Roberta Simões: Um jeito peculiar de retratar a sociedade rio-pardense

http://www.minhasaojose.com.br

Despojada, alegre e sempre atenta para captar, com muita personalidade, os melhores flashes: desde um batizado até um almoço beneficente. Assim é Roberta Simões, a fotógrafa que vem deixando sua marca ao retratar a sociedade rio-pardense.

Dotada de um talento nato para a fotografia, Roberta, que é filha do saudoso senhor Roberto Simões – que também foi um exímio artista, tanto na pintura, quanto na música – nunca imaginou que pudesse se tornar uma fotógrafa profissional.

“Eu sempre gostei de registrar momentos, mas nunca pensei em fazer isso profissionalmente. A fotografia aconteceu meio por acaso na minha vida. Há três anos, quando até então residia em outra cidade, minha mãe me ligou e perguntou se eu podia ajuda-la aqui em Rio Pardo… E eu vim! À época também passei por momentos um pouco complicados na vida pessoal e realmente não sabia como e com o quê poderia trabalhar”, contou.

E foi fazendo uma fotografia aqui, outra acolá, que seu dom foi descoberto. “Eu conhecia alguns cantores e músicos, inclusive porque também já cantei e, entre eles, a Mana Tessari, a qual seguia e registrava suas apresentações quando essas aconteciam aqui na região. Fazia as fotos com meu celular mesmo e confesso que gostava daquilo” Até que um dia, sentada à mesa de um bar com alguns amigos, uma delas, a Xanda Lins, me perguntou o que eu fazia para que ela ficasse sempre bem nas fotos… Fiquei sem resposta… E essa amiga me incentivou a fazer um curso profissional de fotografia”, disse.

Roberta não pensou duas vezes e se inscreveu no curso de fotografia do Senac de Guaxupé. “Aquele incentivo, junto aos elogios que recebia pelas fotos que fazia, me fizeram enxergar que a fotografia poderia ser um caminho para me firmar profissionalmente aqui na cidade, como realmente aconteceu”, destacou.

Hoje pode-se dizer que Roberta Simões é a fotógrafa mais conhecida e requisitada para cobrir eventos. “E devo isso a outro amigo, que me fez tornar conhecida para os rio-pardenses, o Marcelo Trecenella, colunista social da Gazeta do Rio Pardo”, afirmou.

Desde que fotografou um aniversário de bodas de um casal muito querido, Trecenella conheceu o trabalho de Roberta e, atualmente, são parceiros. “Cubro muitos eventos para as páginas sociais do Marcelo na Gazeta. E ele me incentiva a cada dia para que eu persista na fotografia”.

EVENTOS PARTICULARES TAMBÉM É COM A  “R.S. FOTOGRAFIAS”

Mas, não é só de eventos sociais que nossa amiga vive… A R.S. Fotografias, marca de Roberta Simões, também registra eventos particulares como aniversários, festas de 15 anos, casamentos, shows, bailes, etc. “Essa vivência na fotografia social me proporcionou mais segurança para fazer esses trabalhos particulares, afinal também preciso ganhar meu dinheirinho”, disse, sempre com aquele sorriso no rosto.

Aliás, captar gente feliz já faz parte da rotina de Roberta. “Sim, eu amo fotografar pessoas sorrindo para minha lente. Tento transmitir aos meus seguidores no Facebook e ao público que acompanha meu trabalho o sentimento de cada pessoa que fotografo”.

E para quem pensa que a fotógrafa abandonou o bom e velho celular para captar aquele momento especial, engana-se. Ele, inclusive, já ‘salvou’ Roberta de algumas situações inusitadas. “Certa vez tive que fotografar um casamento com meu celular, pois fiquei sem bateria em minha câmera. Óbvio que a noiva ficou meio preocupada, mas deu tudo certo e ninguém desconfiou que as fotos do álbum de casamento haviam sido feitas com um celular. Acredito que uma boa fotografia depende muito mais do empenho e olhar do fotógrafo do que do equipamento em si. Claro que ele ajuda, mas não vai adiantar nada se o profissional que está por trás da câmera não saber sentir cada momento a ser fotografado dentro de seus contextos e propósitos”, concluiu.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br