Dra. Evelise Augusto fala sobre como será sua atuação na Presidência da Subseção da OAB

http://www.minhasaojose.com.br
Evelise é graduada em Ciências Jurídicas pela UNIFEOB e aprovada para exercer a advocacia pelo Exame de Ordem da OAB, atuando ainda como Conciliadora e Mediadora pela Escola Paulista de Magistratura

Entrevista e texto: Natália Tiezzi Manetta

A Subseção da OAB de São José do Rio Pardo tem uma nova presidente e novos membros em sua diretoria. A advogada Evelise Fagiolo Augusto e sua chapa, formada pelos advogados Carlos Eduardo Callegari (Vice-Presidente), Mariângela Aguiar (Secretária Geral), André Ricardo Abichabki Andreoli (Secretário Adjunto) e Moisés Potenza Gusmão (Tesoureiro) foi eleita para presidi-la no biênio 2022-2024.

Evelise é graduada em Ciências Jurídicas pela UNIFEOB e aprovada para exercer a advocacia pelo Exame de Ordem da OAB, atuando ainda como Conciliadora e Mediadora pela Escola Paulista de Magistratura.

Em entrevista ao www.minhasaojose.com.br., a advogada comentou sobre a eleição, realizada em 25 de novembro, as pretensões da nova presidência e diretoria, entre elas reativar a Casa do Advogado após longo período de pandemia, o que vai beneficiar também a população.

“Há também, através de diversas comissões a intenção de agirmos mais pelo bem estar social da nossa Comunidade, com diversos projetos e parcerias que com o tempo serão amplamente divulgadas. Um exemplo é a ampliação do atendimento na Assistência Judiciária”, destacou.

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra

Dra. Evelise, o que a levou a se candidatar à presidência da Subsecção da OAB?

Dra. Evelise Fagiolo Augusto: O mesmo que a princípio me desmotivava: a sensação de abandono e solidão no momento mais difícil de nossas vidas pessoais e profissionais, causados pela Pandemia do vírus Sars Cov 2 e suas variantes. Não houve da nossa Instituição OAB/SP, qualquer iniciativa e, digo, em amplo: Seção São Paulo ou Subseção de São José do Rio Pardo-SP, a fim de nos auxiliar. Precisávamos urgentemente resgatar a importância da Instituição e agir ativamente por nós e pela Sociedade Civil. Cheguei a essa conclusão sozinha? Não, meu vice Dr. Carlos Eduardo Callegari, com a paixão que tem pela advocacia, foi peça fundamental para essa decisão.

O resultado das eleições em novembro foi o esperado ou foi uma surpresa ter vencido?

Nunca se pode falar em resultado de eleição de forma cabal. Trabalhamos incessantemente, durante o pouco tempo permitido pela legislação da OAB para campanha eleitoral, em total desvantagem a chapa da situação, mas com muita vontade de vencer. Aliás, vencer foi um misto de sentimentos. Uma honra a uma missão tão importante.

A presidente eleita junto aos membros da nova diretoria, sendo os advogados (da esquerda para a direita), Carlos Eduardo Callegari, Mariângela Aguiar, André Ricardo Abichabki Andreoli e Moisés Potenza Gusmão

Quais são as atribuições da presidência e também dos outros membros da diretoria?

Não vamos errar, assim dispõe o Regimento Interno da Ordem dos Advogados do Brasil:

Art. 125 – Competirá às Diretorias das Subseções exercer, nos limites de seu respectivo território, as atribuições legais, em especial: a) dar cumprimento efetivo às finalidades da OAB; b) velar pela dignidade, independência e valorização da advocacia, e fazer valer as prerrogativas do advogado; c) representar a OAB perante os poderes constituídos; d) desempenhar as atribuições previstas no Regulamento Geral ou por delegação de competência do Conselho Secional; e) fazer cumprir e observar as disposições do Regimento Interno do Conselho Secional. Parágrafo único – A Diretoria fará constar de ata suas deliberações, endereçando ao Conselho da Seção as competentes comunicações. Art. 126 – A Diretoria da Subseção compor-se-á de Presidente, Vice-Presidente, Secretário-Geral, Secretário Adjunto e Tesoureiro, servindo por três anos, com mandato e atribuições equivalentes aos da diretoria do Conselho Secional. § 1º – Os membros da Diretoria da Subseção têm os mesmos deveres e incompatibilidades que os da Diretoria do Conselho Secional, no que for de sua competência. § 2º – No ato de sua posse, o Presidente da Subseção prestará o compromisso formal previsto no art. 53 do Regulamento Geral, que constará no termo respectivo.

Quais serão os principais projetos dessa nova presidência? A reativação da Casa do Advogado faz parte deles? 

A priori cumpre esclarecer que a Casa da Advocacia nunca esteve literalmente fechada. Salvo por algum tempo, por determinação, durante a Pandemia causada pelo Sars Cov 2 e suas variantes. Temos um imóvel alugado, muito grande, em ótima localização, que permanece a maior parte ocupado somente pelas funcionárias da OAB. Faltou uma politica de acolhimento e planejamento para a utilização deste espaço pelos advogados.  Por falar em imóvel, bom tocar nesse assunto, nossa Diretoria está trabalhando para a aquisição de um imóvel próprio para nossa Sede, uma vez que a Advocacia Rio-Pardense merece, como forma de reconhecimento pelo valoroso trabalho. O abrir a casa é torna-la acessível a todos os advogados e a sociedade civil que necessita de nosso trabalho e apoio. Também temos como projetos a implantação de um Plano de Saúde com maiores benefícios aos advogados e seus familiares. Temos algumas tratativas locais e amplo apoio  da presidente eleita para a Caasp – Caixa de Assistência aos Advogados de São Paulo, Dra. Adriana Galvão. Há também, através de diversas comissões a intenção de agirmos mais pelo bem estar social da nossa Comunidade, com diversos projetos e parcerias que com o tempo serão amplamente divulgadas. Um exemplo é a ampliação do atendimento na Assistência Judiciária.

O que a OAB e a população podem esperar da Dra. Evelise à frente dessa presidência?

Muito trabalho e muita dedicação, não só de mim, como de toda a Diretoria e das Comissões que terão seus membros nomeados, prestigiando a diversidade, como política afirmativa. Exemplo disso a Nomeação da Primeira Mulher na Comissão de Ética da nossa Subseção. Teremos certamente uma Defesa incessante pela Justiça Social de forma ampla. O advogado é constitucionalmente um dos principais Instrumentos da Justiça. Lembrando que Justiça, não quer dizer vingança, mas citando Platão, é a harmonia social. E isso implica em atuarmos em diversos segmentos. Tudo sem esquecer por nenhum momento a irrestrita Defesa e valorização da Advocacia, com a busca do respeito as nossas Prerrogativas.

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br