Diretoria da Santa Casa esclarece sobre procedimentos que serão adotados frente à Pandemia

http://www.minhasaojose.com.br

Instituição receberá mais 5 respiradores pela DRS XIV e terá UTI COVID-19

A Diretoria da Santa Casa de Misericórdia Hospital São Vicente, em entrevista ao site www.minhasaojose.com.br, esclareceu sobre alguns procedimentos que serão adotados frente à Pandemia do Novo Coronavírus para que não deixem dúvidas na população com relação ao enfrentamento de possíveis casos confirmados da doença e que necessitem de internação, inclusive na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

De acordo com a Diretora Jane Santurbano, atualmente a Santa Casa possui uma UTI composta por 7 leitos para o atendimento de pacientes com patologias graves, sendo que 01 leito já se encontra estruturado para isolamento e recebimento de pacientes suspeitos/confirmados com COVID-19. “Dentre as tecnologias que compõem a unidade estão 07 respiradores artificiais, aparelhos para monitorização cardíaca, bombas de infusão, entre outros”, afirmou.

Entretanto, considerando o rápido crescimento no número de casos no Brasil, a Santa Casa identificou a necessidade de ampliação dos leitos para cuidados intensivos, com o intuito de precaução quanto ao atendimento dos casos (COVID-19). “Diante disso, foi realizada uma reunião em São João da Boa Vista, pela DRS XIV ( Diretoria Regional de Saúde), ocasião em que estavam presentes a Secretária Municipal de Saúde, Sr.ª Marcia Biegas e o Diretor, Dr. Benedito Westin, sendo comunicado pelo mesmo que será destinado a Santa Casa o envio de 05 ( cinco ) novos respiradores artificiais para ampliação da demanda”, afirmou Jane.

A partir desta informação, a administração da Santa Casa mobilizou o serviço de manutenção e já preparou o espaço que será destinado aos atendimentos de pacientes suspeitos e/ou confirmados graves, com o diagnóstico de COVID-19 e informou ainda que o mesmo comporta até 08 leitos e será denominado como UTI COVID-19, além da retaguarda de outro possível espaço, localizado no Pronto Socorro Municipal, com capacidade para mais 04 leitos.

“Ressaltamos que até o presente momento, a instituição não recebeu os equipamentos pleiteados, permanecendo no aguardo pela chegada dos mesmos”, disse.

Ela informou ainda que para os casos suspeitos e/ou confirmados de COVID-19 que não necessitem de cuidados intensivos, ou seja, internação em UTI, foi isolada uma ala estratégica e específica na Santa Casa com 8 ( oito ) quartos, totalizando 16 leitos.

TREINAMENTOS ESPECÍFICOS

“Esclarecemos que a equipe da CCIH ( Comissão de Controle de Infecção Hospitalar), juntamente com a Gerente de enfermagem, realizaram palestras e treinamentos com todos os funcionários envolvidos ( enfermeiros, técnicos em enfermagem, recepcionistas, serviços gerais ), inclusive com simulação, desde a entrada do paciente até o atendimento no leito”, informou Jane.

Protocolos de atendimento clínico, específicos para os casos, também já estão sendo implantados pelo médico responsável técnico da UTI, bem como pelo Diretor Técnico, Clínico e CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar) da Santa Casa.

CENÁRIO ATUAL NA SANTA CASA

A diretora informou que até a presente data não há nenhum caso confirmado dentro da instituição hospitalar, seja na ala de isolamento, como também na UTI. “No momento estamos com apenas um paciente internado e classificado como suspeito, porém tivemos três pacientes internados que já foram de alta hospitalar e permanecerão em isolamento domiciliar aguardando resultado de exames”.

Jane informou ainda que “realizamos, no decorrer do mês de março, compras de EPis: máscaras cirúrgicas, máscaras N95, gorros, sapatilhas e luvas de procedimentos, como também álcool gel, toalhas de papel e termômetros com infra-vermelho, em quantidades superiores às que já usávamos, com o intuito de nos prepararmos para o atendimento, caso haja, altas demandas”.

PREOCUPAÇÃO

“Diante de todo o exposto, nós da administração, estamos preocupados em relação ao alto custo que toda essa compra inesperada acarretará à Santa Casa, lembrando-os que os EPIs já adquiridos não serão suficientes e que a reposição implicará em valores muito acima dos praticados pelo mercado antes da pandemia, devido ao aumento exacerbado dos Equipamentos de Proteção Individuais – EPIs, citando como exemplo a máscara N95, que anteriormente pagávamos o valor de R$ 1,21 e recentemente compramos pelo valor de R$ 33,00 a unidade, como também a máscara cirúrgica, o valor saltou de R$ 0,10 centavos para R$ 4,80 a unidade”, salientou a diretora.

Jane considerou ainda a necessidade de aumento de Recursos Humanos, ou seja, a contratação de funcionários da equipe multidisciplinar: enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e médicos. “Ressaltamos que a estrutura física já se encontra preparada para os atendimentos, porém ainda não recebemos os equipamentos necessários para iniciar os mesmos”.

AGRADECIMENTOS

A diretora, em nome de toda a Santa Casa, agradeceu imensamente à população por todas as generosas doações já recebidas. “Acreditamos que através destas e de muitas outras poderemos seguir em frente rumo a um mesmo objetivo, o combate do Covid-19.

Ø pela iniciativa do comércio local, que através do site www.vakinha.com.br e da postagem em facebook angariando fundos que serão destinados a EPis;

Ø Através de depósitos realizados na conta da Santa Casa no Banco Santander (033) – AG 0036 – Conta 13001168-9 – CNPJ 59.901.454/0001-86;

Ø Pelos agricultores que não tendo onde comercializar seus produtos está destinado os mesmos a Santa Casa;

Ø Pelas doações de viseiras, tecidos, matérias descartáveis, tais como: sacos de lixo, copos, bobinas plásticas e também ao recebimento de máscaras de tecidos

Ø Ao Ministério Público pela doação em espécie.

Toda doação é um gesto de solidariedade e bondade para com o próximo.

http://www.minhasaojose.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br