Alerta à Dengue: Larvas do mosquito transmissor podem estar nos lugares mais inesperados

http://www.minhasaojose.com.br
Agentes da Zoonoses fazendo vistorias em bairros para eliminação de possíveis criadouros

Mesmo com a Covid-19 em alta no município, como em todo o país, outra doença que não podemos esquecer é a Dengue, bem como a Chikungunya e a Zika, que são transmitidas pelo mesmo mosquito, o Aedes Aegypti.

E foi-se o tempo em que bastava vistoriar os quintais e pratinhos de planta para eliminar os criadouros. Na verdade, as larvas do mosquito podem estar nos lugares mais inesperados, em síntese, em qualquer lugar que possa acumular água. Os ovos do Aedes podem durar até um ano e eclodem ao entrarem em contato com a água. Por isso é tão necessário eliminar qualquer tipo de recipiente que possa acumula-la.

Porém, embora as larvas sejam resistentes, o trabalho realizado pelos agentes de Endemias do Setor de Zoonoses tem sido efetivo e o mesmo tem surtido excelentes resultados, já que atualmente, São José do Rio Pardo registra seis casos positivos de Dengue.

O trabalho dos agentes é basicamente o de vistoriar os domicílios e levar informação e esclarecimentos acerca da dengue a das demais doenças transmitidas pelo Aedes à população, que também precisa fazer a sua parte eliminando os criadouros e mantendo principalmente quintais sem acúmulo de recipientes, caixas d’água tampadas e calhas sempre limpas, evitando, assim, a água parada.

Na luta contra a Dengue, todos temos que colaborar. Vale lembrar que essas doenças, em especial a Dengue, além de causarem muito mal estar, podem levar à morte.

Os ovos do Aedes podem durar até um ano e eclodem ao entrarem em contato com a água. Por isso é tão necessário eliminar qualquer tipo de recipiente que possa acumula-la
http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br