem conversou com a nutricionista Marina Fechio, que atende muitas gestantes e mamães em seu consultório que estão acima do peso e que têm dificuldades em emagrecer após a gestação.

Segundo Marina, a educação alimentar da mulher deve começar antes mesmo da gravidez. “Recomendo que asism que a mulher decidir engravidar ela busque auxílio com um nutricionista para adequar a alimentação, vitaminas, inclusive com relação ao ácido fólico e demais nutrientes”, recomendou.

Entretanto, esse acompanhamento também pode ser feito durante a gestação e após o parto. “É importante destacar que se a mulher já engravidou com sobrepeso mais dificuldade ela terá em emagrecer no pós parto. Por isso é tão importante esse acompanhamento nutricional desde antes da gravidez”.

Além da alimentação, outros fatores podem levar à dificuldade no emagrecimento pós parto. “O desequilíbrio hormonal é um deles, além da alteração da rotina da mamãe, que, muitas vezes, altera o sono e acaba optando por uma alimentação rápida, porém com baixa qualidade nutricional; a ausência da amamentação tamb´m pode dificultar esse processo, já que amamentar aumenta até três vezes o metabolismo da mulher”.

Além da saúde da mãe, o acompanhamento nutricional também garante a qualidade na saúde do bebê. “Tudo que a mãe consome na gestação vai passar para o bebê, assim como após a criança nascer durante a amamentação. Hoje, o papel do nutricionista vai muito além de auxiliar as mamães a emagrecer no pós parto, mas ajuda a garantir uma alimentação saudável também para os bebês desde a amamentação”.

Marina também chamou a atenção para as ‘dietas milagrosas’ que algumas mamães fazem no pós parto. “Dietas restritivas não funcionam e ainda geram compulsão. Se os resultados não estão sendo obtidos, procure orientação profissional: é mais seguro e o resultado é garantido”.

GISELA: ELA PERDEU 20 QUILOS APÓS O PARTO

Paciente de Marina, a mamãe Gisela Gonçalves Ribeiro Nogueira é um exemplo de que com uma alimentação adequada é possível voltar ao peso ideal após a gestação. “Procurei o auxílio da nutricionista pois estava muito acima do peso quando tive minha filha e isso me deixava indisposta para tudo. Além disso, minha autoestima estava muito baixa”, disse Gisela.

Ela cOnfessou que antes de seguir um plano alimentar adequado às suas necessidades fez muitas ‘dietas milagrosas’, que não deram resultado. “Não conseguia manter o peso. Vivia naquele efeito sanfona”, observou.

Gisela perdeu 20 quilos de forma saudável por meio de uma reeducação alimentar. “Hoje mudei meu estilo de vida. Tenho muito mais disposição, estou muito mais saudável. Fiz a reeducação alimentar, sem sacrifício e consegui superar a minha meta”, destacou.

O antes e o depois do acompanhamento nutricional com a paciente e mamãe Gisela: 20 quilos a menos e uma vida mais saudável

Marina ressaltou que antes de traçar um plano alimentar para uma gestante ou no pós parto é necessário, como acontece com todos os seus pacientes, que as mamães passem por exames para avaliar quais são os problemas que estão ocasionando a dificuldade em perder peso. “Como já citei, o desequilíbrio hormonal e a própria rotina alterada por conta do bebê pode influenciar na dificuldade em eliminar ou no ganho de peso. Por isso não é apenas a alimentação que deve ser avaliada, mas um conjunto de fatores para que sejam equilibrados e a paciente obtenha um resultado positivo”, concluiu.

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br