Mais uma missão: Comunidade Deus Proverá assume a gestão da Casa Esperança

http://www.minhasaojose.com.br
A Casa Esperança fica no bairro Santo Antônio, passou por adaptações e reformas para acolher as pessoas em situação de rua. (Foto: Prefeitura)

A Comunidade Católica Deus Proverá assumiu, desde o dia 1º de janeiro, a gestão da Casa Esperança, mantida pela Prefeitura e que tem o propósito de acolher pessoas em situação de rua.

A nova parceria surgiu após chamamento público – uma modalidade licitatória. A Casa Esperança é mantida com recursos do município, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Inclusão Social. O objetivo é manter e desenvolver estratégias e ações que já estavam em andamento, visando assegurar os atendimentos a moradores de rua, oferecendo-lhes oportunidade de novos projetos de vida.

A titular da Secretaria de Assistência e Inclusão Social, Talita Salomão, destacou que a Comunidade Deus Proverá conta com larga experiência nesse tipo de ação social, o que a qualifica para gerir a Casa Esperança, um projeto cuja manutenção e aperfeiçoamento serão mantidos a todo custo pela Prefeitura, segundo também informou a secretária da pasta.

Desde que foi inaugurada, em 2021, a gestão da Casa Esperança estava sendo promovida pelo PEVI, sob a coordenação de Terezinha Presti da Silva, que desenvolveu excelente trabalho à frente da mesma.

A Deus Proverá assumiu a Casa, sendo mais um desafio e honra à Comunidade, como dito pelo fundador e presidente, Irmão Rodrigo Dias. “Certamente a Casa Esperança é mais um desafio que assumimos com alegria, discernimento e fé. Sabemos da complexidade do trabalho e das intempéries do tempo presente, porém, são nossos Irmãos e Irmãs. Queremos, dentro de nossas possibilidades, acolher, cuidar e encaminhar. São homens e mulheres em situação de pobreza extrema, com vínculos familiares interrompidos ou fragilizados. Muitas vezes utilizando de logradouros públicos e de áreas degradadas como espaço de moradia e de sustento. A pessoa em situação de rua deve ser compreendida como pessoa humana, detentora de direitos. Os órgãos de Estado e a sociedade civil organizada devem ir ao encontro desse público buscando garantir todos os seus direitos, viabilizando meios para a superação da situação de rua, oferecendo o apoio necessário, inclusive o acolhimento. Essa é a nossa Missão! ACOLHER! Sabemos que sozinhos não conseguiremos e nem almejamos. A unidade é sempre uma potência! Contamos com o apoio de todas as pessoas de bem, assim como dos poderes públicos”, disse Irmão Rodrigo em carta aberta e publicada em suas redes sociais.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br