Solidariedade: Centenas de protetores faciais (Face Shields) foram doados à Saúde rio-pardense

http://www.minhasaojose.com.br

Empresário de São José está produzindo e doando as máscaras, assim como o Projeto Vida 3D, de Araraquara

Com informações e fotos de Silvio José (Assessoria de Imprensa da Prefeitura). Texto final: Natália Tiezzi

Em tempos de de Pandemia, a solidariedade está em alta, pelo menos aqui em São José. Sabendo da necessidade da Saúde em adquirir protetores faciais, equipamento essencial para diminuir os riscos de contágio do Novo Coronavírus, um projeto social, bem como um empresário rio-pardense, com o auxílio de algumas empresas, fizeram a doação de centenas deles, que são modelo Face-Shields, também conhecida como máscara-escudo, para profissionais que estão atuando na linha de frente dos atendimentos em dezenas de unidades de Saúde na cidade.

Na última semana, por exemplo, A Secretaria Municipal de Saúde recebeu 200 unidades desses protetores faciais. A doação foi recebida pela parceria entre a Enfermeira Leila Pereira (Serviço de Atenção Domiciliar – SAD) e a Enfermeira Juliana Flausino (Articuladora da Atenção Básica) junto ao PROJETO VIDA 3D – Protegendo quem Cuida (Araraquara- SP).

Objetivo deste projeto sem fins lucrativos é a produção de máscaras faciais para doação exclusivamente ao profissional de saúde, assim cuidando de quem cuida, e recebendo doações para produção desta através de parcerias com empresários, comunidade, comércio.

A intenção da inscrição neste projeto foi beneficiar unidades do município como ESFs, PPA Central, Pediatria, Saúde da Mulher, Centro Odontológico, Farmácia Municipal.

“Ficamos imensamente gratos ao projeto Vida 3D pela colaboração, valorização e reconhecimento do nosso trabalho em defesa à vida e dos valores humanos que norteiam nossas condutas”, disse a Enfermeira Leila Pereira.

A UNIÃO FAZ A MÁSCARA

Outro gesto de solidariedade e generosidade foi promovido por meio do empresário Klaus Gargitter, da Gargitter Advanced Polymers, que também está fabricando e distribuindo a máscara-escudo aos hospitais públicos, privados e unidades de saúde de São José do Rio Pardo e região.

Klaus disse que já foram doadas 300 máscaras Face Shields e a expectativa é que sejam feitas muito mais, devido aos pedidos de doação que a empresa vem recebendo.

O rio-pardense decidiu fazer alguns protótipos com os modelos mais utilizados pelo mundo, tendo como objetivo atender ao máximo a resolução da Anvisa RDC 356 que regula este tipo de produto. Após definido o modelo, Klaus iniciou a doação para o Pronto Socorro de São José do Rio Pardo, através da enfermeira Ana Rejane Marialva e, ao hospital São Vicente através da técnica de enfermagem Duncinéia Cônsolo, com foco em ajudar as instituições públicas que estavam com problemas de recursos em adquirir essas máscaras.

“Depois da primeira entrega, a enfermeira Ana Rejane fez a seguinte uma postagem no facebook e devido à grande repercussão na cidade, começamos a receber vários pedidos”, relatou Klaus, informando que neste período contava apenas com a ajuda de sua esposa Carmem Lúcia Aranda Gargitter e do filho Nícolas Gargitter, que operavam as impressoras durante o dia, e ele assumia a impressão dos protetores depois do horário de trabalho.

Segundo Klaus, depois da postagem, ele passou a receber ajuda de várias empresas as quais forneceram material e apoio para a ampliação do projeto. “Meu amigo Aloísio Moisés Andrade (empresa Capital Executivo) doou 800 acetatos para a produção do visor, a Rioplastic através do seu proprietário Marco Guardabaxo, forneceu filamentos (material para a impressão do frame do protetor), elásticos, embalagens e toda a estrutura logística para a distribuição dos protetores para os hospitais da região, além do espaço para a montagem dos protetores”, acrescentou Klaus, dizendo que outras empresas forneceram as suas impressoras 3D para ampliação da produção.

Os voluntários que estão imprimindo os protetores são todos de São José do Rio Pardo: Gargitter Advanced Polymers, Rafael Orfei (coordenador de montagem da Rioplastic), Fábio de Souza Paschoal, Matheus Pinezi, Escola Robô de Garagem, ProArt 3D, Tamara Sales Orfei, Fernanda Magrin e da técnica de enfermagem da Rioplastic, Gabriela Gomes, ela que é a encarregada do controle de pedidos e da logística de distribuição para as entidades necessitadas.

Além de instituições rio-pardenses, a empresa rio-pardense já beneficiou hospitais, policlínicas, Pronto Socorro, Samu, clínicas e entidades de mais de 10 cidades dos Estados de São Paulo e Minas Gerais: São José do Rio Pardo, Itobi, Mococa, Tapiratiba, Caconde, Divinolândia, Franco da Rocha, Santa Cruz das Palmeiras, São Paulo (Capital), São Sebastião da Grama, Casa Branca, São João da Boa Vista, Vargem Grande do Sul, Tambaú, Ribeirão Preto, Poços de Caldas (MG), Caldas (MG), Guaxupé (MG) e Belo Horizonte (MG).

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br
Secured By miniOrange