Marcos Tavares: Ele arriscou tudo para se dedicar às Tatuagens Artísticas Profissionais

http://www.minhasaojose.com.br
Especialista nos estilos ‘Fine Line’ e ‘Realismo’, tatuador destacou que seu público é formado principalmente por mulheres

Reportagem e texto: Natália Tiezzi Manetta

Um momento de instabilidade profissional mudaria para sempre a vida de Antônio Marcos Ramos Tavares. Ele, que foi colaborador de uma grande multinacional por 17 anos, decidiu deixar a fábrica para se dedicar em uma área completamente diferente daquela que atuava, porém que sempre lhe atraiu: a tatuagem.

“Sempre gostei de desenhos, de desenhar e as tatoos me atraíam. Há seis anos, após 17 trabalhando em uma fábrica aqui em São José, resolvi arricar e me dedicar em uma nova profissão, a de tatuador. E, mesmo ainda trabalhando na empresa multinacional, já procurei alguns cursos, pois tinha chegado a hora de realmente me encontrar profissionalmente”, explicou Marcos.

Porém, o começo na nova carreira não foi nada fácil. “Antes de começar a trabalhar fiz inúmeros cursos, pois a tatuagem artística profissional demanda total dedicação aos estudos. A primeira oportunidade de trabalho surgiu em Poços de Caldas, através de um amigo. Fiz muita tatuagem grátis ou com valores bem simbólicos, pois precisava colocar em prática meu conhecimento e, claro, adquirir experiência”, lembrou.

A volta para São José, já que Marcos é rio-pardense e sempre gostou muito daqui, também aconteceu por meio de um amigo, que lhe ofereceu uma oportunidade de trabalho em seu studio. “Por lá permaneci por cerca de 3 anos e, desde abril, estou com meu próprio studio aqui na avenida Independência. É muito gratificante olhar para trás e ver que todo esforço, os estudos, os cursos valeram muito a pena, pois hoje me sinto realizado na profissão, embora os estudos sejam constantes. Antes de tatuar a pele de um cliente preciso estudar o desenho, a curvatura que terá na pele, as adaptações, enfim, tatuador nunca pára de estudar, se aprimorar”, salientou.

MENOS PRECONCEITO

Marcos destacou que o preconceito com relação à tatuagem e ao próprio tatuador diminuiu muito, inclusive profissionais que tempos atrás não eram adeptos às tatoos, hoje já o procuram para fazer. “Atendo muitos médicos, enfemeiros, bombeiros, psicólogos, policiais, advogados, enfim, acho que esse preconceito que algumas profissiões tinham com a tatuagem já quase não existe mais”.

O tatuador se especializou no estilo ‘Fine Line’ e ‘Realismo’ (preto e cinza, além do sombreado) e afirmou que a sua clientela é formada por 80% mulheres. “A mulher gosta de tatuagens menores e os desenhos no estilo fine line agradam muito, é uma tendência mesmo, principalmente flores. Já os homens preferem os desenhos maiores e não há muita tendência nas tatoos masculinas. E também há as tatuagens comerciais, que são bem pedidas por ambos gêneros como corações, cruz, símbolos como o infinito, trevo de quatro folhas”, disse.

O estilo Fine Line com flores é uma tendência entre as mulheres: Essa foi uma das primeiras feitas pelo tatuador

Além disso, Marcos também é especialista em ‘cobrir’ tatuagens. “Nem todas são possíveis ‘arrumar’, mas, na medida do possível cobrimos, realçamos o desenho, mas cada caso é um caso e deve ser analisado”.

Ele afirmou ainda que, embora os homens sejam mais fortes fisicamente falando, as mulheres são mais resistentes com relação à dor no momento de fazer a tatuagem.

Marcos também atende muitos ‘marinheiros de primeira viagem’ e faz questão de informar tudo sobre a realização da tatuagem, inclusive sobre os locais mais doloridos, dicas de desenhos e, claro, se a pessoa realmente tem certeza de que quer a tatoo. “Informar o meu cliente que vai fazer a primeira tatuagem é um dever ético que tenho. Além disso, só faço tatuagens em maiores de 18 anos, conforme prevê uma determinação aqui no estado de São Paulo”.

Realismo: Marcos destacou que essa tatuagem é a que mais lhe marcou profissionalmente

A HIGIENE COMO UM DIFERENCIAL: CUIDADOS COM O CLIENTE

Apesar de deixar a fábrica para se dedicar à tatuagem, Marcos utiliza conhecimentos em higiene que aprendeu durante os anos na multinacional em seu studio. “Acho que a higiene, a assepsia com relação ao material utilizado é o principal diferencial aqui do studio. Aprendi muito isso na fábrica e adaptei aqui no meu espaço.Higiene e assepsia é tudo para se fazer uma tatuagem e disso não abro mão. O cliente tem que confiar no tatuador e, claro, no local onde a tatuagem será feita”.

Correções e realces também são especialidades do tatuador. Na foto, o antes e o depois após o realce na tatoo

Com relação à contraindicações, o tatuador disse que evita fazer tatuagens em pessoas com níveis de diabetes muito alto, que tenham dificuldade de cicatrização e que tenham predisposição a desenvolver quelóides.

Para finalizar, Marcos salientou que tatuagens não devem ser feitas para seguir ‘modinhas’ ou agradar a ninguém, a não ser a própria pessoa a ser tatuada. “Tatuagem é muito pessoal, é uma coisa sua, portanto o significado dela tem que ser para você mesmo. Faça a tatoo por você, para você, e não para seguir o que está na moda. Lembre-se: ela vai te acompanhar pela vida inteira”, concluiu.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br