Homenagens e Mérito Comunitário marcaram Sessão Solene da Fundação do Município

http://www.minhasaojose.com.br

Texto e fotos: Natália Tiezzi – Assessoria Parlamentar da Câmara Municipal

Na noite de segunda-feira, dia 4 de abril, a Câmara Municipal promoveu a Sessão Solene Comemorativa aos 157 anos de Fundação do Município (4 de abril de 1865). Na ocasião foi realizada homenagem com honras póstumas ao ex-presidente da Casa Legislativa, o saudoso professor Márcio José Lauria, que foi vereador em dois mandatos e ocupou a presidência entre os anos de 1977 e 1978, além de homenagem ao ex-vice-prefeito José Carlos Zanetti (mandato 2009-2012).

Além dessas homenagens, que são concedidas por meio de cronograma estabelecido e seguido pela Casa Legislativa, a Sessão Solene também promoveu a concessão do Diploma do Mérito Comunitário a pessoas e instituições que se destacaram na sociedade rio-pardense nos mais diversos segmentos.

Familiares do professor Márcio Lauria, demais homenageados da noite, vereadores e convidados estiveram presentes ao plenário da Câmara. Também prestigiaram a Sessão Solene o prefeito Márcio Callegari Zanetti, a vice-prefeita Algemira Pinheiro de Souza, o 2º Promotor de Justiça de São José do Rio Pardo, Dr. José Cláudio Zan, o 1º Sargento e Chefe de Instrução do Tiro de Guerra 02-038, Lenildo Pereira da Silva, a presidente da OAB, subseção São José do Rio Pardo, Dra. Evelise Augusto, secretários e diretores municipais, entre outras presenças ilustres.

“É uma honra para essa Casa Legislativa voltar a promover essa Sessão Solene tal qual ela merece ser realizada, com a homenagem e honras póstumas, homenagem a ex-vice-prefeito, bem como a concessão do Mérito Comunitário a pessoas e empresas que contribuem para o desenvolvimento de nossa cidade, assim como também o fez o professor Márcio José Lauria, o senhor José Carlos Zanetti. Depois de um tempo difícil de pandemia, aos poucos, estamos retomando ‘à vida normal’ e hoje gostaria de deixar aqui quatro palavras: gratidão (pela vida), recomeço (em todas as situações de nossa vida), esperança (em dias melhores, que, sem dúvida virão) e união (pois sem ela nada do que sonhamos ou acreditamos será possível)”, destacou durante a explanação.

Já o prefeito Márcio Zanetti relembrou um pouco da história rio-pardense e leu pequeno trecho do livro “São José do Rio Pardo – Uma Nova História, de autoria do saudoso professor e historiador Rodolpho José Del Guerra. “Tal qual aqueles homens que um dia tiveram coragem, garra e união para fundarem este município, aqui estamos para trabalharmos para cada rio-pardense, com novas perspectivas, que, sem dúvida se consolidarão num futuro próximo”, disse.

O Cerimonial da noite foi realizado pela chefe de gabinete parlamentar, Natália Tiezzi, que apresentou breve currículo do professor Márcio Lauria e também do senhor José Carlos Zanetti, seguida da entrega de singela homenagem da Câmara à família do saudoso ex-presidente da Câmara e ao ex-vice-prefeito.

Muito emocionado, Márcio José, um dos filhos do professor Lauria, agradeceu a Câmara pela homenagem ao pai. “Nosso pai sempre foi um apaixonado por São José e contribuiu durante toda sua vida para diversas áreas, principalmente Cultura, Educação, Socialização. Sabemos o quão difícil é a vereança, pois presenciamos seus mandatos. Mas, como aqui citou o presidente Kocian, que lutemos sempre pela União. E que consigamos unir em torno de ideias republicanas para o que for realmente necessário ao desenvolvimento da comunidade”, afirmou.

ESCOLA DO LEGISLATIVO “CIDADE LIVRE DO RIO PARDO”

Após as primeiras homenagens da noite foi promulgada a Resolução nº 08, de 04 de abril de 2022, de autoria da Mesa Diretora, que instituiu a Escola do Legislativo “Cidade Livre do Rio Pardo”, no âmbito da Câmara Municipal de São José do Rio Pardo.

A ideia do Programa surgiu em 2017, quando a Câmara criou o curso de formação dos vereadores.

Segundo o presidente da Câmara, vereador professor Rafael Kocian, a Escola do Legislativo objetiva informar a população em geral sobre assuntos relevantes da Casa Legislativa, inclusive sobre as Leis Municipais, de forma mais simplificada, além de fomentar a integração entre a Câmara e as escolas rio-pardenses por meio de visitas dos vereadores às instituições escolares para explicar sobre o trabalho parlamentar.

Além da visita às escolas, a Escola do Legislativo também promoverá cursos, palestras, inclusive direcionada aos servidores da Câmara e os próprios vereadores, além, é claro, da população.

DIPLOMA DO MÉRITO COMUNITÁRIO

Em sequência, a jornalista Natália Tiezzi destacou breve histórico sobre a fundação do município. “Nossa cidade foi fundada em 4 de abril de 1865, conforme ata de fundação transcrita do ‘Livro de Reuniões dos Fundadores da Capela de São José do Rio Pardo’, encontrado na Fazenda Tubaca pelo proprietário, Eduardo Dias Roxo Nobre. Alguns fazendeiros, em 1865, traçaram planos para edificar uma capela, primeira etapa para a criação da futura Freguesia: a Capela, para a população, além de representar a assistência religiosa ao lugarejo, era a esperança de autonomia política, que adviria com a Freguesia. A Câmara Municipal foi instalada em Sessão especial em 8 de maio de 1886, sendo seu primeiro presidente o Tenente Coronel Antônio Marçal Nogueira de Barros, um dos pioneiros na fundação do município, sendo reverenciado como o Fundador da Cidade. Por ter São José como padroeiro, a cidade comemora por tradição seu aniversário com festividades em torno do dia 19 de março. A Câmara Municipal comemora o 4 de abril de 1865 com solenidade em sessão próxima da data, como a que está sendo promovida nesta noite”.

Após, ocorreu a concessão do Diploma do Mérito Comunitário. Os homenageados deste ano foram: Leiteria Santa Paula (Agropecuária); Página e Jornal Digital Fala São José (Comunicação Social; Sílvia Helena Dal Bom Barbosa (Educação); Iury Feres Abrão (Esporte e Turismo); Lofrano & Quilice Hortifruti (Indústria e Comércio); Márcia Regina Pinesi Nasser (Promoção Social), Dr. Eliezer Gusmão (Saúde) e Grupo Transer (Meio Ambiente).

Alguns homenageados fizeram uso da palavra, como o Iury Abrão, que mencionou o trabalho que realiza no bairro Vale do Redentor com crianças na iniciação da Natação e de onde já estão surgindo vários talentos deste esporte. Ele também pediu apoio da Câmara para o projeto, bem como para um pequeno atleta paralímpico para que possa participar de competições.

A professora Sílvia Dalbon também ocupou a tribuna e destacou a importância da Educação, de cada professor, na vida dos alunos, inclusive especiais. Ela agradeceu a homenagem, que estendeu a toda sua equipe, desde quando iniciou no Magistério, no final da década de 80.

Quem também agradeceu equipe e pessoas com as quais teve a honra de trabalhar foi o médico Eliezer Gusmão. Em seu discurso, ele mencionou nomes como o de Eliana Giantomassi, que ocupou o cargo de secretária da Saúde, os colegas e amigos de Medicina Antonio Teixeira Filho, José Roberto Merli, Ércio Perocco, bem como profissionais que conviveu e trabalhou no Pronto Socorro, onde ele prestou seus serviços por mais de 25 anos, entre elas dona Lurdes, Micheli e Rejane Basili Costa. “Assim como a nossa Santa Casa, o Pronto Socorro é referência na cidade e região, sendo um serviço fundamental o qual me orgulho de ter feito parte. Não poderia deixar de citar esses nomes como forma de reconhecimento e agradecimento”, concluiu.

A Sessão Solene foi encerrada com o Hino de São José do Rio Pardo.

CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE OS HOMENAGEADOS

Márcio José Lauria. Ele ocupou a cadeira Legislativa em dois mandatos, sendo entre 1973 e 1976, e entre 1977 e 1982, além da Presidência desta Casa entre os anos de 1977 e 1978. Nascido em 11 de fevereiro de 1932 e falecido em 08 de fevereiro de 2022, filho de Domingos Carmo Lauria e Luiza Bertocco Lauria, Márcio José Lauria destacou-se como referência intelectual em José do Rio Pardo. Foi casado com Marina Parisi Lauria, com quem teve cinco filhos: Ana Lúcia, Márcio José, Marco Antônio, Maria Paula e João Carlos, que lhe deram sete netos e uma bisneta. Licenciado em línguas portuguesa e latina, bacharel em Direito, lecionou em escolas públicas e particulares de sua cidade e região. No ensino superior, foi titular das disciplinas Introdução ao Direito, Linguagem Jurídica, Direito Constitucional, Língua Portuguesa, Teoria da Literatura e Estudos Euclidianos. Foi professor no curso de Direito da Fundação Otávio Bastos, em São João da Boa Vista, e no curso de Letras da Universidade Paulista (UNIP), campus de São José do Rio Pardo. Ele foi Professor-fundador da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo, onde exerceu a direção por três mandatos. Diretor da Casa de Cultura Euclides da Cunha em duas oportunidades e presidente do Grêmio Euclides da Cunha, produziu, no âmbito da crítica literária, estudos definitivos sobre vida e obra do autor de Os Sertões, embora se dissesse igualmente admirador de outros grandes nomes da literatura brasileira. Lauria Integrou diversas instituições profissionais e culturais, como a Ordem dos Advogados do Brasil, o Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, a Academia Cristã de Letras, a Academia Sorocabana de Letras e a Associação Brasileira de Crítica Literária, do Rio de Janeiro. Participou de mesa-redonda “A atualidade de Euclides da Cunha”, na Academia Brasileira de Letras, em 2009. Sua colaboração na imprensa começou há mais de cinquenta anos na Gazeta do Rio Pardo e continuou nos jornais Democrata e O Rio Pardo. Sua participação cultural o fez autor de mais de três mil textos publicados, inclusive no suplemento literário de O Minas Gerais, Belo Horizonte; na Revista de História, da USP; na revista Os sertões -cem anos, da USP; na Revista da Academia Paulista de Letras; na Revista do lnstituto Histórico e Geográfico de São Paulo; na Revista da Associação Paulista de Medicina. Além de ser um dos idealizadores do Ciclo de Estudos Euclidianos, ele também integrou o Conselho Euclidiano, órgão que prestou assessoramento à direção da Casa de Cultura Euclides da Cunha. Foi, ainda, presidente do Conselho Municipal de Educação. Durante o tempo em que ocupou a cadeira legislativa, foi autor de leis importantes, como a que instituiu o Dia do Riopardense Ausente e decretou a Preservação do antigo prédio da Câmara Municipal (atual Museu Riopardente Arsênio Frigo). Além disso, foi propositor de resoluções como a que criou o Centro de Defesa do Consumidor, e a lei que institui o dia 4 de abril de 1865 como data oficial da fundação de São José do Rio Pardo, além de diversas indicações em favor da preservação do meio ambiente e das belezas naturais do município, notadamente o Morro do Cristo, Ilha de São Pedro, Mata do Carneirinho e Cachoeira dos Nasser.

José Carlos Zanetti. O empresário tem 68 anos, é casado com dona Lúcia Helena Trinca Zanetti, pai de José Carlos e Flávia Helena e avô de duas netas e um neto. José Carlos aprendeu a arte do comércio de sucatas com o saudoso pai, senhor Luiz Zanetti. A família manteve por décadas o ‘ferro velho’ próximo à Avenida Nove de Julho e foi com o pai que o ex-vice-prefeito aprendeu a gostar de política e esse gosto também foi passado ao Carlinhos, filho do senhor José Carlos, o qual, inclusive, incentivou o pai a ser candidato à vice-prefeito. José Carlos Zanetti foi vice-prefeito no mandato 2009 a 2012, cujo prefeito eleito foi João Luís Soares Cunha. Abre aspas “Confesso que não é fácil ser vice-prefeito, pois o poder não está totalmente nas mãos, mas creio que pude contribuir com o mandato e o que foi possível fazer foi feito. Não tenho nada a me arrepender, fiz a minha parte junto com o prefeito, vereadores e funcionários da Prefeitura. A experiência política que adquiri valeu muito a mim como pessoa e profissional, mas hoje digo que não volto a comunga-la, pois agora estou podendo desfrutar mais de minha família, principalmente meus netos, tempo que a política sempre me absorveu muito. De qualquer forma sou muito grato a todos que me apoiaram enquanto estive como vice-prefeito”, fecha aspas.

Leiteria Santa Paula: A proprietária da empresa, senhora Paula Florence Vergueiro, disse que desde menina sempre gostou de animais, cavalos, vacas. A empresária começou a produção de leite com vacas girolandas e bezerros ao pé em 1996, sendo que forneceu leite à empresa Danone por 15 anos. A produção de queijos artesanais começou em 2013 a partir de receitas próprias. A qualidade proporcionou à Leiteria Santa Paula a participação em inúmeras feiras de gastronomia e produtos artesanais principalmente em São Paulo, divulgando também São José do Rio Pardo, local onde fixou residência em 1992. A partir de 2019, Paula deu mais ênfase à loja, instalada junto com o laticínio no bairro Santa Lúcia, quando criou novos queijos, passou a oferecer o Café Degustação e a receber diretamente muitos clientes, inclusive ciclistas, sendo um ponto de encontro para vários praticantes de atividades físicas. Atualmente, a Leiteria Santa Paula também faz parte do Caminho do Queijo Artesanal Paulista. Mas, infelizmente, está de mudança para São João da Boa Vista. Abre aspas: “Adoro São José do Rio Pardo e durante o período que vivi aqui fui muito feliz e muito bem recebida. Jamais esquecerei essa terra. Continuarei com as entregas nas padarias e mercados e também diretamente para nossos clientes”, fecha aspas, disse Paula.

Trancerealista Lofrano e Quilice: Em meados de 1995, dois jovens empreendedores, Luis Fernando Lofrano e Oscar Quilice Filho, idealizam comercializar produtos agrícolas, cultivados pelos seus familiares (os dois são primos e os respectivos pais eram produtores). Na época, não era tão fácil comercializar tais produtos e nasce, então, a iniciativa de vender os legumes e verduras, especialmente cenoura e repolho, no Ceasa de Ribeirão Preto. Como todo início, a história foi marcada por grandes desafios, noites em claro, muito trabalho e persistência, além de muita fé na esperança de que daria certo. E, no dia 24 de abril de 1995, é instaurada oficialmente a empresa “TransCerealista Lofrano e Quilice Ltda” – atacadista de legumes e verduras. Após a abertura da empresa foi possível aumentar a variedade de produtos comercializados e passaram a trabalhar também com beterraba e batata-doce. Com o passar dos anos, o comércio foi se expandindo, o que incitou a busca por novos fornecedores, em outras regiões do país. Atualmente, as mercadorias vêm, além da região de São José do Rio Pardo, de outros estados, como Minas Gerais e Santa Catarina. Hoje a Trancerealista Lofrano e Quilice Ltda oferece, portanto, uma vasta gama de produtos, como: cenoura, beterraba, batata-doce, repolho verde, repolho roxo, acelga, brócolis, mandioquinha e cebola. Prestes a completar 27 anos de sua criação, a empresa conta com dezesseis colaboradores, além dos sócios Oscar e Luis Fernando; uma frota de veículos de carga (carretas e caminhões de diferentes portes) e abrange uma grande área de comércio em diferentes centros de distribuição do Brasil, entre eles Rio de Janeiro, São Paulo, Araraquara e Ribeirão Preto.

Página e Jornal Online Fala São José: A página Fala São José foi criada em 3 de dezembro de 2018, por Luis Fernando Aparecido Benedito e Márcio Brusamolino Viana, com o objetivo de trazer notícias sobre São José do Rio Pardo e região. Abre aspas “Uma das primeiras reportagens que fizemos foi quando da inauguração do Supermercado Solar, à época começamos a ter a cada dia, mais seguidores e decidimos postar além das notícias locais, fatos ocorridos também na região e no país, sempre com o caráter de informação e não de opinião (esta que deixamos para nossos seguidores). Nossa proposta se consolidou e hoje temos além da página do Facebook o Instagram e o Web Jornal Fala São José Notícias, distribuído, em formação digital, gratuitamente aos nossos amigos e seguidores todos os sábados. Contamos com o apoio de nossos filhos na criação de logos e diagramação. Agradecemos a todos que colaboram com o nosso projeto através de artigos e por abraçarem esta ideia de uma mídia imparcial, que traz a informação sobre diversos assuntos e às empresas que viram em nosso trabalho a seriedade que procuramos levar em todas as nossas reportagens”, fecha aspas, disseram ambos editores.

Silvia Helena Dalbon Barbosa:

Silvia é graduada em Letras e Pedagogia pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, atualmente FEUC, de São José do Rio Pardo, com Pós-Graduação, Especialização “Lato Sensu” em Gestão Educacional pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e Pós-Graduação em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela Faculdade da Aldeia de Carapicuíba. A história de Silvia com a Educação iniciou-se em 1989, quando começou a exercer o magistério, sendo que permaneceu em salas de aula por mais de 10 anos.  Em seu vasto currículo educacional, Silvia ocupou cargos na Direção de Escolas rio-pardenses e em outros municípios como Itapecerica da Serra. Em março de 2009, a professora se lançou a mais um desafio profissional, quando foi designada à Supervisão de Ensino na Diretoria de Ensino de São João da Boa Vista. Já em 2010, Silvia também ocupou o cargo de supervisora de ensino titular de cargo efetivo na Diretoria de Ensino de São Paulo – região Sul-2. Entre agosto de 2011 a janeiro de 2018, a professora desempenhou suas funções na Diretoria de Ensino da Região de São João da Boa Vista, ocupando o cargo de Supervisora de Ensino Titular de Cargo Efetivo.  E de Janeiro de 2018 até os dias atuais, Silvia é Dirigente Regional de Ensino da D.E.R. São João da Boa Vista. A Diretoria abrange 15 municípios da Região (Aguaí, Águas da Prata, Caconde, Casa Branca, Divinolândia, Espírito Santo do Pinhal, Itobi, Mococa, Santo Antônio do Jardim, São João da Boa Vista, São José do Rio Pardo, São Sebastião da Grama, Tambaú, Tapiratiba e Vargem Grande do Sul), 277 escolas, sendo 69 estaduais, e 81.697 estudantes (17.413 na Educação Infantil, 25.503 nos anos iniciais do Ensino Fundamental, 21.572 nos anos finais do Ensino Fundamental, 14.368 no Ensino Médio, 353 na EJA Ensino Fundamental, 880 na EJA Ensino Médio e 1608 na Educação Especial.

Iury Feres Abrão: Nascido em São José do Rio Pardo em 16/01/1976. Filho de José Roberto Abrão e Vera Lúcia Zanetti Abrão. Iniciou na natação aos 9 anos de idade no Rio Pardo Futebol Clube. Pelo clube se sagrou campeão paulista do Projeto Nadar. Já em 1989, representando a Associação Atlética Mocoquense, se sagrou pela primeira vez campeão e recordista paulista e brasileiro. Em 1991 recebeu a proposta de representar o Esporte Clube Pinheiros, ficando por 5 anos e posteriormente sendo contratado pela cidade de Suzano. Nos anos de 1991 a 2000 foi diversas vezes campeão paulista e brasileiro. Campeão de diversas provas de jogos regionais e jogos abertos do interior. Defendeu o Brasil nos Estados Unidos. Graduou-se no ano de 2000 em Educação Física e passou a atuar como técnico de natação.

Grupo Transer: A empresa Transer transportadora foi fundada pelo Sr Ézio Osnir Raddi, com início de suas atividades em meados dos anos 70, com a construção da Nestle em São José do Rio Pardo, prestando serviços de transporte desde o início das atividades da fábrica. Com o tempo foi ganhando experiência e credibilidade, prestando serviços para mais unidades da empresa multinacional. Com a demanda de resíduos orgânicos gerados na produção das indústrias, elaborou-se um produto a partir deste material de reaproveitamento, um composto orgânico de ótima qualidade, que seria utilizado como fertilizante na produção de produtos agrícolas que são utilizados na produção das próprias fábricas, fechando o ciclo da produção sustentável: assim nasceu a Raddi indústria e Comercio de adubos orgânicos. Com a crescente demanda por produtos industrializados e aumento da população, foi gerado um dos maiores problemas contemporâneos da humanidade, o lixo. Sempre com visão no futuro e com o fechamento de inúmeros lixões irregulares, os municípios necessitavam de um local ambientalmente adequado para o descarte dos resíduos domiciliares. Foi então que surgiu a Transer Centro de Gerenciamento de Resíduos, um aterro sanitário que hoje recebe e trata os resíduos gerados por 17 municípios da região. Equipada com área de triagem de recicláveis e descaracterização de produtos fora de normas ou prazo de validade, a unidade beneficia diariamente média de 150 toneladas de resíduos, gerando empregos e renda para a região. Em breve mais um empreendimento será inaugurado pelo Grupo, a Transer Ambiental, com uma planta totalmente projetada para a coleta transporte, tratamento e destinação final dos Resíduos dos Serviços da Saúde, um local com capacidade de receber e tratar todos os  resíduos gerados nos hospitais, clínicas estéticas; médicas e veterinárias, farmácias, laboratórios ou quaisquer geradores de material contaminante que possa gerar risco a outros seres humanos caso manipulados ou descartados de forma inadequada. Hoje o Grupo Transer é uma empresa sólida que não pára de investir em tecnologias a favor do planeta, com equipamentos de ponta e profissionais capacitados e se mostra uma empresa líder do segmento na região prestando sempre serviços com comprometimento com o meio-ambiente, com a nossa e as futuras gerações.

Márcia Regina Pinesi Nasser: Márcia cursou “Educação Artística” na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo, mas sempre atuou na área administrativa onde trabalhou no Hospital “São Vicente” e na Cia Paulista de Energia Elétrica. Em 1982 ingressou no Serviço Público Federal (INSS) e se aposentou depois de 22 anos de serviços prestados com muita dedicação e competência. Em 1994 ela se aproximou do Asilo Lar de Jesus através dos caminhos iluminados da doutrina espírita, onde até hoje realiza seu compromisso de voluntariado. Se dividiu durante décadas entre a jornada do lar, do trabalho profissional e do serviço voluntário. Sempre visando o auxílio aos mais necessitados. Em 2008, Márcia assumiu a presidência do “Lar de Jesus” e permaneceu nesse cargo até dezembro de 2017. Foram anos de grandes desafios, obstáculos e, enfim, a satisfação de ver suas metas cumpridas com dignidade e espírito forte, decidido a vencer na humildade de suas atitudes. Hoje, ainda na diretoria, atua como tesoureira, o que não a afasta da rotina de labor na Seara do Mestre Maior, comparecendo diariamente na condução de todas as atividades. O Ela destacou que o asilo é sua segunda casa, pois acredita que através da caridade distribuímos amor e os benefícios vêm para ambas as partes. Defende que esse ato de caridade deve ser praticado todos os dias, em qualquer lugar. Uma de suas frases preferidas é, abre aspas “A caridade é o processo de somar alegrias, diminuir males, multiplicar esperanças e dividir a felicidade”, fecha aspas, citação de Emmanuel.

Eliezer Gusmão: Ele é Médico Cirurgião Geral, Cirurgião do aparelho digestivo, Cirurgião colo proctológico e Gastroenterologista. O médico presidiu a Comissão de Ética da Santa Casa por 8 anos e durante 6 anos no Pronto Socorro Municipal. Aliás, o PS é um local de muito apreço do médico, o qual contribuiu para melhorias em sua estrutura física e equipe médica de retaguarda, desempenhando com admiração da sociedade as funções de Diretor Técnico e Coordenador por 26 anos. Já pela Santa Casa, Eliezer auxiliou na fundação da Unidade de Terapia Intensiva e da Operadora SAVISA, sendo, atualmente o Diretor Técnico do hospital São Vicente.  Além disso, Eliezer é cirurgião da rede pública há 28 anos e atende ainda hoje na mesma, realizando cirurgias pelo SUS, sendo sempre lembrado e muito querido pela sociedade rio-pardense e da região pelo seu trabalho.

CONFIRA MAIS ALGUNS MOMENTOS DA SESSÃO SOLENE

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br