Jorge e José: Após os 60 anos, eles esbanjam disposição e dedicação ao trabalho

http://www.minhasaojose.com.br

Ambos são os colaboradores com mais tempo de serviço no Rio Pardo Futebol Clube

Duas histórias de amor, dedicação e respeito ao trabalho e a um clube, que se tornou uma espécie de ‘segunda casa’ para nossos entrevistados. Amigos intenautas, apresentamos a vocês os queridos senhores Jorge Luís Gonçalves e José Sebastião da Silva, os colaboradores mais antigos do Rio Pardo Futebol Clube que, em uma conversa bem descontraída à jornalista Natália Tiezzi Manetta, contaram um pouco do trabalho que desempenham, bem como sobre a oportunidade que o alvinegro proporcionou-lhes de voltar ao mercado de trabalho após os 60 anos.

José Sebastião e Jorge Luís: exemplos de que a idade não é empecilho para o comprometimento com o trabalho

As entrevistas fazem parte de um projeto entre o Rio Pardo Futebol Clube e o www.minhasaojose.com.br para homenagear e reconhecer a equipe de colaboradores do clube. “É uma forma de resgatar um pouco da história do próprio RPFC através do olhar de quem participa ativamente de suas atividades diárias e, claro, uma maneira de reconhecer o excelente trabalho que cada um de nossos colaboradores desempenha aqui no RPFC”, observou o presidente Marcelo Callegari Zanetti.

“SEU JORGE”: DOS TEMPOS RUINS ÀS NOVAS CONQUISTAS DO ALVINEGRO

Depois de passar a vida trabalhando em fazendas, Jorge Luís veio morar na cidade em meados de 2014, porém desempregado. “Certo dia vi um vizinho cuidando do jardim de sua casa e, brincando, disse a ele que gostaria de trabalhar assim… Eu já sabia que ele trabalhava aqui no RPFC. Foi então que me falou para procurar o clube e, quem sabe, conseguir uma oportunidade de trabalho, uma vez que já estava com 55 anos à época. E, graças a Deus, deu certo e aqui estou até hoje”, contou.

A rotina de trabalho é intensa, porém, Jorge Luís, hoje aos 69 anos, mostra-se dedicado e comprometido com cada atividade que desempenha no clube, que vai desde os cuidados com a jardinagem, passando pelas piscinas, além da manutenção eltétrica e hidráulica. “O ambiente é muito bom. Vejo meu trabalho como uma terapia, até um divertimento às vezes, pois aqui me sinto útil e todos respeitam o que faço, desde os demais colaboradores, diretoria até os associados”, destacou.

Jorge Luís é atualmente o colaborador mais velho do clube e sente-se orgulhoso por isso. “Faço o que muito garoto de 20 anos não faz. Gosto muito do meu trabalho e ainda estou podendo desempenhar minhas funções, as quais quero continuar até quando eu tiver forças”, disse.

“ESTAVA ME ‘SENTINDO PERDIDO’ SEM TRABALHAR HÁ 5 ANOS”

Essa foi a frase de José Sebastião com relação ao longo período em que permaneceu sem trabalho. “Trabalhei durante anos em uma transportadora que encerrou suas atividades aqui. Depois disso me vi perdido sem trabalho e já passando dos 50 anos. Foi então que durante uma conversa um amigo disse para eu procurar o RPFC para tentar algum trabalho. Foi o que fiz e no mesmo dia um dos diretores já queria que eu ficasse para trabalhar”, contou o colaborador que está no alvinegro há 10 anos.

As funções desempenhadas por ele são as mesmas de seu colega e amigo Jorge Luís, mas José Sebastião gosta de alguns trabalhos em especial como cuidar dos inúmeros gramados que fazem parte do poliesportivo e também aspirar as piscinas. “Eu me sinto muito bem trabalhando aqui e sinto que todos também gostam do meu trabalho. É bom ouvir dos associados que a grama está bem cuidada e o espaço está limpo. Eles também reconhecem não apenas o meu, mas o trabalho de toda a equipe de manutenção do clube”, destacou, modestamente o colaborador.

Hoje, José Sebastião está com 66 anos e também quer permanecer trabalhando no clube até quando puder desempenhar suas funções. “Ah, eu ainda pretendo ficar aqui por muito tempo. Gosto do que faço, respeito a todos e recebo esse respeito de volta. Trabalhar faz bem para a saúde, para a vida”, concluiu.

CARINHO E RECONHECIMENTO DA CHEFIA E DIRETORIA

É inegável o quanto ambos colaboradores são queridos pelo clube. Para o chefe de manutenção Marcelo José Barbosa eles sempre desempenharam muito bem seus trabalhos e são exemplos de dedicação. “Não troco esse pessoal que já passou dos 50, 60 anos e que estão aqui conosco por ninguém. Eles são comprometidos com suas funções, fazem tudo com muita organização e amor, características que estão sendo difíceis de encontrar em muitos jovens de 18, 20 anos”.

O presidente do clube também tem a mesma impressão de Barbosa quanto aos colaboradores. “Acredito que os senhores Jorge Luís e José Sebastião se comprometem muito além dos trabalhos que desempenham, posto que o clube se tornou uma grande paixão para ambos, uma extensão de suas casas, se assim pudermos definir. Particularmente, sinto muito orgulho, assim como toda a diretoria, em dar oportunidade para pessoas mais velhas qu querem, precisam e trabalham com amor. A ambos, nossa gratidão e reconhecimento pelos bons serviços prestados. E que sejam exemplos para as gerações futuras”, finalizou Zanetti.

Marcelo José Barbosa junto aos colaboradores: ” Não troco esse pessoal que já passou dos 50, 60 anos e que estão aqui conosco por ninguém”
http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br