Da necessidade à profissão: Gabriel Alves conta seu minucioso trabalho de Luthier

http://www.minhasaojose.com.br

Entrevista e texto: Natália Tiezzi

Muitas vezes a necessidade acaba por se tornar um trabalho e o aprendizado em novas áreas se transforma em paixão e dedicação. Foi o que aconteceu com Gabriel Antônio Rueda Alves, que transformou o ‘bico’ em atividade profissional, a luthieria.

Formado em Gestão Empresarial pela FATEC de Mococa, Gabriel também é funcionário público, mas é como luthier que está se realizando profissionalmente.

Faz pouco mais de um ano que ele iniciou os trabalhos na GARA, sua luthieria. Desde então dezenas de instrumentos musicais já passaram por suas habilidosas mãos e receberam reparos e restauros.

Gabriel disse que cada instrumento musical é um novo desafio. E que mais que valor financeiro, os mesmos têm muito valor sentimental aos proprietários, o que torna a profissão de luthier ainda mais prazerosa a ele.

“Cada instrumento que chega às minhas mãos é um novo desafio e aprendizado, me ensina e direciona às especificações que necessita. Desde os primeiros passos ao reparo ou restauração até a finalização do serviço são de extrema satisfação”, contou.

Ao longo da entrevista, Gabriel destacou instrumentos que passaram por suas mãos e que lhe marcaram, e também seu amor à música, que o fez acreditar e se desenvolver na luthieria.

Confira, abaixo, a entrevista na íntegra.

Gabriel, como e quando iniciou os trabalhos como luthier? Em que consiste este trabalho?

Gabriel Antônio Rueda Alves: Iniciei meus trabalhos como luthier faz um ano. A ideia da luthieria surgiu com a necessidade de manutenção e regulagem nos meus instrumentos, que na falta de um profissional capacitado na região tornei-me aquilo que mais precisava! Aproveitei o início da pandemia para estudar e aperfeiçoar meus conhecimentos sobre instrumentos e suas peculiaridades. No começo era um bico, que me ajudava no complemento da minha renda, pois também sou servidor publico municipal, atualmente prestando serviço na Delegacia de Polícia. Mas, com o decorrer dos meses, a profissão de luthier se tornou minha verdadeira paixão e hoje fico muito orgulhoso em ter o reconhecimento dos meus serviços e da minha empresa, que se tornou a minha maior renda.

Gabriel iniciou os trabalhos como luthier pela necessidade de reparação e restauração de seus próprios instrumentos musicais

Em que consiste o trabalho do luthier?

O trabalho de um Luthier consiste em restauração, reparação e fabricação de instrumentos musicais, sendo que no meu caso instrumentos de cordas como violão, guitarra, baixo, cavaquinho entre outros.

Qual foi o instrumento de maior valor que já passou pelas suas mãos até hoje?

É difícil selecionar um instrumento específico, pois todos têm seu valor, seja ele financeiro ou sentimental. Entretanto, posso exemplificar 3 de maior valor financeiro que foram um baixo semiacústico Apollo Giannini da década de 60, que foi totalmente restaurado; um violão Fender Americano, modelo canhoto e finalmente um violão Takamine Japonês Nylon da década de 2000.

E esse trabalho que desenvolve é difícil?

O trabalho de um luthier não pode ser considerado difícil, mas exige um certo grau de habilidade, atenção, conhecimento específico sobre a peculiaridade de cada instrumento e cuidado extremo ao realizar os serviços, sempre levando em consideração os tipos de madeiras, o tipo de acabamento do verniz (poliuretano, nitrocelulose, goma lacca, entre outros), o tipo de pintura e coloração, a regulagem necessária que muda de um instrumento para o outro e também o gosto do cliente, tipo de cordas e tensões a serem utilizadas em cada caso, etc.

Você sabe quantos instrumentos já recuperou, reparou até o momento?

É difícil dar um número exato de quantos instrumentos já passaram pelas minhas mãos, entretanto estimo que já trabalhei com mais de 70 instrumentos de cordas nesse quase 1 ano de existência da GARA Luthieria.

Trabalho minucioso exige dedicação e estudos, já que cada instrumento tem sua peculiaridade

Você tem alguma história curiosa, que tenha lhe marcado na luthieria?

O caso mais interessante foi de um cliente que chegou e me apresentou duas peças de madeira e alguns itens que, segundo ele, formavam um baixo semiacústico muito antigo. Foi o primeiro trabalho de restauração por completo e mais complexo que eu havia aceitado até aquele momento. Foi necessário me aprofundar no modelo e na história da fabricação deste instrumento, conversar com o cliente e propor os detalhes que seriam aplicados no serviço de restauração. No final o resultado foi surpreendente para ambas as partes, restaurador e cliente.

Qual é a sensação em recuperar instrumentos tão valiosos, tanto financeiramente, quanto sentimentalmente falando?

Cada instrumento que chega às minhas mãos é um novo desafio e aprendizado, pois me ensina e direciona às especificações que necessita. Desde os primeiros passos ao reparo ou restauração até a finalização do serviço são de extrema satisfação. Sempre registro os momentos de cada instrumento e depois faço uma comparação de fotos para me recordar dos desafios e aprendizados, das técnicas que utilizei em cada serviço.

Você gosta de música também ou só trabalha na reparação dos instrumentos?

Além da profissão de Luthier, a música sempre fez parte da minha vida desde criança.  Comecei a tocar aos 6 anos. Meus primeiros instrumentos musicais foram o teclado e piano, porém aos 10 anos, ao conhecer o violão, descobri meu amor e dom para instrumentos de corda. Já toquei em banda de Rock, banda sertaneja, a qual faço parte até hoje, coral da igreja em que frequento juntamente com minha esposa e filhos, que também já estão no segmento da música graças ao apoio que sempre lhes proporcionei. E eles são o maior incentivo que tenho.

Para finalizar, o que sente ao ver um instrumento, que muitas vezes pode parecer sem condições de uso, reparado? Os clientes reconhecem esse seu trabalho?

É com muita satisfação, graças a Deus, que tenho recebido por parte dos clientes elogios constantes pelos serviços prestados e principalmente pela preocupação em entregar o melhor resultado possível em cada instrumento. É difícil descrever a sensação a cada instrumento finalizado, em que sinto gratidão pela confiança que cada cliente deposita no meu serviço. Ver o resultado final e a satisfação do cliente não tem preço!

http://www.minhasaojose.com.br
error: Caso queira reproduzir este conteúdo, entre em contato com os editores pelo e-mail: minhasaojose@uol.com.br