Tuca Dassan: Ela transformou um momento difícil em sua melhor oportunidade profissional

http://www.minhasaojose.com.br
A conhecida e respeitada professora contou sobre a satisfação em ensinar centenas de pessoas a dançarem em seu estúdio, o “Dança Comigo”

Reportagem e texto: Natália Tiezzi Manetta

Passar por alguns momentos ruins em nossa vida fazem com que cresçamos pessoalmente e também profissionalmente falando. Assim aconteceu com Giovana Dassan de Oliveira, a Tuca, uma das professoras de Dança mais conhecidas e admiradas na cidade, seja pelo seu talento e também pelo seu amor e dedicação à arte de dançar.

Há 27 anos trabalhando na área, Tuca, que começou a dar os primeiros passos coreografados ainda criança, ouvindo o velho rádio do avô, precisou passar por uma demissão para enxergar a possibilidade de ter o seu próprio negócio. “Trabalhava em uma academia e fui demitida. Aquilo me pegou de surpresa, pois não sabia o que faria na vida dali para frente. Foi então que, em 2014, decidi que era o momento de dar uma reviravolta na minha carreira na Dança e ter meu espaço. Eu não tinha recursos financeiros… Fui com a cara, coragem e muita vontade! Hoje, me orgulho do ‘Dança Comigo’, pois realizei um sonho de infância, que acabou se tornando um sonho de vida”, disse.

E, como acontece com inúmeras pessoas, o começo de qualquer negócio não foi fácil. “Graças a Deus, o conhecimento das pessoas sobre meu trabalho e o apoio dos meus alunos foram fundamentais para que eu não desistisse desse sonho que, hoje, é real”, destacou a professora.

PELOS PALCOS DA VIDA…

Tuca lembrou com carinho de seu primeiro professor de Dança, Nelsinho Alves, a quem salientou que aprendeu muito sobre postura e leveza na hora de dançar. “O Nelsinho é uma pessoa muito especial. Tudo que aprendi com ele há décadas ainda coloco em prática nas minhas aulas”.

Ela disse que começou a frequentar escolas de dança aos 14 anos, fazendo Jazz. Também passou por algumas academias, inclusive a Conexão, onde ministrou aulas por 4 anos, mas foi pelos palcos, acompanhando grupos musicais, que despontou como dançarina.

“Eu tinha 17 anos quando comecei a acompanhar os Irmãos Mello nas apresentações. Meu saudoso pai ficava muito bravo, mas hoje entendo que ele se preocupava comigo, pois vivíamos pelas estradas. Foram 11 anos de dança pelos palcos da vida, incluindo as apresentações junto à BandAuê, geralmente em carnavais”, contou.

Sobre o que mais aprendeu nessa vivência nos palcos, Tuca destacou as inúmeras experiências, boas e ruins. “A vida nos palcos não é fácil. Assim como a Dança, exige estudos, dedicação e, além disso, naquela época não era muito atraente financeiramente falando. Depois melhorou, mas eu nunca fiz absolutamente nada na minha vida pensando no dinheiro em primeiro lugar. A dança é uma parte de mim, uma paixão, que deixava transparecer sempre que me apresentava junto às bandas”.

Além disso, a professora participou de vários eventos idealizados pelo promoter Márcio Barbosa, os quais também abriram portas para demais trabalhos. “Toda essas experiências que tive nos palcos, com as bandas e também com os eventos foram minha vitrine de trabalho. Muita gente só sabe quem é a Tuca por conta dessas apresentações que fazia. A todos que me proporcionaram essas oportunidades, minha gratidão”

O cartaz, que a professora exibe com orgulho no estúdio, retrata alguns momentos de Tuca nos palcos

O PIONEIRISMO NA ZUMBA E AS COREOGRAFIAS PARA CASAMENTOS

Tuca é formada em Educação Física pela FEUC e, ao longo de todos esses anos dedicados à Dança, ela aprimorou seus conhecimentos por meio de cursos, principalmente voltados à Zumba (ritmos latinos). “Inclusive me orgulho muito de ter trazido e introduzido a Zumba aqui na cidade. Hoje ela ainda é uma das danças mais procuradas, seguida pelo Axé. Aqui no Dança Comigo há horários específicos para a Zumba que, geralmente, é procurada pelo público adulto. Já o Axé é o preferido pelos adolescentes”.

Além desses ritmos, Tuca também ministra aulas particulares para homens e mulheres, no próprio estudio, além de ensaiar coreografias específicas para casamentos, festas de 15 anos, etc. “A coreografia em eventos, principalmente com os noivos, padrinhos e madrinhas é uma tendência. Gosto muito deste trabalho. O resultado é sempre muito bonito”.

O MELHOR DA DANÇA: ENSINAR A DANÇAR. O PIOR: O PRECONCEITO

A professora afirmou que sua maior satisfação na Dança é ensinar suas alunas, que, muitas vezes, procuram seu estudio por indicação médica. Dançar não é apenas trabalhar o corpo, mas a alma. Tem muita gente que já passou por aqui e ainda tenho alunos que dançam por indicação médica, principalmente no tratamento da depressão, por exemplo. E notar que aquela pessoa melhorou, ver a sua disposição para dançar, o sorriso no rosto, a vontade de aprender não tem preço. Saber que eu contribuo com aquilo que mais amo para amenizar o problema de alguém é muito gratificante”.

Entretanto, Tuca disse que o preconceito ainda é evidente na Dança. “Conheço muitos homens que gostariam de dançar aqui, mas não vêm porque acham que o espaço é só para mulheres. E também há mulheres que se souberem que vão fazer aulas com homens também não participam por conta de namorados e maridos que não aceitam. Isso é muito ruim, pois o que mais primo aqui no Dança Comigo é o respeito entre os alunos. Tomara que um dia isso mude e todos possam dançar, sem preconceito, medo ou vergonha, pois a Dança é universal. Ela une as pessoas e desperta o prazer e a alegria”, concluiu Tuca.

O Dança Comigo fica à avenida Independência, 255, com aulas de segunda a quinta, das 19h00 às 20h00; e de terça e quinta, das 7h30 às 8h30
http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br