Com parceria da Cooxupé, campanha pela diversidade no café fez ação durante as Paralimpíadas

http://www.minhasaojose.com.br
Vídeo com produtores que têm deficiência foi exibido em cafeterias por meio de projeto entre a empresa S. Ishinitsu e a Cooxupé

Uma campanha pela diversidade do café promoveu uma ação especial durante as Paralimpíadas de Tóquio. Um vídeo com produtores de Minas Gerais foi exibido em cafeterias durante o evento esportivo por meio de projeto entre a empresa S. Ishinitsu e a Cooxupé.

A ação traz histórias e exemplos, como de José Antônio Tomé. Ele é produtor de café cooperado da Cooxupé. Após um acidente, perdeu o braço direito, mas não a coragem para seguir.

“Toda pessoa deve continuar a vida ativa. Mesmo com os problemas, temos de lutar. Mesmo sendo deficiente, somos capazes de trabalhar”, disse, acrescentando que é um orgulho produzir um café que chega ao Japão.

Geilton da Silva Carlos, produtor que tem deficiência na visão, também está no vídeo. “O café é a minha vida. Meu emprego e meu porto seguro. Tudo que tenho é graças ao café”, contou o produtor que foi criado em meio à produção.

“Toda pessoa deve continuar a vida ativa. Mesmo com os problemas, temos de lutar. Mesmo sendo deficiente, somos capazes de trabalhar”, disse o produtor José Antônio Tomé

PARCERIA

E isso só é possível graças a uma parceria de mais de 15 anos. A relação entra a empresa de alimentos S. Ishinitsu, com sede no Japão, e a Cooxupé começou em 2005. A empresa compra cafés do Cerrado e da Mogiana para a distribuição no Japão.

E com o objetivo de conectar pessoas e criar um mundo melhor, a empresa iniciou a campanha com a compra de um lote de café com produção exclusiva de pessoas com deficiência. Além da divulgação do vídeo durante as Paraolimpíadas.

“Estamos ansiosos para expandir o valor de que todas as pessoas têm algo para brilhar, criar a esperança para as gerações futuras como os atletas paraolímpicos”, disse o porta-voz da empresa Takumi Hashimoto.

A Ishimitsu destaca, ainda, que o café tem características diferentes, dependendo da pessoa que o produz. E acredita que essa é a ‘diversidade do café’.

“O café feito por minorias de várias origens, como pessoas com deficiência, LGBT, mulheres etc, deve ser um café que reflita essa pessoa. Gostaríamos de conhecer cada uma das pequenas peças para brilhar e ter orgulho de todos nós e disseminar esse valor aos nossos consumidores finais.”

CAMPANHA

Assim, com o foco na diversidade, a campanha destaca o valor da individualidade. A busca é atingir a meta “respeitando a diversidade, melhorando a qualidade do café e pretendendo apoiar a individualidade responsável”.

A empresa observou que visa mostrar a relação e as consequências positivas de como o café é cuidado por pessoas com deficiência, respondendo os desafios que podem encontrar.

“Pensamos, também, que esse projeto contribui para resolver o problema de emprego de pessoas com deficiência no Japão. Sinceramente, esperamos que essa cadeia de suprimentos crie características de sabores que nunca existiram antes e faça muitas pessoas felizes”, afirmou Takumi.

Para a Cooxupé, é essencial apoiar iniciativas que contribuem para que pessoas diversas tenham mais oportunidades no mercado de trabalho. “E, sobretudo, sintam-se incluídas em nossa sociedade, necessário para um mundo melhor para todos”, destacou Carlos Augusto Rodrigues de Melo, presidente da Cooxupé.

“O café é a minha vida. Meu emprego e meu porto seguro. Tudo que tenho é graças ao café”, destacou o produtor Geilton da Silva Carlos, deficiente visual

PARALIMPÍADAS

Segundo a Ishinitsu, o evento esportivo foi escolhido por conta da chance de fazer com que pessoas com deficiência se sintam mais próximas. “Mas, a entrega mais importante da Diverse Coffe (diversidade do café) não é só isso. É, também, permitir que as pessoas vejam o que está sendo valioso para este conceito e expandam esse projeto mais do que nunca.”

Para a empresa, é essencial aumentar a conscientização sobre as deficiências e buscar uma sociedade simbiótica e inclusiva por meio do café. “No entanto, no Japão o reconhecimento das pessoas com deficiência é baixo e o emprego não está progredindo. Este é um dos desafios no Japão agora, e gostaríamos de nos aprofundar neste assunto com a Cooxupé como uma equipe”, afirmou o porta-voz.

A Ishinitsu destacou que esse conceito de diversidade é a oportunidade para olhar para nós mesmos e movermos com esse pensamento profundamente para entendermos melhor uns aos outros.”

CONSUMIDOR

E os consumidores estão mais atentos a isso. Ações com um impacto positivo na sociedade, que inclui a diversidade, por exemplo, são valorizadas. Assim, a Ishinitsu fechou um acordo com uma famosa rede de lanchonetes do Japão para a venda do café da diversidade. “Sentimos que a mente do comprador está mudando gradualmente, o que acreditamos ser a melhor maneira de aprofundar mercado consumidor final.”

“Olhando para todos os desafios do mundo do café, como discriminação e mudança climática, acreditamos que precisamos mudar a maneira de pensar para que os negócios cafeeiros envolvam todos. Para contemplar como podemos criar o mais sustentável possível em termos de diversidade humana, como seres humanos e meio ambiente. Então, isso é realmente importante para uma nova perspectiva de visão e expressar como a diversidade é importante”, finalizou Takumi.

O link do vídeo que foi exibido em Tóquio é: https://www.youtube.com/watch?v=yfDJ30bwi_U

Com informações do Departamento de Comunicação da Cooxupé.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br
%d blogueiros gostam disto: