O solidário povo rio-pardense

http://www.minhasaojose.com.br

Texto: Natália Tiezzi

Alimentos, roupas, brinquedos, doces, e junto com eles um pouco de dignidade, muitas vezes perdida devido aos infortúnios da vida, neste ano, inclusive, ainda por conta da pandemia. Você já se perguntou quantos rio-pardenses se mobilizaram para auxiliar o próximo, aqueles que mais necessitaram ou sofreram, principalmente por conta do desemprego, neste ano?

Sem dúvida, você, internauta, deve conhecer alguém que participou de alguma campanha, que doou algo, que ajudou não apenas durante o período que antecedeu o Natal, onde as mobilizações ficaram mais evidentes, mas durante todo o ano de 2021.

E a ajuda não veio só de pessoa para pessoa, mas de cidadãos para entidades: quantas instituições auxiliadas pelo povo rio-pardense, que novamente demonstrou comprometimento com as mesmas, também tão necessitadas de apoio durante a pandemia.

O que também chamou a atenção, além das mobilizações e do ato em si de auxiliar o próximo, foi notar a alegria no rosto dessas pessoas, que prepararam centenas de refeições, entregaram cestas básicas ou doaram aquele quilo de açúcar. A quantidade, neste caso, é o que menos importa. Importante é a ação, é a satisfação, presentes embrulhados em papel de sorrisos, que contagiam, enobrecem e servem de exemplo, bons exemplos!

Nem sempre a doação foi de algum mantimento ou objeto: muitas vezes foi de tempo – tempo para ouvir, tempo para aconselhar, tempo para não julgar, tempo para acolher, tempo para informar, tempo para promover algum trabalho voluntário… E doar tempo em um mundo onde a maioria não o tem também é uma atitude nobre.

Agora, imagine cada ser humano que recebeu alguma doação neste ano. Tente imaginar o sentimento de gratidão, que inúmeras vezes pode ser visto por meio de fotos, vídeos, das inúmeras campanhas promovidas pelos rio-pardenses.

O que para nós pode ser apenas um prato de comida, um brinquedo usado ou meia hora discutindo a relação, para muitos, mas muitos mesmo é a refeição do dia, o sonho de Natal realizado ou o alívio de tantas angústias…

Nós, do www.minhasaojose.com.br, sentimos orgulho em ter contribuído, ao longo do ano, com a divulgação de campanhas, dos trabalhos realizados por inúmeras entidades, mostrando o que cada uma realmente precisava para se manter neste tempos difíceis.

Hoje, estamos aqui para agradecer, de uma forma singela, e enaltecer o trabalho de cada rio-pardense que doou, publicamente ou anonimamente, que promoveu campanha, que vestiu aventais, toucas e máscaras e preparou alimentos, que os separou e entregou às famílias carentes, que se vestiu de Papai Noel, Mamãe Noel e realizou o sonho de Natal ou simplesmente adoçou o dia de muitas crianças, que dividiu o pouco que tinha com o próximo, que ouviu as alegrias e tristezas do seu semelhante.

Nestes quase dois anos de pandemia, um período incomum, de muitas perdas e tristezas, o espírito natalino se fez presente não apenas em dezembro, mas nos demais meses do ano através dos rio-pardenses que, de alguma forma, ajudaram o próximo, com alegria e gratidão. Que assim seja também em 2022, pois doar faz bem a quem recebe, mas muito mais a quem doa, tenham certeza disso!

E você, internauta, que ainda não experimentou o ato de doar, que assim o faça no ano vindouro: não precisa doar milhões, toneladas de alimentos, centenas de roupas. Na solidariedade nossa de cada dia, o pouco se faz muito. Se não tiver nada a oferecer, ofereça o seu tempo, o seu conhecimento, a sua informação ou apenas o seu ouvido. A diferença neste mundo não se faz pelo muito, mas pela ação, pelo gesto, pelo sentimento: criado e gerado.

Abaixo, selecionamos fotos aleatórias publicadas no Facebook de campanhas, ações, trabalhos voluntários e pessoas que, de uma forma ou de outra, contribuíram doando alimentos, tempo, carinho, doces, brinquedos, conhecimento a quem mais precisava.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br