Ela transforma tecidos em arte e realiza sonhos criando lingeries muito especiais

http://www.minhasaojose.com.br

A costureira Irene Silvestre Lemos também vai desenvolver um trabalho inédito na cidade voltado às mulheres mastectomizadas

Muita gente ainda tem a metrópole de São Paulo como referência quando o assunto é mudar de vida, conseguir um bom emprego. Mas, com Irene Silvestre Lemos aconteceu exatamente o contrário.  Paulistana, a costureira formada pelo Senai em Têxtil e Vestuário, com especialização em Design e Processo Industrial, deixou a capital há 10 anos para realizar sonhos em São José, inclusive o dela: ter o seu próprio atelier e colocar em prática muito mais do que coser com linha e agulha.

“Costuro desde os 12 anos, sempre trabalhei com confecção e quando vim para Rio Pardo comecei a vislumbrar a possibilidade de me encontrar profissionalmente fazendo aquilo que mais amo, porém com um produto diferenciado, que não apenas vestisse com elegância, mas que carregasse consigo muita história, muita arte”, destacou.

Porém, colocar tudo isso em prática não foi fácil para nossa querida costureira. “Sou de uma família muito humilde e sei o que é passar fome… Quando cheguei a São José fui trabalhar como babá e, aos poucos e com muito sacrifício, comprei minha primeira máquina de costura, que pagava em prestações. E foi a partir dela, costurando em um corredor de uma casa onde morei, que tudo começou. Depois passei a sala de costura para a casa dos meus sogros e há três anos, finalmente, me estabeleci no Atelier Bonté, à rua Campos Salles, 444. Quando olho para trás e vejo tudo que já passei agradeço por cada pequena conquista atual”, disse Irene.

Irene exibe, orgulhosa, sua primeira máquina de costura que ainda faz parte do Atelier

PEÇAS ESPECIAI: DAS NOIVAS AO DIA-A-DIA

A costureira optou por um ramo de confecção a qual já trabalhava antes do Bonté, que é a lingerie, porém, com vários diferenciais: ela mesma é quem cria as peças, com muito bom gosto e até mesmo reaproveitando materiais como tecidos, por exemplo, para compor inúmeros modelos.

“Gosto de criar, de colocar muito além do meu conhecimento, mas minha alma nas peças que faço”, destacou.

Além de conjuntos, entre outras peças que faz em escala industrial para revendas e que são mais simples, Irene desenvolve um trabalho voltado ao atendimento de noivas, onde desenha lingeries de luxo para momentos únicos. “Atendo as noivas com horário marcado, pois essas peças são personalizadas. A lingerie é um sonho para a grande maioria, inclusive aquelas que estão um pouquinho acima do peso. Faço questão de atender a todas e mostrar que a mulher deve se amar do jeitinho que é”

Um dos momentos mais especiais do Atelier aconteceu no ano passado, onde Irene desenvolveu um editorial inspirado na pintora mexicana Frida Kahlo para a Expo Felinju 2018, uma das maiores feiras de lingerie do Brasil. “Foi a realização de um sonho pessoal, pois pude expressar inúmeras características de Frida por meio de minha arte. Inclusive reaproveitei muitos tecidos, como calças jeans, que se tornaram biquínis cheios de estilo e com muita história para contar”, explicou.

Irene disse que contou com o talento de algumas artistas que a ajudaram a compor as peças como Márcia Nicolau, que pintou à mão algumas de suas criações, Patrícia Nasser, que fez os adornos da cabeça das modelos e macramê, além de Graciela Moreira, com os biquínis de crochê e a Made in Chica, que gentilmente cedeu a linha de bijus para o editorial. “Essas parcerias vêm dando excelentes resultados. Márcia, Patrícia e Graciela são sensíveis e inovadoras em suas artes. Já a Made in Chica não tenho palavras para agradecer a generosidade e também a parceria da empresária Elisa Alves, uma pessoa maravilhosa que sempre abraça meus projetos”.

Além de peças inspiradas em Kahlo, Irene também criou algumas peças especiais para gestantes. “É um público que vem crescendo e que também gosta de se sentir bonita e confortável em uma lingerie ou traje de banho. Acho que um dos objetivos da Bonté é exatamente esse: realizar o desejo e a necessidade das pessoas neste segmento tão especial que é lingerie e trajes de banho”.

A LINGERIE INCLUSIVA: PARCERIA COM O PROJETO RENASCER

Uma das características da costureira é a preocupação social com públicos que necessitam de um olhar mais sensível às suas necessidades. “Conheci um grande projeto aqui em Rio Pardo, o Renascer, e naquele momento percebi que poderia fazer algo a mais por aquelas mulheres mastectomizadas (que tiveram que remover a mama em decorrência do câncer). Foi então que surgiu a idéia de uma lingerie inclusiva, desenvolvida especialmente para atender as novas necessidades delas. Além disso, também vamos capacitar essas mulheres, que já fazem aulas de artesanato, que são oferecidas no projeto, para que as peças expressem um pouco da arte e do talento de cada uma”.

A idéia foi tão bem aceita, tanto pelo projeto, quanto pelas pacientes, que Irene afirmou que pretende lançar uma coleção inclusiva, mas também com outras peças, sendo calcinha e soutien, sendo que parte do valor arrecadado na comercialização será destinado ao Projeto. “Estamos analisando algumas propostas para colocar a idéia em prática, e tenho fé que vamos conseguir em breve lançar essa coleção que, para mim em especial, é uma grande satisfação”.

PARA O FUTURO? EXPORTAÇÕES E… UMA ESCOLA DE COSTURA

Além de talentosa, Irene é sonhadora. E seus sonhos são ousados, mas também sempre pensando em ajudar ao próximo. “Eu já ensinei muita gente a costurar e futuramente gostaria muito de ter uma escola de costura aqui no Atelier. É um sonho que ainda quero e vou realizar”.

Neste momento, além do trabalho voltado à criação de peças para o dia-a-dia e também as noivas, Irene está focada na exportação de suas lindas, delicadas e exclusivas lingeries.

“Graças a Deus já temos alguns contatos de empresários em Portugal que gostaram do trabalho desenvolvido aqui no Atelier Bonté. Quero que São José conheça mais o meu trabalho e, quiçá, o mundo! A cada criação penso nas mulheres que deixarei mais feliz, com a auto-estima mais elevada ao usarem uma calcinha, um sutien, um espartilho, um penhoar ou até mesmo um conjunto mãe e filha, peças que desenho nos mínimos detalhes e com muito amor e carinho!”, concluiu.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br