Gláucia Evangelista: Rio-pardense reside na França e é Agente de hotel em Mônaco

http://www.minhasaojose.com.br
Ela destacou que a opção pela Hotelaria aconteceu quando organizou uma viagem para os pais pelos Estados Unidos e Canadá

Entrevista e texto: Natália Tiezzi

Amigos internautas, o “Cadê Você?” desta semana traz mais uma entrevista muito especial, desta vez com uma rio-pardense que saiu de Rio Pardo aos 17 anos, passou por intercâmbios e se encontrou na hotelaria organizando uma viagem para sua própria família: Glaucia Elisa Righetti Evangelista.

Aos 39 anos e enquanto residiu por aqui, ela estudou nos colégios Grafos, Fundação Educacional e Objetivo, tendo concluído o 3º ano do Ensino Médio em Vinhedo, no Instituto Santanna e a primeira metade nos EUA (Estado da Virginia, Shenandoah Valley Christian Academy).

Gláucia é graduada em Turismo pela Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo, e concluiu o MBA em Gerenciamento e Hotelaria Internacional no Institut Vatel, em Nîmes, e Universidade de Perpignan, ambas na França.

Ao longo da entrevista, ela contou um pouco sobre o trabalho que desenvolve em um dos principais hotéis de Mônaco (Monte Carlo), o Hotel Columbus, e também outros hotéis que já trabalhou, um deles em Bruxelas, na Bélgica e na Itália. A rio-pardense reside atualmente em Nice, uma das cidades mais populosas da França, e fez dela sua ‘São José do Rio Pardo’ na Europa.

Gláucia também comentou alguns momentos marcantes na carreira, as saudades que sente do Brasil, e planos futuros, que incluem, obviamente, uma visita à família. “ Talvez posso dizer que o primeiro projeto será pegar o primeiro avião para São Paulo, assim que pudermos viajar tranquilamente de novo, para conhecer a minha sobrinha linda Catarina e encontrar toda a minha família, podendo abraçar e beijar todos novamente”, destacou.

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra.

A rio-pardense com os pais, o casal Esther e Jaci Evangelista, durante passeio em Nice

Glaucia, por que optou pela Hotelaria?

Glaucia Elisa Righetti Evangelista: Quando acabei o intercâmbio nos EUA, meus pais e meu irmão foram me encontrar na casa da minha família americana e depois fizemos uma viagem pelos Estados Unidos e Canadá, onde ajudei meu pai a organizar toda a viagem, os hotéis, passeios, aluguel de carro, etc. Na volta eu percebi que gostava muito dessa parte de organizar viagens. Então decidi fazer Turismo e dentro do curso de Bacharel nós estudamos todas as áreas relacionadas ao Turismo, de agências de viagens, Companhias aéreas, organização de Turismo em uma cidade entre outras e a Hotelaria foi onde eu me encontrei profissionalmente.

Quanto tempo você morou em São José, com quantos anos você saiu daqui e por quê?  

Nasci e morei em Rio Pardo até 17 anos d epois fui fazer intercâmbio nos Estados Unidos. No meio da viagem meus pais se mudaram para Vinhedo e quando voltei do intercâmbio eles já estavam residindo por lá, onde vivem até hoje.  

Após se formar, qual foi seu primeiro trabalho?  

Eu comecei um estágio como recepcionista em um Flat da rede de hotéis Transamerica, em São Paulo, no 3º ano da faculdade e que no fim do estágio fui efetivada. Ali trabalhei 2 anos antes de partir para a França para fazer a minha MBA. 

Essa foi sua chance de morar fora novamente? 

Sim. Eu queria muito fazer uma especialização na parte de hotelaria, pois eu me graduei em Bacharel em Turismo e queria aprender mais sobre a administração de Hotel. Por isso optei por fazer a MBA fora. Entre algumas opções, eu escolhi a França e fui aceita. 

Glaucia, a segunda em pé da esquerda para a direita, com parte da equipe de trabalho no escritório do Hotel Columbus

Em quais países você já morou e quais foram seus trabalhos?  

Depois da MBA da França, fiz um estágio na cidade de Nice, onde moro até hoje e optei por ficar definitivamente na cidade, um lugar que amo muito. Depois de concluída a MBA fui para Milão, onde fiz todo o processo da cidadania Italiana que nós já tínhamos entrado com o pedido no Brasil, mas os documentos tinham sido perdidos e teria que recomeçar. Então decidi recomeçar diretamente na Itália, aproveitando para fazer um curso de Italiano enquanto esperava. Com a cidadania Italiana, as portas da Europa se abriram e eu consegui um trabalho em Bruxelas, sempre em Hotel. Mas a minha paixão continuava sendo Nice e eu já tinha formado a minha família de amigos aqui e voltei. Também morei dois anos em uma cidade na região de Bolonha, na Itália, onde trabalhei mais uma vez em Hotel. Mas, como sempre, voltei novamente para Nice, onde tenho meu apartamento e minhas afilhadas

Onde você trabalha atualmente e qual é seu cargo?

Hoje trabalho no Hotel Columbus, em Mônaco, Monte Carlo, como Agente de Reservas.

Glaucia, o que é o melhor e o que é o pior em sua profissão?  

A hotelaria e uma escolha de vida, tem que ser feito com paixão, pois os horários são intensos, você tem hora para chegar e não tem hora para sair, tem que saber lidar com as pessoas, tanto os colegas de todos os setores, quanto os hóspedes, que podem ser dos mais felizes aos mais insuportáveis! A vantagem e que você raramente vai ter um dia igual ao outro, rotina praticamente não existe e você aprende a resolver situações de improvisos. É uma profissão que se não for feita com vontade e amor, não vai ser bem feita e isso não vai trazer bons resultados no final. 

Qual foi o momento mais importante/especial de sua carreira?  

Tive alguns momentos muito importantes que marcaram a minha vida na Hotelaria, mas o primeiro momento na minha vida profissional mais importante e muito especial, foi o dia que eu recebi a confirmação que trabalharia na Walt Disney World de Orlando durante as férias da faculdade por três meses. Foram os três meses mais mágicos e importantes para aprender sobre a base do Turismo, a base das relações humanas, além de poder voltar a ser criança nos dias de folga.  

Glaucia, a primeira mulher sentada à mesa, da esquerda para a direita, em sentido horário, ao lado do namorado, Daniele, amigos e afilhadas comemorando seu aniversário em 2019 em Nice

Vamos falar sobre São José! Qual é a sua maior saudade de sua terra natal? 

De São José Sinto muitas saudades da minha família, minhas primas, minhas tias e tios… Toda vez que vou para o Brasil sempre vou para São Jose e fico na casa do meu tio e sempre passo para visitar toda a família. Cresci com as minhas primas, então sinto muitas saudades delas. Além das amigas que também tento sempre encontrar.  

Você já morou em diversos países, mas o que o Brasil tem que os outros países não têm?  

O Brasil tem, é claro, a minha família, os meus amigos, e a nossa cultura maravilhosa.  Não saberia explicar, pois cada país tem a sua diversidade e o nosso Brasil é uma grande mistura de todas as culturas juntas que faz ele ser único!

Para finalizar, quais são seus projetos para o futuro? Voltar ao Brasil está incluído em algum deles?  

Projetos para o futuro na atual situação mundial está um pouco difícil de fazer, então estou aprendendo a viver um dia após o outro. Talvez posso dizer que o primeiro projeto será pegar o primeiro avião para São Paulo, assim que pudermos viajar tranquilamente novamente, para conhecer a minha sobrinha linda Catarina e encontrar toda a minha família, podendo abraçar e beijar todos novamente. E o Brasil continua nos meus planos somente para férias mesmo, eu encontrei a minha São José do Rio Pardo na Europa e ela se chama Nice! 

Uma das últimas vezes em que Glaucia esteve no Brasil, durante a comemoração dos 70 anos da mãe. Na foto, o casal Daniele e Glaucia, Jacy e Ester, Juliana e Pedro, irmão da entrevistada

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br