Ariane Del Ciampo Flaminio: Há 18 anos fora de Rio Pardo, ela fez carreira em São Paulo

http://www.minhasaojose.com.br
Ariane saiu de São José há 18 anos para cursar Relações Internacionais em São Paulo, onde está constituindo carreira na Phisalia, uma grande empresa de produtos de higiene pessoal

Entrevista e texto: Natália Tiezzi

Amigos internautas. Dando sequência à nossa série de entrevistas no “Cadê Você?”, nesta semana o www.minhasaojose.com.br conta um pouco da história da rio-pardense Ariane Del Ciampo Flaminio do Nascimento, que saiu de São José do Rio Pardo há 18 anos para cursar uma faculdade até então pouco conhecida aqui na região, sendo esse o principal motivo para os estudos na capital paulista.

Ariane é graduada em Relações Internacionais pelo Centro Universitário Ibero-Americano e pós-graduada em Negócios Internacionais pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com curso de gestão comercial pela Fundação Getúlio Vargas. Ela também cursou inglês na Cornell University nos Estados Unidos e na Pacific Gateway Internacional College no Canadá.

O amplo conhecimento e a dedicação à profissão abriu excelentes caminhos à Ariane, que trabalha há 14 anos em uma grande empresa de produtos de higiene pessoal, a Phisalia, com sede em São Paulo.

Durante a entrevista, realizada on line, Ariane falou sobre a carreira, que, inclusive, está passando por uma fase de transição na empresa. E, embora seja uma pessoa extremamente capacitada tecnicamente, Ariane destacou que a empatia, seja qual for a área profissional, é essencial.

“Ao longo dos anos na empresa, percebi que não adianta ter muitas habilidades técnicas e diplomas se não se sabe lidar com as pessoas e com as diferenças que existem entre elas. É primordial ao profissional se colocar no lugar do outro”, relatou.

Além da vida profissional, Ariane contou um pouco de sua vida pessoal. Apesar de trabalhar em São Paulo, ela, o marido e o filho pequeno residem em Judiaí, município que fica bem próximo à capital e que a família escolheu em busca de uma qualidade de vida melhor.

Ariane destacou, ainda, os aprendizados e desafios impostos durante as quase duas décadas residindo na ‘cidade grande’, bem como as saudades de São José e também respondeu qual profissão seguiria caso não fosse Relações Internacionais. E, claro, tem a ver com vida saudável, propósito que a rio-pardense nunca abriu mão mesmo morando em grandes centros urbanos. Confira, abaixo, a entrevista na íntegra.

Com o marido e o filho: Apesar de Ariane trabalhar na capital, a família reside em Jundiaí e escolheram a cidade em busca de uma qualidade de vida melhor

Ariane, por que optou por estudar e consituir carreira longe de São José?

Há 18 anos me mudei para São Paulo para fazer o bacharel em Relações Internacionais, pois em São José não havia essa opção de curso. Naquele momento, os grandes centros, como a capital paulista, ofereciam mais possibilidades e oportunidades tanto de estudo quanto de trabalho nessa área que eu havia escolhido.

Qual foi seu primeiro emprego e onde trabalha atualmente?

Minha primeira oportunidade de trabalho foi um estágio na empresa Farmaervas. Em seguida, trabalhei com o cônsul de turismo da Argentina no Brasil. Depois, fui para o Canadá estudar inglês por 2 meses e alguns meses depois de retornar, fui contratada pela Phisalia, onde estou há 14 anos.

Qual é sua função na empresa?

Neste momento estou passando por uma transição de carreira. Nos últimos anos, exerci as funções de gerente de administração de vendas e, a partir de setembro deste ano, entrei para Vendas Key Account.

Nestes quase quinze anos trabalhando na mesma empresa, qual foi o momento mais marcante de sua carreira?

Em 2018, a Phisalia começou um trabalho muito focado em desenvolvimento humano, incentivando o autoconhecimento e o fortalecimento das relações entre as pessoas. Isso me marcou muito, pois percebi que não adianta ter muitas habilidades técnicas e diplomas se não se sabe lidar com as pessoas e com as diferenças que existem entre elas. É primordial ao profissional se colocar no lugar do outro. Dessa forma, tudo flui melhor.

O que é o melhor e o que é o pior em sua profissão?

O melhor é o envolvimento com as pessoas. Gosto de conversar, de escutar. Aprendo muito sendo desse jeito. É lógico que nem tudo são flores, há dias em que as coisas parecem dar tudo errado, mas faz parte e não vejo como pontos negativos. Prefiro enxergar como desafios.

Qual foi a principal lição que aprendeu residindo e trabalhando fora de Rio Pardo?

O fato de todo mundo se conhecer em São José faz com que as pessoas confiem mais umas nas outras e se ajudem mais. Morar e trabalhar fora desse cenário, aprende-se como conquistar seu espaço. Aprendi também a lidar com a saudade da família e a me virar sozinha!

Apesar de trabalhar na capital sua família reside em Jundiaí. Por que optou em não residir em São Paulo?

Quando comecei o planejamento para ter um filho, meu esposo e eu decidimos sair de São Paulo em busca de um lugar mais tranquilo e seguro para nosso filho crescer e, pensando no trabalho, também uma cidade que fosse de fácil e rápido acesso a São Paulo. Por isso optamos por Jundiaí.

Em fase de transição na carreira dentro da empresa, Ariane atualmente ocupa o cargo de Vendas Key Account.

E se a Ariane não tivesse seguido essa profissão, o que ela teria estudado e exercido?

Sempre me interessei por estilo de vida saudável, principalmente no que diz respeito à alimentação. Acho que eu teria sido nutricionista (risos).

Qual é a sua maior saudade de São José?

Com certeza, da família e dos amigos. Sinto saudade também do ritmo da cidade. Deslocamentos menores, pouco trânsito, exceto o Centro na 1º semana do mês, (rs) e as pessoas conhecidas tornam o dia mais leve.

Para finalizar, quais são seus planos profissionais para o futuro? Voltar a residir aqui em Rio Pardo faz parte de algum deles?

Como disse anteriormente estou passando por uma transição de carreira e por isso, um dos meus planos é conhecer melhor as estratégias comerciais que funcionam para os clientes das grandes contas por meio de cursos e muita leitura. Por enquanto, São José do Rio Pardo só para finais de semana e férias mesmo!

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br