Zeladoria pública, Covid, Poupatempo: Confira assuntos abordados pelos vereadores na Câmara

http://www.minhasaojose.com.br
Sessões Ordinárias estão sendo transmitidas ao vivo às terças-feiras, a partir das 15h00, pelos canais oficiais do Legislativo Municipal

A manutenção e zeladoria públicas, novamente, foi tema de diversas proposituras apresentadas pelos vereadores na Sessão Ordinária de terça-feira, dia 1º de fevereiro, realizada na Câmara.

A limpeza do Cemitério Municipal também voltou à pauta, com indicação do vereador professor Rafael Kocian. “Recentemente recebemos diversas solicitações de munícipes alegando as dificuldades e transtornos causados devido ao crescimento de mato e acúmulo de sujeira no local, inclusive dificultando o acesso aos túmulos”, justificou.

Já as péssimas condições de trechos da Avenida Maria Aparecida Salgado Braghetta foi tema de requerimento feito pelo vereador Paulo Sérgio Rodrigues. Ele solicitou informações sobre serviços de recapeamento em trechos específicos.

“Esses trechos foram recentemente recapeados e já se encontram danificados. Diante disso, inclusive também por conta das reclamações de muitos munícipes, questiona-se se há previsão para a empresa refazer o serviço e em qual prazo os reparos serão efetuados”, indagou o vereador.

O representante do governo na Câmara, vereador Pedro Giantomassi concordou com o vereador Paulo Sérgio e disse que no ano passado a Prefeitura notificou o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e a empresa que realizou os serviços, porém não houve acordo para que os mesmos fossem refeitos, sendo necessária ação judicial, que está em trâmite na Justiça. “Em julho de 2021, a Prefeitura promoveu tapa buracos, uma medida paliativa que terá que ser tomada novamente, pois o trecho citado está realmente em péssimas condições. Acredito que o tapa buracos passará pelo local nas próximas semanas para minimizar o problema”, disse Pedro.

Ainda sobre manutenção e zeladoria, o vereador Eduardo Ramos sugeriu a limpeza de terreno no início da rua Siqueira Campos, onde o mato já está ultrapassando o muro, além de poda de árvores na rua Marechal Floriano. Outro pedido do vereador, que já havia sido tema de outra propositura no ano passado, foi a possibilidade de construção de calçada no entorno da EMEB “Profª Zélia Maria Zanetti”, sendo essa uma demanda dos moradores e alunos.

Redutores de velocidade também entraram na pauta das proposituras. O vereador Moraci Bállico sugeriu a instalação de um deles na Rua das Mangueiras, na Vila do Servidor, atendendo pedidos de moradores que relataram que condutores trafegam em alta velocidade e podem causar acidentes, como atropelamentos na via, que é bastante movimentada.

O vereador Antônio José Quessada Neto sugeriu a construção de duas lombadas na estrada rural que dá acesso ao restaurante e pesqueiro Recanto da Vovó. “A sugestão é que as lombadas sejam instaladas em trecho de grande declive, após a entrada do restaurante, nas proximidades do sítio de propriedade do senhor Nei Baldassim. Mesmo se tratando de uma estrada rural, pode-se observar a prática de alta velocidade, propiciando a ocorrência de acidentes”, justificou o vereador.

Uma prática considerada criminosa, a de pessoas circularem tendo testado positivo à Covid-19, foi tema de indicação do vereador professor Rafael Kocian. A preocupação foi trazida à Câmara pela diretoria da Associação Comercial e Industrial, que relatou a situação durante reunião com o vereador na semana passada. “Indico à Secretaria Municipal de Saúde que analise a possibilidade de intensificar a fiscalização e controle sobre a circulação de munícipes com Covid-19. Por outro lado, é preciso bom senso e educação para essas pessoas, pois podem transmitir a doença e parece que não se importam com a vida do próximo. Qualquer pessoa que testar positivo à Covid-19 obrigatoriamente, segundo as diretrizes da Vigilância Sanitária, da OMS, entro outros órgãos de Saúde, precisa ficar em quarentena, sendo que os dias podem ser variáveis conforme os sintomas e o quadro clínico apresentado”, afirmou Kocian.

A Assessoria de Imprensa da Prefeitura foi tema de ao menos três requerimentos feitos pelo vereador Henrique Torres. Neles, há questionamentos sobre quais funcionários da Prefeitura estão lotados na Comunicação do Executivo, inclusive os responsáveis pelas postagens institucionais com conteúdos divulgados no site, página do Facebook.

O vereador solicitou, ainda, informações sobre empresa responsável por produção de conteúdo institucional, cópia do contrato e processo de licitação, justificando-os pela função fiscalizadora do mesmo.

Munícipes também podem participar das sessões presencialmente, mediante reserva de lugares, já que os mesmos ainda são em menor quantidade devido ao cumprimento de protocolos à Covid-19

EXPEDIENTE LIVRE

O Expediente Livre foi aberto com um texto, escrito por uma munícipe e lido em plenário pela vereadora Thais Nogueira, cujo tema foi ‘barbárie’, em referência à morte do congolês Moïse Kabagambe, que veio a óbito após ser espancado em um quiosque no Rio de Janeiro. O texto ainda fez referência à discriminação aos negros no Brasil – uma reflexão a todos sobre humanidade.

Quem também teve a palavra foi o vereador Pedro Giantomassi que, entre outros assuntos, mencionou a abertura do Poupatempo em Rio Pardo. “Durante live realizada na segunda-feira, dia 31, o prefeito Marcio Zanetti, acompanhado pelo empresário Diogo Fonseca, informou que o Poupatempo será instalado em espaço junto ao novo empreendimento do Grupo Fonseca Supermercados na cidade, um ‘boulevard’, onde serão instaladas lojas, entre outros estabelecimentos comerciais. O local é estratégico e será muito bom ao Grupo, pois o Poupatempo será uma espécie de ‘chamariz’ aos comércios do boulevard, assim como para os usuários dos serviços que serão disponibilizados no Poupatempo, com estacionamento e tudo isso na região central, ou seja, as pessoas poderão resolver tudo em um só lugar, inclusive se alimentarem, fazerem suas compras, etc”, destacou.

Já o vereador Henrique Torres mencionou o Projeto Nascidos para Ler, que objetiva estimular a leitura às mamães desde os primeiros dias do bebê. “Parabenizo a idealizadora do Projeto, Juliana Torres, bem como a Viviane Torres, que também faz parte das ações por mais uma etapa: agora todos os nascidos na Maternidade da Santa Casa já estão recebendo um livro, próprio, oferecido pelo Nascidos para Ler. Agradecimentos também à Diretoria da Santa Casa, à Jane Santurbano, à equipe da Maternidade, que acolheram o Projeto. Haverá livros para os recém nascidos para os próximos dois anos. Essa leitura, como já foi comprovado, estimulará o sistema neurológico dos bebês, contribuindo para o desenvolvimento, bem como as mães à leitura – um hábito saudável e essencial a pais e filhos”, concluiu.

Texto e fotos: Natália Tiezzi – Assessoria Parlamentar da Câmara Municipal.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br