Saúde: Cardiologista Dr. Marcelo Raddo fala sobre a Hipertensão Arterial 

http://www.minhasaojose.com.br
Dr. Marcelo Raddo destacou sintomas, tratamentos e formas de prevenir a hipertensão arterial, que pode acometer pessoas de qualquer idade

Entrevista e texto: Natália Tiezzi

Uma doença crônica, muitas vezes silenciosa, já que muitas vezes não provoca sintomas, mas que se não controlada pode levar a consequências graves e até desencadear outras patologias. Estamos falando da hipertensão arterial, a popularmente conhecida ‘pressão alta’, uma vilã que acomete milhares de pessoas e que pode ocorrer em todas as idades.

Neste mês de abril, o dia 26 é dedicado ao combate e conscientização à hipertensão arterial, e para explicar um pouco mais sobre a doença, o www.minhasaojose.com.br traz entrevista com o colunista do site, o cardiologista Marcelo Raddo, que, entre outras questões, abordou as causas, tratamentos e como evitar a ‘pressão alta’.

“A hipertensão arterial  não provoca sintomas na maioria das vezes, porém não devemos negligenciar os cuidados.  Complicações graves são frequentes  quando ignoramos a doença. O tratamento é fácil e muito acessível nos dias de hoje. Procure rotineiramente seu médico, pois o início do cuidado depende do diagnóstico correto”, observou Dr. Marcelo.

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra.

Dr. Marcelo, explique o que é a hipertensão arterial?   

A Hipertensão é uma doença crônica, caracterizada pela elevação persistente dos níveis pressóricos. Como toda doença crônica ela apresenta longa duração, acompanhando a pessoa por vezes durante toda a vida e com evolução progressiva, com tendência ao aumento dos valores da pressão com o passar dos anos quando não tratada.

E ela pode acometer as pessoas em qualquer idade?

Pode ocorrer em todas as idades porém sendo mais comum após os 50 anos, isto porque com o envelhecimento ocorre um processo de enrijecimento dos vasos. Em pessoas mais jovens deve-se procurar uma outra doença que pode estar provocando elevação da pressão arterial, a chamada hipertensão secundária.

Quais  são os principais sintomas?   

No geral  a hipertensão não provoca  sintomas porém quando ocorre elevação abrupta dos níveis pode cursar com dores de cabeça, tonturas e alterações visuais. Sintomas como falta de ar ao realizar esforços físicos, dores no peito, inchaço e diminuição do volume de urina podem apontar para complicações relacionadas a hipertensão.

Quais são os principais fatores de risco? A hipertensão pode ser hereditária?

Podemos citar como principais fatores de risco hábitos como sedentarismo, consumo excessivo de bebidas alcóolicas, ingestão excessiva de sal e também a presença de obesidade  e a síndrome da apneia obstrutiva do sono.

A hipertensão pode ser hereditária?

Sabemos também que fatores genéticos estão relacionados ao seu desenvolvimento, portanto em caso de familiares portadores de hipertensão a pessoa apresentará maior risco de também vir a ser hipertensa.

A ansiedade, depressão, síndrome do pânico, por exemplo, podem desencadear a hipertensão arterial?   

Doenças emocionais têm o potencial de provocar picos pressóricos e contribuir com o descontrole destes em pacientes que já possuem hipertensão. Isso ocorre devido liberação de adrenalina e cortisol, substâncias relacionadas ao estado de stress.

O que é considerada uma pressão arterial normal/adequada? 

 Atualmente a sociedade brasileira de cardiologia define com pressão arterial  elevada para adultos níveis pressóricos superiores a 140 x 90 mmHg ( milímetros de mercúrio) porém quem apresenta  valores entre 130- 139 mmHg de pressão sistólica e 85-90 mmHg de pressão diastólica pode ser considerado como portador de pré-hipertensão.  Valores normais estão situados abaixo de 130x 85 mmHg.

Quando a pessoa deve procurar orientação médica?  

Sempre que detectar níveis pressóricos elevados em medidas ocasionais da pressão mesmo que não apresentem qualquer sintoma. Na presença de  dores no peito, falta de ar, inchaço pelo corpo, o cardiologista deve ser consultado.

Qual a periodicidade para aferir ou ‘medir a pressão’?  

Não existe uma periodicidade para se aferir a pressão. Um fator que considero mais  importante seria realizar a medida correta da pressão arterial .Isso envolve o uso de uma aparelho adequado e calibrado utilizando-se a técnica apropriada, podendo ser feita em qualquer um dos braços na maioria das vezes. Evita-se realizar medidas com a bexiga cheia , logo após o consumo de bebidas alcóolicas, consumo de café ou após fumar, isto porque a pressão poderia se elevar por  conta desses fatores.

Quais são as formas de tratamento da hipertensão? 

O tratamento envolve a adoção de hábitos de vida saudáveis com foco na prática de atividade física , perda de peso e dieta envolvendo leguminosas, vegetais, cereais e carnes magras. Medicamentos para controle dos níveis pressóricos podem ser utilizados. Hoje possuímos uma grande variedade de medicamentos e sua escolha deve ser individualizada . O melhor medicamento para você pode não ser o mesmo do seu vizinho (a) ou colega de trabalho.

Outras doenças podem ocorrer a partir da hipertensão arterial?   

Sim. Doenças graves e de apresentação aguda como infarto do miocárdio, AVC, morte súbita cardíaca e também há doenças que se instalam gradativamente como a obstrução de vasos periféricos como os vasos da retina, dano aos rins podendo levar a necessidade de diálise, danos ao músculo cardíaco. Estudos ainda apontam para aumento  do risco de demência.

Para finalizar, é possível prevenir a hipertensão arterial?

Sim. Corrigindo os fatores de risco envolvidos podemos retardar ou mesmo impedir o desenvolvimento da pressão alta. Por exemplo, a perda de peso  pode reduzir os níveis pressóricos. Estima-se que uma perda de 5 kg pode reduzir  a pressão sistólica ( o primeiro dos dois números) em até 4,5 mmHg.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br