Porão 88: Há 31 anos, restaurante marca momentos especiais de gerações

http://www.minhasaojose.com.br
Casa é administrada pelo comerciante Orcines Teixeira Filho e pelo filho, Rodrigo Prado Teixeira

Reportagem e texto: Natália Tiezzi Manetta

Um dos mais tradicionais restaurantes da cidade continua movimentando a vida social noturna de São José e marcando momentos especiais de pelo menos 3 gerações. Com 31 anos, o Porão 88 continua agradando paladares com seu cardápio bem característico, o que inclui as saborosas panquecas, que continuam sendo o carro-chefe de pedidos da casa.

Nossa reportagem especial deste sábado retrata um pouco da história deste restaurante, contada pelo empresário Rodrigo Prado Teixeira, filho do proprietário da casa, Orcines Teixeira Filho, que começou o negócio de uma maneira até um pouco inusitada.

“Meu pai dedicou sua vida em trabalhos para grandes empresas como Nestlé e Danone, porém, no final da década de 80 estava à procura de uma renda extra, a qual pudesse conciliar com o trabalho que realizava durante o dia. No início de 1988, o empresário Celso Barbosa adquiriu o restaurante que já funcionava aqui, mas havia sido fechado. E ele estava à procura de alguém que pudesse contribuir com a mão de obra, já que participaria com o capital. Foi então que Celso conversou com meu tio, o saudoso ‘Nelson Padeiro’ e propôs o negócio. Ele, então, indicou o irmão, Orcines, já que sabia que meu pai realmente estava em busca de uma renda extra. Prontamente meu pai aceitou o negócio e assumiu toda a mão de obra e atendimento do novo restaurante, que passou a se chamar Porão 88, pois foi inaugurado em novembro daquele ano”, explicou Rodrigo.

O empresário disse que no início das atividades a própria mãe, dona Rosa Maria, trabalhou na cozinha do restaurante. E, aos 12 anos, ele também começou a trabalhar na casa e fez dela uma de suas profissões. “Foi uma grande adaptação no início, inclusive no cardápio e minha mãe incorporou algumas receitas, adaptou outras, enfim. No meu caso, quis trabalhar pois vi aqui uma oportunidade para me tornar um pouco mais independente financeiramente falando. Minha meta era ganhar e guardar dinheiro para ter um carro melhor quando completasse 18 anos”.

Celso e Orcines mantiveram a sociedade no negócio até 1994, quando Orcines adquiriu a parte correspondente ao sócio. “Desde que meu pai assumiu por completo o Porão 88 ele foi readequando o restaurante à realidade de cada período, entretanto, algumas caractetísticas se mantém nestes 31 anos como, por exemplo, as mesas, que inclusive já estavam aqui quando Celso adquiriu a casa, bem como o ambiente familiar e alguns sabores do nosso cardápio que agradam há anos a clientela”, observou Rodrigo.

QUAL O SEGREDO DA “PANQUECA DO PORÃO 88”?

É difícil encontrar algum rio-pardense que não tenha provado essa verdadeira iguaria, que já se tornou patrimônio gastronômico da cidade: a panqueca do Porão 88. Ela continua sendo o item mais pedido do cardápio da casa. Mas, qual será o segredo para um sabor que conquista paladares por décadas?

“A história da panqueca é bem interessante. Ela já fazia parte do cardápio do antigo restaurante e Celso pediu para que ela continuasse no cardápio. Todavia, precisava de um toque especial, uma versão que tivesse a assinatura Porão 88. Para dar uma ‘variada’ na receita, minha mãe passou a faze-la com a massa de panqueca que ela fazia para nossa família, com o molho de tomate natural, sem adição de conservantes e corantes presentes nos molhos industrializados. E foi assim que surgiu nossa panqueca, sendo que minha mãe trabalhou aqui entre 1989 e 1993 incorporando essa nova receita ao cardápio. Acho que o segredo, além dessa receita de família, é sempre optar por ingredientes de qualidade, que com certeza fazem a diferença no sabor, como, aliás, sempre fizemos aqui”, contou Rodrigo.

Entre os sabores mais pedidos estão frango, palmito, quatro queijos, catupiry e a tradicional de carne. “E estamos sempre inovando trazendo novas combinações, entre elas duas novidades: as panquecas de brócolis e também de carne seca”

Além das panquecas, as pizzas, omeletes, pratos à la carte, bem como as bebidas fazem do Porão 88 um dos espaços mais bem frequentados e queridos da cidade e região. “É claro que o cardápio chama a atenção dos clientes, mas as bebidas também marcaram e marcam gerações, a exemplo da nossa Cuba Libre, do Hi-Fi, do Keep Cooler, Martini e, claro, do vinho tinto suave, que é a bebida que geralmente acompanha a panqueca, principalmente no inverno”, disse o empresário

Outro destaque da casa é o atendimento. “Acredito que nosso atendimento também seja um diferencial. O Marcelo, por exemplo, já está conosco há 20 anos e o Edson há 8. São profissionais dedicados e que merecem nosso reconhecimento”.

Para otimizar as vendas, Rodrigo informou que há três anos o Porão 88 oferece delivery de todo o cardápio, inclusive bebidas. “As entregas são feitas de carro para que não haja problema na composição dos pratos, principalmente as panquecas”, ressaltou.

MOMENTOS MARCANTES

Ao longo dessas três décadas o que não faltam são histórias que marcaram a casa. Rodrigo disse que o Porão 88 foi o local escolhido para muitos encontros especiais de casais e amigos, inícios de namoro, pedidos de casamento. “Inclusive alguns desses momentos foram vivenciados por mim. Como sempre trabalhei à noite, algumas namoradas que tive se adaptaram à minha rotina. Elas me acompanhavam no trabalho por aqui para que assim pudéssemos ficar mais tempo juntos, já que quase nunca dava tempo de sair após o trabalho!”, confessou.

Outro fato marcante do Porão 88 acontece no Dia dos Namorados, onde a casa oferece rosas aos casais que lá comemoram a data especial. “Isso se tornou outra tradição, pois há anos meu pai faz isso. A idéia foi dele e deu tão certo que os casais já perguntam se vai ter rosa naquele dia assim que chegam aqui”.

EXEMPLO DE PAI E PROFISSIONAL

Apesar de Rodrigo ter começado a trabalhar bem cedo no restaurante da família, quem administra os negócios é o senhor Orcines. “Ele que ‘comanda’ aqui e, além disso, faz as compras, prepara recheios, molhos que compõem os pratos do nosso cardápio sempre, claro, com o auxílio de minha mãe. É um grande exemplo de pai e de profissional determinado”.

Para o futuro, Rodrigo disse que pretende continuar seu trabalho no Porão 88 e ainda aprender muito com o pai. Ele, que também é pai de duas crianças, afirmou que ficaria muito feliz se um deles seguisse seus passos e o do avô no restaurante. “É claro que não vou incluenciá-los e cada um poderá seguir a profissão que mais se identificar, mas seria muito gratificante saber que um deles daria continuidade a tudo isso, que meu pai e eu construímos com muita luta e dedicação”, concluiu.

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br