Doenças emocionais, Casa de Apoio em Barretos, iluminação pública e orçamento municipal foram abordados pelos vereadores na Câmara

http://www.minhasaojose.com.br

Na terça-feira, dia 19, a 39ª Sessão Ordinária da Câmara foi marcada principalmente por assuntos acerca da manutenção pública, entre elas melhorias em diversos bairros, iluminação de ruas, etc. 

O vereador Moraci Bállico solicitou ao Executivo informações sobre o que a Prefeitura pretende fazer com relação à falta de bueiros em ruas do bairro Natal Merli, entre elas a Sebastião João, onde, conforme relato de morador, a chuva adentra a residência. “Já fizemos indicação neste sentido, mas o problema não foi solucionado e vem se agravando neste período de chuvas”, observou o vereador. 

Já o vereador Paulo Sérgio Rodrigues fez um requerimento ao Executivo solicitando informações se há projeto para melhorias na entrada do bairro Jardim Mercedes. “Fomos procurados por um morador do bairro que relatou que o mesmo possui apenas uma entrada e que encontra-se esburacada, além de ser muito estreita para o grande fluxo de veículos que por ela passam. Ele e outros moradores já manifestaram o desejo de um novo acesso ao bairro pelo Beira Rio, mas enquanto isso não ocorre pediram para que a Prefeitura realize a manutenção necessária. Sobre isso, gostaríamos de saber se há projeto para melhorias na entrada do bairro e, em caso positivo, para quando estão previstas as obras”, questionou o vereador. 

A viabilização de transporte para animais com castração agendada foi tema de indicação do vereador Antônio José Quessada Neto (Toco) ao Executivo. “A população dos bairros mais afastados do Centro da cidade, em sua maioria, não possui veículo, o que impossibilita que levem seus animais para castração no setor competente. Acreditamos que o atendimento à indicação fará com que a campanha de castração atenda um número maior de animais”, observou o vereador. 

O vereador Gabriel Navega solicitou informações quanto ao funcionamento da Casa de Apoio a portadores de câncer que fazem tratamento em Barretos. “Gostaria de saber quantos pacientes utilizam a casa mensalmente; quantas pessoas fazem parte da equipe que presta serviços na Casa; se o mobiliário está sendo suficiente para atender a demanda e se o espaço necessita de alguma doação, entre elas enxoval, mobiliário, alimentação”, justificou o vereador. 

As parcerias firmadas nos últimos anos entre a Prefeitura e a CDHU foi tema de requerimento do vereador Pedro Giantomassi direcionado ao Executivo Municipal. “Gostaria de saber quantos contratos de casas foram assinados como município de janeiro de 1997 até o momento, quantas casas foram construídas pela companhia aqui em Rio Pardo ou teve a participação da mesma neste período, bem como os anos em que foram aprovados os projetos de habitação entre o município e a Companhia desde 1997”, questionou o vereador. 

A substituição de lâmpadas queimadas, problema que se agravou nos últimos meses na cidade, foi tema de requerimento do vereador professor Rafael Kocian ao Executivo. “O assunto vem sendo recorrente nesta Casa, inclusive com indicações e requerimentos de demais colegas vereadores, os quais trazem essas demandas da população. Gostaria de saber se existe contrato com alguma empresa para que a substituição das lâmpadas seja efetuada, a forma de contratação, a duração do contrato, bem como os valore pagos até o momento”, indagou Kocian. 

Ele também questionou ao Executivo sobre atribuições de nomes de ruas no Condomínio João Minussi. “Uma moradora do referido bairro relatou dificuldade em atendimento pelo serviço dos Correios, uma vez que não há emplacamento de ruas no local. O questionamento visa esclarecer se as ruas possuem nomes atribuídos e, em caso negativo, que a Prefeitura encaminhe a esta Casa certidão para atribuição dos nomes das ruas no bairro”. 

As reuniões propostas pela Comissão Permanente de Finanças e Orçamento para discussão e esclarecimentos acerca da Lei Orçamentária Anual foram destacadas pelo vereador Henrique Torres durante o Expediente Livre. “As reuniões, que também contam com a presença do secretariado, representantes do Executivo e autarquias, têm como objetivo a transparência de informações, principalmente sobre previsão de receitas e despesas às áreas públicas, para que os vereadores possam apreciar com mais conhecimento o orçamento e vota-lo com mais propriedade, inclusive propondo emendas, etc. Além disso é uma forma democrática de a população participar, já que são transmitidas ao vivo às terças e quartas-feiras, 11h00, pelos canais de comunicação da Câmara, esclarecendo dúvidas e questionamentos dos munícipes. Fica aqui nosso convite para que a população realmente participe, entenda o que é o orçamento municipal para que, inclusive, possa cobrar sua execução em 2022”, disse Henrique, que também é presidente da Comissão. 

Para finalizar, o vereador Rubens Lobato Pinheiro Neto abordou um tema ainda pouco explorado e que gera um certo preconceito ao ser discutido, mas relevante, principalmente nestes tempos de pandemia: as doenças emocionais. “Gostaria de pedir apoio dos nobres colegas e desta Casa para desenvolvermos alguma campanha ou projeto para que possamos difundir informação sobre doenças como a ansiedade, a depressão, síndrome do pânico, entre outras que vêm crescendo em meio à população, inclusive neste período de pandemia, de tantas incertezas, tristezas. É preciso falar sobre as doenças emocionais sem medo, sem preconceito e estigmas para que, inclusive, possamos salvar vidas”, observou o vereador. 

Rafael Kocian reiterou que a Câmara estará sempre à disposição para apoiar o desenvolvimento de ações e campanhas sobre a conscientização e prevenção às doenças emocionais e que irá propor, junto à Secretaria Municipal da Saúde, projetos em parceria com o Legislativo Municipal neste sentido. 

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br
%d blogueiros gostam disto: