Família Biagiotti conta a história dos 29 anos da Vidraçaria Riopardense

http://www.minhasaojose.com.br
Atualmente a empresa é administrada pelos irmãos Zé da Venda e Paulo Roberto e por Aline e Gabriel, a 2ª geração da família

Entrevista e texto: Natália Tiezzi

Não há como falar em vidros e não pensar nela, uma das empresas mais tradicionais do ramo na cidade, a Vidraçaria Riopardense. No mês de agosto, a casa comercial completou 29 anos de atividades e em sua homenagem, o www.minhasaojose.com.br conversou com a família Biagiotti, que iniciou as atividades e hoje já conta com o apoio e trabalho da 2ª geração, um exemplo de trabalho que passou de pai e tio para filhos e sobrinhos.

Ao longo da entrevista, os irmãos José Carlos Biagiotti, o popular ‘Zé da Venda’, o irmão, Paulo Roberto, e Aline Quessada Biagiotti Barella e Gabriel Quessada Biagiotti, filhos de Zé da Venda, contaram momentos marcantes da empresa, inclusive o início dos trabalhos em um espaço à Rua Santa Rita de Cássia, no Jardim São Roque, quando o saudoso Luis Biajotto, o sr. Dito ainda ajudara o filho, Zé da Venda na pequena oficina de vidros.

Os irmãos Biagiotti também relembraram os primeiros serviços que fizeram e enalteceram o trabalho dedicado de toda equipe da Vidraçaria Riopardense. Já Aline e Gabriel destacaram as lições que aprenderam e ainda aprendem com o pai e o tio, dentre elas os chamados ‘5 pilares’ para o êxito nos negócios e que baseiam a vida de cada um. Vamos saber quais são na entrevista, na íntegra, abaixo.

Natália Tiezzi: José Carlos, você já tinha trabalhado com vidros antes de abrir a sua própria empresa

José Carlos Biagiotti (Zé da Venda): Sim. Trabalhei por por 20 anos na Vidraçaria São José (Vitrolar Mori), antes de abrir a Vidraçaria Riopardense.

Quando e por que você e seu irmão decidiram abrir a vidraçaria?

Zé da Venda: A idéia e vontade de termos a própria vidraçaria, de termos o própria firma era algo que eu meu irmão Paulo já vínhamos discutindo, pensando, mas esperando o momento certo. Até que em 10 de agosto de 1991 surgiu a oportunidade de realizarmos o nosso sonho e, assim, abrimos a nossa própria empresa.

Onde a empresa funcionava no inicio das atividades e quantos funcionários tinha?

Começamos as atividades da Vidraçaria Riopardense na Rua Santa Rita de Cássia, 32 – no Jardim São Roque. No início das atividades era somente eu (Zé da Venda) e meu saudoso pai Luis Biajotto (Sr. Dito Biajotto), quem me apoiava, me ajudava e com quem aprendi muito.

Vocês se recordam do primeiro cliente e do primeiro trabalho que a empresa realizou?

Me recordo que o primeiro box temperado Blindex , que foi nosso primeiro pedido feito na fábrica de temperados representando a Blindex, foi instalado para o senhor Rubens Lupianhes. E após um tempo fechamos e entregamos a nossa primeira “grande” obra, considerada na época, que foi a construção do prédio da antiga escola People,na Praça Barão do Rio Branco, à frente da Praça do Mercado, do saudoso senhor Paulo Cossi e também no Edifício Saint Joseph, na Rua Campos Salles, onde fizemos vários serviços, entre eles a fachada do prédio. Esses serviços foram muito importantes para nos impulsionar e mostrar nossa capacidade de atender o mercado de vidros.

Além de São José, onde se consolidaram no mercado, quais outras cidades a Vidraçaria Riopardense atende?

Já atendemos em Tapiratiba, Divinolândia, Caconde, Poços de Caldas, São Sebastião da Grama, Mococa, Itobi, Casa Branca, Tambaú, entre outras. A mais distante foi em São Paulo, por intermédio da Sinovo na época, onde fizemos 02 coberturas e o hall da entrada de um hotel cinco estrelas.

Por falar em trabalhos, quais são os serviços que a empresa realiza?

Trabalhamos com parabrisas automotivos, com molduras para quadros e espelhos, com serviços de jato de areia, com espelhos cristal lapidados, espelhos com bisotê, espelhos com iluminação (Led ou Lâmpada) e também com toda a linha de vidros para construção, desde os vidros comuns fantasia (pontilhado, canelado, ártico, martelado, mini boreal, silésia, e outros), ártico coloridos, cristal fumê , cristal verde, cristal incolore desde 2mm até 08mm (a pronta entrega) e até 20mm (por encomenda) até os vidros temperados, vidros laminados, vidros com serigrafias coloridas, entre outros mais atuais que estão sendo lançados no mercado.

Os irmãos Biagiotti: Zé da Venda e Paulo Roberto, que iniciaram as atividades da empresa em agosto de 1991

Vamos à 2ª geração: Aline e Gabriel, quando vocês começaram a trabalhar na vidraçaria? 

Gabriel: Eu comecei aos 15 anos, em 2004. A princípio foi por incentivo de meu pai, mas aos poucos vi que ali era onde queria ficar e crescer profissionalmente.

Aline: Eu comecei aos 14 anos, em 1997. Na época a recepcionista da Vidraçaria ia parar de trabalhar e meu pai me incentivou a começar a trabalhar no lugar dela atendendo os clientes e os telefonemas. Aí fui ficando, aprendendo cada dia mais, e hoje me sinto muito feliz de estar aqui ainda, trabalhando em família e vivenciando o sonho e o nome do meu pai em cada obra fechada e realizada por nós.

Qual a principal lição que seu pai e seu tio ensinam a vocês aí na Vidraçaria?

Gabriel: Ambos sempre nos ensinaram a sermos honestos e responsáveis com os clientes e também com toda a nossa equipe de trabalho.

Aline: Levo comigo as 5 chaves do sucesso que sempre escutei do meu pai e do meu tio, as quais são: Ética, Transparência, Respeito, Organização e Planejamento. Acredito que seguindo assim não tem como não dar certo!

Hoje, além da família, quantos colaboradores a empresa possui?

A equipe da Vidraçaria Riopardense conta com 9 colaboradores, sendo que 3 deles estão há mais de 20 anos na empresa. Temos orgulho de nossos colaboradores e agradecemos todo o empenho e dedicação ao longo dos anos.

Zé da Venda, vocês imaginavam que a firma iria crescer tanto e se tornar uma referência na cidade?

Crescer sempre foi o almejado. E a referência passou a ser consequência da qualidade e responsabilidade que dedicamos aos clientes desde o começo de nossas atividades.

O que a família espera para o futuro da Vidraçaria Riopardense?

Esperamos que a empresa continue em ascensão, inovando no mercado e se diferenciando pelo atendimento, pelos produtos, pela qualidade e respeito aos nossos clientes.

Crescer sempre foi o almejado. E a referência passou a ser consequência da qualidade e responsabilidade que dedicamos aos clientes desde o começo de nossas atividades“, disse Zé da Venda
http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br