Padre Mário Marcili: carisma e proximidade vêm conquistando cada vez mais os fiéis

http://www.minhasaojose.com.br
HÁ QUATRO MESES EM SÃO JOSÉ, ELE É BEM CONHECIDO PELA POPULAÇÃO POR UTILIZAR AS REDES SOCIAIS NAS DIVULGAÇÕES DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE POMPÉIA

Reportagem e Texto: Natália Tiezzi Manetta

No último mês de julho, os féis que frequentam a Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia foram surpreendidos com a vinda de um novo padre para coordenar as atividades daquela igreja. E, em tão pouco tempo, o padre Márcio Sérgio Marcili vem conquistando o público com seu carisma e proximidade com as pessoas.

Muito ativo, padre Mário gosta de estar entre o povo e se faz presente nas atividades sociais da Paróquia, como é o caso da quermesse, por exemplo, onde faz questão de ajudar nas barracas.

Ele também costuma usar a Internet, por meio de suas redes sociais, para divulgar a paróquia e todas as atividades a serem realizadas. “Hoje as redes sociais se tornaram importante meio de comunicação para a Igreja. Muita gente só fica sabendo de algum evento que vamos promover através do Facebook, Instagram”, comentou o padre, que concedeu entrevista ao site na última semana. Confira.

Padre Mário, quando descobriu sua vocação?

Padre Mário Sérgio Marcili: A primeira vez foi quando eu tinha sete anos e estava fazendo a minha 1ª Comunhão. O Padre Gildo disse que eu tinha um dom especial, mas, nesta idade, não tinha a menor idéia do que realmente seria. Eu sonhava em ser médico, fazer teatro. Porém, o Padre Gildo estava certo e aos 14 anos decidi pelo Celibato.

Onde estudou e qual foi a primeira Paróquia que assumiu?

Sou natural de Caconde e em 1983 ingressei no Seminário em Ribeirão Preto. Ao longo dos anos graduei-me em Teologia, Pedagogia, Psicologia e Filosofia. A primeira Paróquia que assumi, em 1991, foi a Sagrado Coração de Jesus, em São João da Boa Vista.

Mesmo com todos esses cursos, o senhor continuou os estudos. Que curso faz atualmente?

Estou cursando Direito pela PUC-Minas. Antes do sacerdócio, trabalhei no Fórum de Caconde e essa profissão sempre me chamou atenção. E depois que eu comecei o curso vejo como o Direito é importante em inúmeras questões cotidianas. Inclusive estou fazendo parte da organização do Tribunal Eclesiástico e os estudos têm me ajudado muito.

Como o Padre foi recebido pelos fiéis aqui na Paróquia Rosário de Pompéia?

Fui recebido de braços abertos pela população. Fui realmente acolhido por todos e também acolhi e acolho todos os fiéis. É um sentimento recíproco. A Paróquia, estrututuralmente falando, é muito boa, com excelentes cronogramas de atividades.

O senhor está promovendo algumas mudanças com relação à equipe coordenadora (Pastorais e Movimentos). Por quê?

Acredito que se faz necessário essa mudança de dois em dois anos para que mais pessoas tenham a oportunidade de coordenar uma Pastoral ou um dos Movimentos. É uma forma de abrir espaço a todos, de forma bem democrática, e por períodos mais curtos. Até mesmo a equipe de eventos está passando por algumas mudanças, que estão sendo muito benéficas. Aliás, gostaria de enaltecer o trabalho dos nossos mais de 40 voluntários da nossa quermesse. Pessoas muito dispostas, dedicadas e que têm um carinho muito grande pela nossa Paróquia.

NATURAL DE CACONDE, ANTES DE RIO PARDO, PADRE MÁRIO PASSOU POR PARÓQUIAS EM SÃO JOÃO DA BOA VISTA, VARGEM GRANDE DO SUL E MOGI GUAÇU

O senhor está se tornando muito conhecido pelas redes sociais. Isso ajuda na evangelização?

As redes sociais, atualmente, são grandes aliadas na evangelização. E elas me ajudam a fazer com que a população conheça um pouco das atividades desenvolvidas na Paróquia. Posto vídeos, fotos, além da programação de missas, novenas, enfim, tudo que está acontecendo ou vai acontecer aqui. A informação pelas redes sociais chega rápido e muitas pessoas só passaram a conhecer nossas atividades a partir das publicações que faço no Facebook e Instagram. Agora também estou aprendendo as ferramentas do Twiter. Atualmente, todas são essenciais até para termos mais proximidade com os fiéis.

Por falar nisso, além dos eventos, como o senhor estabelece essa aproximação?

Sempre procuro atender os fiéis antes ou após as missas, além das confissões, que acontecem em dias e horários estabelecidos. Gosto muito de conversar com as pessoas, ouvi-las, orienta-las não apenas durante a confissão.

Há alguma reforma ou adequação prevista para a Paróquia em 2020?

Haverá um planejamento para saber as necessidades do espaço para o ano que vem. No momento, apenas a manutenção, que, graças a Deus, está em dia.

Já podemos citar alguma coisa da programação de Natal?

Sim, a nossa Novena de Natal, que iniciará dia 13 de dezembro, às 5h30, durante os nove dias, além de missa. Optamos por fazer neste horário para que todos possam participar sem atrapalhar as atividades profissionais, os passeios de final de ano, enfim. Convidamos a todos, pois será um momento muito especial, de oração e refexão, em nossa Paróquia.

Para finalizar, qual é o seu sentimento nestes quatro meses aqui em São José?

Além de São João da Boa Vista, assumi paróquias em Vargem Grande do Sul, onde permaneci por 24 anos, além de Mogi Guaçu, minha última cidade antes de vir para Rio Pardo. Estou muito contente aqui. Fui muito bem recebido e me sinto acolhido pelos fiéis. A cidade é muito bonita e estou tendo a oportunidade de conhece-la aos poucos. O povo rio-pardense é muito acolhedor.

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores minhasaojose@uol.com.br