PROERD: Muito além de um programa de resistência às drogas e à violência

http://www.minhasaojose.com.br

A Cabo PM Marta Caldeirão Canato se emocionou ao contar sobre os 17 anos como instrutora

Provavelmente você, leitor, já deve ter visto fotos das inúmeras formaturas do PROERD – Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência, mas sabe o que, de fato, envolve este projeto, cujo modelo nasceu dos Estados Unidos e foi incorporado no Brasil pela Polícia Militar?

Em entrevista ao site, a Cabo PM Marta Aparecida Caldeirão Canato, falou sobre os ‘bastidores’, se emocionou relembrando algumas histórias e principalmente seu amor e dedicação ao Programa ao longo dos 17 anos em que é instrutora.

“Costumo dizer que o PROERD vai muito além de um programa de resistência às drogas e à violência. Ele engloba o respeito, a confiança, a troca de experiências e o compromisso de que através dele poderemos formar cidadãos mais conscientes”, destacou Marta.

Desenvolvido em São José desde 1998, tendo o Cabo Corrêa como instrutor, o programa é direcionado aos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental e abrange todas as escolas da cidade no âmbito estadual, municipal e particular. “Trabalhamos com esse público porque é uma fase de transição entre a infância e a adolescência, período que necessita de muita informação, principalmente no tocante às drogas e à violência”, observou a Cabo PM.

Marta, que está como instrutora do programa desde 2002, disse que já trabalhou com mais de 15 mil crianças. “O PROERD é desenvolvido semestralmente. Divido as escolas, sendo a metade tendo aulas de fevereiro a maio e a outra metade de agosto a novembro. As aulas acontecem uma vez por semana em cada unidade escolar e tem a duração de 50 minutos. Elas são ministradas com o auxílio de uma apostila, desenvolvida pela PM, com todo o cronograma a ser executado. A cada semestre trabalho com cerca de 500 crianças, sendo quase 1.000 por ano”, disse.

RELAÇÃO DE CONFIANÇA COM A POLÍCIA: “NOSSAS CRIANÇAS PRECISAM SER MAIS OUVIDAS”

Marta ressaltou que, além do conteúdo proposto, as aulas também abrangem assuntos que fazem parte do dia-a-dia das crianças e adolescentes como o bullyng, por exemplo. “Gosto muito de trazer a eles assuntos atuais, os quais podem desencadear o uso das drogas e da violência, assim como o bullyng, a depressão, enfim. E os alunos também trazem alguns relatos, os quais debatemos em sala. Tento orienta-los da melhor forma possível, sempre respeitando a história de cada um”, destacou.

A Cabo PM destacou que essa confiança dos alunos no programa e com ela é muito gratificante. “Sinto que no início das aulas muitos ainda enxergavam o policial militar como alguém do mal ou que faz o mal, principalmente porque alguns têm familiares presos e acreditam que estão na prisão por causa da Polícia. Porém, ao longo das atividades, eles criam uma relação tão próxima comigo que acabam contando seus problemas, suas angústias, e, na medida do possível, tento ajuda-los, sempre encaminhando essas questões à direção das escolas”.

E, nestes 17 anos, Marta disse que cada vez mais as crianças precisam da atenção e do carinho dos pais, inclusive porque, segundo ela, a estrutura familiar é tudo na vida daquela criança. “Problemas acontecem em todas as classes sociais. Crianças cujo a família tem o poder aquisitivo maior sofrem porque, muitas vezes, os pais são substituídos por bens materiais. E também há crianças que vivem num ambiente de total desestrutura familiar, o que também pode contribuir para que sigam um mal caminho quando se tornarem adolescentes e adultos. Os pais precisam escutar mais as crianças, ficar mais tempo com elas, ouvir o que os filhos têm a dizer. Sinto que muitos são muito carentes de o mínimo de atenção familiar”, salientou.

Uma das muitas formaturas realizadas pelo Proerd nestes 21 anos em São José (crédito da foto: 24º BPM/I em Notícia

E, em algumas situações, não há como não se envolver ou se comover. “Já ouvi muitos relatos tristes, histórias que mexeram comigo, principalmente agora que também sou mãe. Mas acontecem muitos fatos positivos, com alunos e ex-alunos que muitas vezes chegam até mim e dizem que o PROERD fez a diferença em suas vidas, ajudando a trilha-los o caminho do bem, do respeito, da consciência”.

Além da resposta positiva com relação aos alunos, Marta destacou que seu maior aprendizado junto à coordenação do PROERD foi o de conhecer novas realidades e se tornar mais humana. “O convívio com as crianças é enriquecedor em todos os sentidos, mas por meio do programa estou tendo a possibilidade de ter uma visão mais ampla de inúmeros problemas sociais que, sim, existem. E poder ajudar de alguma forma me torna um ser humano cada vez melhor, seja como pessoa, profissional e até mãe”.

FORMATURA SERÁ DIA 25 DE JUNHO: BUSCA POR PATROCÍNIO PARA CAMISETAS

Marta explicou que a formatura do PROERD é a conclusão de todos os trabalhos realizados durante os semestres e que acontece justamente para enaltecer os alunos quanto ao aprendizado. A próxima formatura será dia 25 de junho, a partir das 9h00, na quadra da ETEC.

“Todos os anos os alunos gostam muito de ganhar a camiseta do PROERD como uma lembrança do programa. Sempre conto com o apoio do Rotary e também das Lojas Maçônicas, entretanto, ainda estou em busca de patrocinadores para poder confecciona-las. Serão 500 camisetas para essa formatura”, informou Marta

Quem quiser colaborar pode procurar a Cabo PM no Destacamento da Polícia Militar, à rua Rui Barbosa, 43, Centro.

Foto 24º BPM/I em Notícia

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br