Aulas particulares: Professoras buscam alternativas para auxiliar alunos e pais na pandemia

http://www.minhasaojose.com.br
As professoras Ana Carolina e Cláudia ministram as aulas particulares no Espaço “Hora de Aprender”, no Edifício Domingos Rioli, sala 1, na Avenida Independência, 302, Centro

Reportagem e Texto: Natália Tiezzi

A pandemia estabeleceu novas formas de difundir os conteúdos educacionais, principalmente o Ensino Remoto, uma novidade que, a princípio e ainda hoje assusta e deixa os pais preocupados com relação ao aprendizado dos filhos, principalmente aqueles que frequentam o Ensino Fundamental I e II.

Além da escola regular, muitos pais estão optando pelas aulas particulares aos filhos e, neste ínterim, o www.minhasaojose.com.br entrevistou duas professoras, sendo Ana Carolina Leite Ribeiro e Cláudia Pereira Silvestre, que também encontraram neste tipo de aula individualizada, assim como outros mestres, uma nova chance de estarem próximas e levarem conhecimento aos alunos, bem como auxiliarem (e acalmarem) os pais, e, claro, aumentarem a renda.

Ambas ministram as aulas particulares no Espaço “Hora de Aprender”, localizado no edifício Domingos Rioli, sala 1, à Avenida Independência, 302, Centro.

Ana Carolina é graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Uniseb/ Estácio, pós graduada em Educação na Perspectiva do Ensino estruturado para Autistas e Psicopedagogia institucional, ambas pela Facab, pós graduanda em Gestão da Educação pela Unicesumar. Também possui cursos, entre eles Práticas ativas e Aulas particulares, O grande negócio, Espaço Aprender Jaraguá e é mestranda em Educação pela UDE – Uruguai/UY. Já Cláudia é graduada em Arte pela Feuc e Pedagogia pela Facab. Está cursando o 7º semestre de Engenharia de Produção. Ela também é pós graduada em Psicopedagogia institucional, Arte e Educação e Gestão Escolar, curso em Educação Infantil.

Ao longo da entrevista, as professoras contaram um pouco de suas histórias de amor e dedicação ao Magistério, destacaram como funcionam as aulas no “Hora de Aprender” e para quais alunos elas são mais indicadas.

E para quem acha que professores apenas ensinam, ambas também destacaram as principais lições que ainda estão aprendendo diante do novo cenário educacional frente à pandemia, o crescimento e desenvolvimento profissional relativo às aulas particulares, bem como deixaram uma mensagem de otimismo aos pais e alunos.

Confira, abaixo, a entrevista das professoras, na íntegra.

Carolina e Cláudia, por que optaram pelo Magistério? Vocês tiveram alguma influência familiar, de amigos?

Ana Carolina Leite Ribeiro: Vivencio o magistério desde muito pequena, minha mãe é professora, me lembro de ajudá-la a preparar as provas no mimeógrafo, eu adorava ajudar e participar de tudo! Sempre a acompanhava em eventos nas escolas onde ela lecionava, cresci no chão da escola! Minha mãe foi minha grande inspiração!

Cláudia Pereira Silvestre: No começo foi pela facilidade de uma faculdade por perto, mas depois acabei me apaixonando pela área e no fim eu que influenciei os amigos e familiares!

Em que instituições de ensino já lecionaram e lecionam atualmente?

Ana Carolina: Comecei minha carreira como estagiária no Colégio Unigrau, em 2013, onde após concluir a faculdade, me tornei professora. Lá foi meu “berço”, foi onde eu aprendi na prática o que realmente é ser professora! Guardo boas lembranças de tudo o que aprendi com as pessoas maravilhosas com as quais convivi! Lecionei também na Escola Zélia Zanetti no ano de 2015, através de processo seletivo de um ano, foi uma experiência ímpar, fiz boas parcerias e aprendi muito!  Em 2017 recebi uma proposta para lecionar na Escola De Grau em Grau-Coc. Sempre quis trabalhar lá, foi onde minhas filhas estudaram desde pequenas, comecei lecionando para o 1°ano do Ensino fundamental l e no ano seguinte assumi a turma do 4° ano, onde leciono ainda hoje!

Cláudia: Já lecionei em quase todas as escolas estaduais do município e região e atualmente estou na escola Emeb “Profª Zélia Maria Zanetti” e na Creche “Profª Benedita dos Reis Apolinário”.

Quais motivos fizeram vocês optarem pelas aulas particulares?

Ana Carolina: Eu já trabalhei com aulas particulares sempre no período oposto ao das aulas nas escolas em que trabalhava, mas ministrava essas aulas em casa mesmo, sempre com profissionalismo, mas no ambiente da minha casa! Desde o ano passado, por ter contato com os pais nas escolas, tive muita procura para ministrar aulas particulares para pequenos grupos, por conta das inúmeras dificuldades que a pandemia nos trouxe. A procura foi aumentando cada vez mais e no último bimestre de 2020 comecei a planejar um espaço próprio para ajudar as crianças cujos pais me procuravam. Em dezembro, o projeto saiu do papel, ganhou um nome, endereço e foi assim que nasceu o Espaço Hora de aprender! Me preparei para essa nova fase também fazendo dois cursos específicos para o trabalho com aulas particulares que foram essenciais para que tudo desse tão certo! Desde este mês de junho também conto com a professora Cláudia aqui no Espaço!

Cláudia: Acredito que o que me levou às aulas particulares foi a imensa dificuldade que as crianças (e os pais, principalmente as mães) estavam e estão tendo com as aulas remotas. Como estava na Gestão ano passado não tinha tempo hábil para prosseguir com a ideia de me tornar professora particular. Só consegui iniciar o projeto este ano.

As aulas particulares são indicadas para alunos de que idade?

Ana Carolina: Bom, aqui no Espaço existem duas modalidades de aulas: tem o reforço escolar e o acompanhamento pedagógico. No reforço, fazemos uma revisão do conteúdo escolar do aluno, auxiliamos nas tarefas, execução de trabalhos e organização da rotina de estudos. Já no acompanhamento pedagógico, realizamos uma sondagem diagnóstica e através do resultado desta sondagem, desenvolvemos um plano de trabalho individual para cada criança, através de atividades diversificadas, oferecemos possibilidades para que elas superem as suas dificuldades pedagógicas e diminua assim, a defasagem no aprendizado. Atendemos alunos a partir de 4 anos, ou do 1° jardim da Educação infantil ao 7° ano do Ensino fundamental II.

E como sabermos se nossos filhos precisam de um acompanhamento escolar?

Ana Carolina: A pandemia e o isolamento trouxeram um prejuízo imensurável para as crianças psicológica e pedagogicamente falando. Todos estão com as emoções muito afloradas, sensíveis e inseguros! O ambiente escolar é totalmente diferente do ambiente da casa… Muitas crianças se adaptaram facilmente ao modelo “híbrido” de educação que estamos vivenciando, outros sentem mais a falta do ambiente escolar. Há inda a questão da maturidade da criança. Acho que se os pais não conseguem acompanhar de perto as aulas, se a criança é imatura para a idade, se apresenta dificuldade na compreensão dos conteúdos, se tem dificuldade pra se concentrar nas aulas em casa vale a pena um acompanhamento pedagógico profissional ou reforço escolar.

Ambas professoras acreditam que as aulas particulares vieram para ficar e mesmo após a pandemia pretendem continuar com o Espaço

Você acredita que a insegurança dos pais quanto ao Ensino Remoto também seja um dos motivos à busca das aulas particulares?

Ana Carolina: Sim, os pais estão bastante inseguros quanto ao ensino híbrido e tem um agravante: a maioria dos pais continuaram trabalhando ou já voltaram às atividades profissionais e não têm tempo para fazer este acompanhamento tão necessário de perto! Além do que, muitos não tem a didática que o professor tem para ensinar! Essa é a diferença entre saber um conteúdo e saber ensinar este conteúdo! E eu acho que é esse o maior motivo da procura por aulas particulares atualmente! Não basta saber, é preciso saber e conseguir ensinar ao outro!

Como são realizadas as suas aulas particulares? São pacotes mensais, aulas ‘avulsas’? E qual é a base: português, matemática?

Ana Carolina: O trabalho aqui no Espaço é individual! Primeiro por conta da pandemia, para não promover aglomeração, o outro motivo é porque se o aluno está com dificuldade de aprender em grupo ou remotamente, não faz sentido colocar o aluno em grupo, mesmo que seja menor, para que ele aprenda! O atendimento aqui é individual, cada criança é única e especial!  Os pais podem escolher o pacote que melhor atende às necessidades dos filhos: os atendimentos acontecem 1, 2 ou 3 vezes por semana, podendo optar ainda por aulas extras avulsas além das contratadas no pacote! A procura maior é por estimulação na alfabetização, Língua Portuguesa e Matemática.

O que essas aulas particulares estão acrescentando a ambas na profissão?

Ana Carolina: O trabalho com aulas particulares é apaixonante! É completamente diferente do trabalho em sala de aula! É você ter o privilégio do “olho no olho” com o aluno, é você perceber o aprendizado acontecendo diante dos seus olhos e ver a criança vibrar por ser capaz de aprender! É buscar novas alternativas pra que aquela dificuldade seja superada, é respeitar o tempo da criança, valorizar o que ela já sabe e trabalhar isso ao seu favor, é pensar fora da caixinha, ter o feeling aguçado para entender a criança e acreditar que resultados incríveis só precisam de alguém que acredite que eles são capazes de acontecer! Tento trazer tudo isso para a minha prática em sala de aula também! Comecei a encarar a minha prática docente com outro olhar!

Cláudia: As aulas acrescentam cada dia mais sabedoria, ensinamentos que vão além da sala de aula, e muitas vezes não conseguiríamos ter estando somente na escola.

E, diante dessa pandemia, qual foi a principal lição que aprenderam neste último ano?

Ana Carolina: Esse ano serviu para mostrar pro mundo a importância da escola e do professor na vida de uma criança. Nenhuma tecnologia será capaz de substituir a vivência do chão da escola! Particularmente, a pandemia me ensinou muitas coisas! A principal foi perceber que sou muito mais forte do que eu imaginava, que podemos nos reinventar mesmo que tudo pareça impossível, que quando fazemos o que gostamos e com amor, a distância se torna um detalhe, serviu pra provar algo que sempre acreditei e prezo demais: a importância da participação da família na vida escolar dos filhos! Pude contar com famílias maravilhosas que dividiram comigo o peso do ano letivo de 2020 e ainda dividem neste ano de 2021! Sem o apoio das famílias, não teríamos conseguido!

Cláudia: A ter empatia, saber me colocar no lugar do outro e que nunca sabemos o suficiente, estamos em um constante aprendizado.

Após o período de pandemia, vocês pretendem continuar com as aulas particulares?

Ana Carolina: Acredito que o trabalho que desenvolvemos no Espaço, veio pra ficar! Estudos mostram que a defasagem no aprendizado escolar adquirida em 2020 levará alguns anos para ser superada em muitos casos. Isso é muito triste por um lado, mas o mercado das aulas particulares surge como um apoio bem importante para as famílias com crianças em idade escolar.

Cláudia: Sim, pois os reflexos da pandemia serão muitos e estarão refletidos nas crianças por anos.

Para finalizar, que mensagem as professoras deixariam aos pais, aos alunos, com relação à Educação?

Ana Carolina: Aos pais: Sozinhos, vamos mais rápido, juntos vamos mais longe! As lembranças construídas agora, terão grande peso no futuro dos seus filhos! Que possamos construir juntos, boas lembranças! Aos alunos: Vocês são incríveis! Acreditem em vocês! Juntos somos muito capazes!! Trago guardado no coração cada aluno que já conheci! Cada um, com seu jeitinho deixou um pouquinho de si e espero que tenha levado um pouquinho de mim também! Vamos acreditar que, em breve, tudo ficará bem!

Claudia: Não desanimem! Como diria Nelson Mandela, “o estudo é a arma mais poderosa que podemos usar para mudar o mundo”. E mesmo com dificuldades, com problemas que sabemos que existem, o estudo é um grande investimento e nunca perda de tempo! Tenham fé que dias melhores virão!

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br
%d blogueiros gostam disto:
Secured By miniOrange