Helena e Daniele: Mãe e filha em uma história de 38 anos com a ‘Leninha Bolos & Doces’

http://www.minhasaojose.com.br
Leninha aprendeu a cozinhar com a mãe e a avó, já Dani trilhou os passos da mãe na cozinha e graduou-se em Gastronomia (Foto de Soraya Gaino – Foto Metro)

Entrevista e texto: Natália Tiezzi

Uma empresa tão familiar quanto as delícias produzidas, postas às mesas e saboreadas por tantos rio-pardenses e pessoas de todo o Brasil. Nossa matéria especial de hoje traz um pouco da história de quase quatro décadas da Leninha Bolos & Doces, que se tornou sinônimo de qualidade e sabores diferenciados na confeitaria, sendo a precursora na elaboração de muitas receitas, inclusive na utilização da famosa pasta americana.

Na entrevista, Helena Aparecida Ferreira Alves Peixoto, a Leninha, contou como iniciou nesta verdadeira arte de fazer bolos e doces, bem como a filha, Daniele Helena Alves Peixoto Soares, que também trilhou os passos da mãe na cozinha e se graduou em Gastronomia, numa perfeita harmonia entre experiência e novos conhecimentos, ‘ingredientes’ que também fazem a diferença aos paladares.

Ambas destacaram como foi essa nova fase de adaptação da empresa diante da pandemia e com o adiamento de inúmeros eventos, além de momentos inesquecíveis os quais a Leninha Bolos & Doces fizeram parte.

Mãe e filha falaram ainda quais são o bolo e doce mais pedidos, o que fazer quando aquela receita não dá tão certo quanto o esperado e qual o segredo para fazer um bom doce, já que muita gente ainda teme e torce o nariz à confeitaria por acreditar que seja muito difícil.

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra.

Isabella, Daniele e Leninha: cozinha feminina e receitas de família que ainda fazem parte do cardápio

Leninha, quando a empresa iniciou suas atividades?

A Leninha bolos e Doces teve seu início em fevereiro de 1982 por causa de um pedido de um bolo de prestígio para um aniversário!

Com quem você aprendeu a fazer tantas delícias?

Aprendi com a minha mãe e com a minha avó. Cozinho desde os meus sete anos. Recordo-me que punha o banco na beira do fogão de lenha para alcançar. Comecei cozinhando de tudo: fazia salgados, jantares e almoços, bolos e doces. Conforme os doces se destacaram eles foram tomando conta e hoje só trabalhamos com confeitaria. Fui pioneira aqui na região no uso da pasta americana. As pessoas vinham de longe para comprar conosco. Aprendi a fazer sozinha perto de 1995, aliás, tirando o que aprendi com minha mãe e avó, o restante aprendi sozinha.

Você se lembra qual foi o primeiro doce que fez para vender?

Meu primeiro doce para vender foi exatamente esse bolo de prestígio que fiz para a comemoração de um aniversário.

Daniele, sua mãe a influenciou na gastronomia? Quando você começou a trabalhar junto ela na empresa?

Sim, muito. Comecei a ajudar na embalagem dos doces quando tinha 13/14 anos. Aos finais de semana acordava muito cedo para começar, pois não tínhamos muito espaço e precisávamos dar conta de tudo a tempo. Com 16 anos descobri que conseguia ajudar na decoração dos bolos. Fui fazer faculdade e depois voltei em 2011 para trabalhar.

Qual foi o momento mais marcante que a Leninha Bolos e Doces já vivenciou?

Há muitos momentos inesquecíveis como, por exemplo, uma festa gigante que fizemos para São Paulo com milhares de doces, bem casados e bolo verdadeiro de 4 andares! Foi linda e até hoje tem gente que comenta. Inesquecível também o casamento dos meus filhos e o aniversário de 1aninho da minha primeira neta. No casamento da Dani fizemos 24 tipos de doces e um bolo de 6 andares! Foi muita correria e nós passamos o dia do casamento na cozinha com a ajuda de vários amigos e família!

Já que estamos falando em momentos marcantes, já houve algum momento em que alguma receita não deu certo? Nesta hora o que fazer: desistir ou tentar até dar certo?

Sim, vários momentos (risos). Acontece muito! Às vezes por conta dos ingredientes ou pela correria nossa. Ah, mas desistir nunca! Tentar sempre! O cliente tem que receber o que pediu, então tentamos! Às vezes o tempo não será o suficiente para fazer, então buscamos alternativas para não deixar o cliente na mão.

Qual é o bolo e o doce mais pedido nos eventos preparados por vocês?

O bolo mais pedido de todos é o de nozes! Nossa maneira de fazê-lo já é tradicional. De doce, é o camafeu, sem sombra de dúvida!

Peixoto, marido de Leninha, é um dos ‘braços direito’ de Leninha: Faz do recheio dos doces aos atendimentos, tudo com muita dedicação

Além de ambas, outros membros da família também auxiliam na empresa?

Sim, meu marido, o Peixoto, como todos o conhecem. Ele não só ajuda, mas é parte fundamental no crescimento da empresa. Ele administra, compra, faz doces e recheios, é nosso entregador oficial. No início era ele quem saía com os doces para vender nas lojas. Ele ajudou muito a formalizar a empresa. Além dele, tem o Pablo, marido da Dani, que também faz os doces, chocolates, embalagens e entregas. Contamos também com uma auxiliar geral.

Nestes tempos de Pandemia, a empresa teve que se readequar e está fazendo algumas delícias para comercialização por meio do Facebook. Como está sendo esse período?

Sim, buscamos alternativas nestes tempos, afinal os eventos se tornaram praticamente inexistentes. Antes mesmo da pandemia já fazíamos alguns doces especiais aos finais de semana, então os clientes já estavam acostumados. Agora, com a ajuda da Isabella, a filha mais nova, pudemos aumentar nossa participação nas mídias sociais. Esta sendo uma oportunidade de oferecer esses quitutes diferenciados que amamos fazer também por meio da Internet.

Existe algum doce muito difícil de fazer? E qual é o que mais gostam de fazer? Há alguns que são mais demorados, ou têm etapas mais longas, como o ‘Macaron’ por exemplo, que é um doce bem temperamental. Os doces caramelados também dependem muito do clima. Quanto ao que mais gostamos, não tem um específico. Gostamos de inventar, de fazer sobremesas, testar sabores.

Muita gente diz que é difícil fazer doces. Qual é o segredo para dar certo?

Precisão, paciência e ingredientes de alta qualidade.

Existe algum doce que seja uma herança de família que vocês replicam até hoje?

Muitos! Nossa bomba de creme, nossos doces caseiros, cremes e vários outros. Verdadeiras heranças familiares que agradam gerações!

Qual a sensação em ‘adoçar’ a vida de tantas pessoas em todos esses anos?

É uma realização! Somos gratos por esse dom de Deus e é uma alegria poder oferecer nossos produtos para um momento de alegria na vida das pessoas! Temos clientes muito bons, fieis e parceiros que estão conosco há muito tempo, e sabem do nosso esforço em pôr carinho e qualidade em tudo que fazemos.

Para finalizar, quais são as perspectivas da Leninha Bolos & Doces para o futuro?

Continuar buscando qualidade, inovar sempre, procurar levar aos clientes doces excelentes e afetivos!

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br