Beatriz Feltran Maia fala sobre a carreira no Magistério e a paixão pela Educação Artística

http://www.minhasaojose.com.br
A professora, que se aposentou em 2008, ministrou aulas na E.E. Dr Cândido Rodrigues por mais de 20 anos e conquistou o carinho, confiança e respeito de milhares de alunos

Entrevista e texto: Natália Tiezzi

Uma mulher apaixonada pelas Artes e que passou três décadas de sua vida a ensina-la aos milhares de alunos que teve, principalmente na E.E. “Dr. Cândido Rodrigues”. O www.minhasaojose.com.br tem a honra de contar, nesta semana, um pouco da história de Beatriz Aparecida Feltran Maia, professora que marcou uma geração pela forma ‘artística’ de ensinar a Educação Artística.

Ela se formou no curso colegial de formação de professores para o ensino primário em 1974 pela Escola Normal Municipal Deputado Eduardo Vicente Nasser, atual Fundação Educacional e graduou-se na primeira turma de licenciatura em Educação Artística, 1977, pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Pardo, atual FEUC.

Ao longo da entrevista, a professora contou por que optou pelo Magistério, cidades onde lecionou, sendo que iniciou sua carreira em Tapiratiba e momentos marcantes da carreira, principalmente as viagens que organizava para que seus alunos pudessem conhecer e vivenciar as Artes in loco, principalmente em museus.

Beatriz também falou sobre o comportamento dos alunos de ontem e de hoje, o que é o pior e o que é o melhor no Magistério, que carreira teria seguido caso não tivesse escolhido a docência, bem como os aprendizados ao longo dos quase 30 anos em sala de aula.

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra.

Professora Beatriz, por que optou pelo Magistério?

Beatriz Aparecida Feltran Maia: Optei pelo magistério pois naquela época ser professora era uma opção excelente para a mulher que gostaria de trabalhar fora de casa, e não podia por exemplo mudar de cidade para buscar outra formação ou trabalho. Com a prática docente, percebi que a escolha foi acertada, pois me realizei em minha profissão, aprendi a valorizar e gostar da docência.

Qual foi a primeira escola que lecionou e para qual disciplina?

Comecei em Tapiratiba, lecionando na área da Educação Artística, com poucas aulas.

Após essa escola, quais outras instituições de ensino ministrou aulas? Até que ano a senhora lecionou?

No ano seguinte, consegui aulas em São José, na escola Stella Couvert Ribeiro, na qual permaneci por seis anos.  Fiz o concurso da rede estadual para me efetivar em 1986, e assumi minha cadeira em 1987 na cidade de Piracicaba, no Distrito de Artemis, um grande desafio porque tinha que viajar horas até chegar a cidade e depois me dirigir à zona rural, onde se encontrava a escola. Tive o apoio da diretora na época, que me acolheu em sua casa para que eu pudesse cumprir os dias de aula. Lá permaneci por apenas 15 dias, pois tive a felicidade de poder remover temporariamente meu cargo para a escola Cândido Rodrigues, em nossa cidade, na qual me estabilizei e permaneci até completar 27 anos de magistério e aposentar, no ano de 2008.

Qual foi o momento mais importante de sua carreira?

Penso que tive muitos momentos que considero importantes, junto aos alunos e colegas de profissão. O que gostava de proporcionar aos nossos alunos era as viagens culturais, que oferecia a nós oportunidade de ampliarmos nosso conhecimento e vivência artística, histórica, cultural e também estreitava os laços de amizade e admiração entre alunos e professores. Em especial, lembro de duas viagens que me marcaram por sua importância à época: a exposição dos 500 anos do descobrimento do Brasil, na Bienal de São Paulo, e a visita na Casa de Portinari, em Brodowski. Com essas viagens pedagógicas pudemos ter contato com obras raras, vindas por exemplo do Museu do Louvre, de Paris,  e também aprender sobre a história de formação de um artista brasileiro reconhecido mundialmente como Portinari, etc. Foram momentos de grande satisfação pessoal e profissional.

A professora sempre gostou de ensinar Artes vivenciando-a junto a seus alunos em museus, exposições, etc

Algum aluno ou aluna lhe marcou ou foi especial neste seu período no Magistério? Por quê?

Me considero uma professora realizada, pois até os dias de hoje tenho a alegria de reencontrar vários alunos que me agradecem pela forma que os tratava, pelas aulas e viagens  e percebo que têm muito carinho pelo que vivenciaram na escola. De minha parte, fico muito feliz quando recebo esse retorno, vejo que os ex-alunos estão bem profissionalmente e guardam boas lembranças da escola. Se destacam alguns casos de alunas que disseram ter escolhido a profissão de professora de Artes, tendo minhas aulas como inspiração, o que é muito gratificante.

O que é o melhor e o que é o pior em ser professor?

A melhor parte de ser professor é o retorno dos ex-alunos que se encontram bem sucedidos profissionalmente e pessoalmente. Dá uma sensação de dever cumprido, que que fizemos bem nosso trabalho. A pior experiência de ser professor, na minha opinião é quando estamos diante de uma turma indisciplinada, que não se compromete com os estudos.

O que falta nos alunos dessa geração em relação aos de gerações anteriores?

Percebo que falta maturidade, objetivo para o futuro e falta de entusiasmo com os estudos. Nas gerações anteriores pareciam  que viam na escola um meio para atingir seus objetivos e isso fazia diferença no dia a dia das aulas.

Se não fosse professora, qual profissão teria exercido?

Eu gostaria de ter sido paisagista ou empresária no ramo da moda.

Qual é a sua maior saudade da sala de aula?

A maior saudade que tenho é da convivência com os adolescentes e jovens, da sua alegria e energia contagiante.

Para finalizar, sei que muito ensinou, mas qual foi o seu maior aprendizado no Magistério?

Meu maior aprendizado foi desenvolver o sentimento de altruísmo, de ajudar o próximo, no caso os alunos que tinham dificuldades e assim valorizá-los.

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br
%d blogueiros gostam disto:
Secured By miniOrange