Terapias em Grupo: Elas funcionam e são mais acessíveis

http://www.minhasaojose.com.br

A psicóloga Ana Amélia Junqueira Capuano iniciou esse novo projeto com a psicologia grupal voltadas às mamães

Reportagem e texto: Natália Tiezzi Manetta

Cuidar da mente através do compartilhamento de experiências em grupo. Essa nova forma de encontrar e estabelecer o equilíbrio emocional está sendo desenvolvida em São José a partir de um projeto, idealizado e promovido pela psicóloga Ana Amélia Junqueira Capuano: trata-se da Terapia em Grupo, também conhecida como Psicologia Grupal.

Além de mais acessível do ponto de vista financeiro e também com relação aos horários em que é promovida, esse tipo de terapia busca integração para abordar, discutir e orientar os participantes que necessitam de auxílio para resolver um determinado problema. “A Psicologia Grupal é mais acessível e realmente funciona. O objetivo é atender a uma demanda crescente de grupos onde boa parte das pessoas não poderia passar por um atendimento individualizado”, informou a psicóloga.

O primeiro grupo já iniciou as atividades na quarta-feira e é voltado às mães. “O Grupo é fechado, ou seja, acompanharei as mesmas participantes do 1º até o 10º encontro justamente para poder atender às demandas deste grupo, numa terapia contínua nos próximos meses”, observou Ana Amélia.

A idéia é trocar experiências e vivências com as mamães e alerta-las que a saúde mental de uma mãe é tão ou mais importante que a do próprio filho. “O que vemos muito hoje em dia são elas levarem os filhos ao psicólogo, entretanto, esquecem de sua própria saúde mental, que se não estiver equilibrada pode interferir negativamente na do filho”.

Além de uma forma de tratamento, a terapia em grupo é um momento para que as mães possam relaxar. “Antes de ser mãe, a mulher é um ser humano e precisa se cuidar e permitir-se ser cuidada. É isso que queremos proporciona-las aqui: um momento só para elas, de relaxamento, de troca de experiência e, claro, de terapia”.

Momento de troca de experiência e relaxamento: papo de mãe, com muito equilíbrio e terapia

A RELAÇÃO ENTRE MÃES E FILHOS: É PRECISO DISCUTI-LA

Em entrevista à reportagem duas mães relataram que procuraram a terapia em grupo para dividir experiências e buscar alternativas para melhorar a questão da educação dos filhos. “Tenho uma filha de quatro anos e não é fácil lidar com tantas mudanças quando nos tornamos mães. Em cada fase há uma dificuldade e acredito que a terapia em grupo possa me ajudar, inclusive na questão de minha própria saúde mental para encarar tantos desafios que a maternidade traz”, disse Elaine Aguilar.

Já Fernanda de Melo Junqueira afirmou que procurou auxílio para aprender a fazer algumas tarefas sem a presença do filho. “Sou muito apegada a ele principalmente porque lutei muito para ser mãe. Preciso aprender a deixa-lo ser mais independente e eu também ser mais independente dele. Sei que isso é uma questão de educação e acredito que outras mães também passem pela mesma situação. Por isso procurei a terapia em grupo para auxiliar-me nesta questão”, destacou.

Os encontros estão sendo promovidos à noite, na Políclínica Todo Bem, próxima ao campus da UNIP Rio Pardo. Mamães que tiverem interesse em participarem, Ana Amélia disse que abrirá novos grupos conforme a demanda. Elas poderão entrar em contato pelo whatsapp 99347-6232 para mais informações e valores.

Além deste voltado às mães, a psicóloga disse que outros grupos, voltados a outros temas, serão abertos em breve justamente para suprir uma demanda crescente de pessoas que por algum motivo não podem passar por um tratamento individual.

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br